Uma empresa que funciona de maneira minimamente satisfatória tem seus empregados como a principal fonte de sucesso do negócio. Por mais que se disponha de uma infraestrutura montada adequadamente e com um nível de tecnologia que suporte as operações, são as pessoas que fazem a diferença.

Sabendo disso, vários gestores e donos de negócio buscam formas de conseguir motivar o seu pessoal a estar sempre entregando os melhores resultados e desempenhando sua função de maneira dedicada.

Nessa procura, mais cedo ou mais tarde, remuneração e premiações são assuntos que acabam sendo discutidos e para que você consiga ter um bom entendimento do tema, separamos algumas dicas e explicações.

1. Salário utilidade

São aqueles benefícios que a empresa oferece além do pagamento direto do salário que é assinado na carteira para o cumprimento da função pela qual o profissional foi contratado.

Apesar de um nome pouco usual, o salário utilidade são complementos para o trabalhador oferecidos como, por exemplo, auxílio refeições, vale transporte, etc.

Ele é bem comum no mercado e ajuda a empresa a complementar o valor pago ao funcionário sem onerar tanto a folha de pagamento já que os encargos não são os mesmos.

2. Abonos salariais

Diferentemente do item anterior, os abonos são pagos em forma de dinheiro e não de benefício. Por isso podem ser considerados uma parte do salário sendo também feitos os devidos recolhimentos cabíveis na folha de pagamento.

Normalmente esse tipo de incentivo tem um intervalo de periodicidade maior. Afinal, se o trabalhador já está esperando constantemente ser agraciado com um valor extra no seu contracheque, a parte do incentivo acaba ficando de lado.

Sendo percebido como um extra, ele funciona bem para manter um índice de rotatividade menor uma vez que não há garantias de que ele consiga a mesma negociação em outra empresa.

3. Gorjetas

Mais voltadas para mercados mais específicos, elas são hoje regulamentadas e podem ser discriminadas como compulsórias ou espontâneas.

No caso desse assunto em particular, o que hoje reza a legislação é que se ela for normalmente dividida entre todos os atendentes do restaurante, ela deve ser considerada como parte do salário dos funcionários.

4. Ajuda de custo

Diferente de todos os casos anteriores, a ajuda de custo não é nem parte do salário e nem um benefício. Também não tem uma periodicidade fixa ou serve necessariamente como um tipo de incentivo.

Na verdade, como o próprio no me já diz, a ajuda de custo tem como objetivo assistir o colaborador em algum tipo de gasto que ele possa ter que seja previsto e estimado.

Vamos imaginar, por exemplo, que um executivo acabe precisando fazer algumas viagens ou bancar almoços com clientes e a empresa não pague diretamente por todos os gastos diretos ou marginais dessas atividades.

Sendo assim, a organização pode determinar um valor relativo a cada tipo de despesa que incorra na atividade profissional do pessoal da sua equipe para que ele possa cumprir melhor com o seu trabalho. Todo este valor não é considerado salário, podendo ser solicitado que algumas notas fiscais ou recibos ajudem a calcular e até a justificar o pagamento dessa ajuda de custo.

5. Descanso semanal remunerado

Este valor é um montante acrescido ao pagamento que trata dos dias como feriados e finais de semana. É algo com que todo profissional e empresa já estão acostumados há muitos anos.

O importante neste aspecto é conferir se aqueles funcionários que estejam sob um regime de contratação que implica em um pagamento de salário com parte fixa e parte variável, já estão sendo contemplados com este descanso calculado também sobre a parte variável.

6. Salário completivo

Esse valor adicional, como o próprio nome já sugere, refere-se a uma complementação ao salário que está estabelecido em carteira do colaborador.

Podendo ser calculado como um percentual sobre a remuneração básica do funcionário ou ter um valor absoluto estipulado, este adendo é considerado dentro da folha de pagamento como o próprio salário do regime de contratação.

Dois bons exemplos que podem ajudar você a compreender melhor o assunto são os adicionais noturnos  ̶  previstos em lei  ̶  e também o pagamento de horas extraordinárias de trabalho, o que é muito conhecido simplesmente como hora extra.

7. Premiações e campanhas de incentivo

Considerando os dispostos anteriores e o seu tipo de negócio, existem formas estratégicas de premiar e incentivar a equipe a conseguir atingir melhores resultados.

O ideal é pensar bastante em como se pode montar uma política de recompensas que funcione efetivamente com o perfil da sua equipe. Uma boa dica é nunca se esquecer dos incentivos sociais feitos através do reconhecimento do desempenho e postura profissional do colaborador. Muitas vezes isso conta mais do que valores em dinheiro.

Pensando ainda sobre como motivar os seus funcionários, algumas estratégias de recompensas podem te ajudar. Abaixo uma lista com sugestões para o seu negócio:

Prêmios individuais

São valores pagos para cada colaborador que atingir uma meta. Logicamente que todos devem ter condições de suas metas e alcançá-las. Definir metas que não podem ser atingidas é jogar contra a empresa.

Prêmios por equipes

Definindo por área, departamento, tipo de operação ou qualquer outra forma de agrupar as pessoas, esta forma de recompensa ajuda a fazer com que a competitividade individual não seja maior do que a vontade de apoiar o grupo. Assim, a cooperação ganha espaço e as pessoas pensam duas vezes antes de puxar o tapete de alguém.

Sorteios aliados ao atingimento de metas globais

Se toda a empresa bater algumas metas estabelecidas claramente e com uma boa antecedência, é possível considerar sortear produtos, serviços ou mesmo viagens entre a equipe. Contudo, é muito importante que você considere também um agrado mínimo para todos os outros. Talvez uma folga extra, outro benefício ou mesmo um valor em dinheiro para que não se sintam injustiçados.

Considerando todas estas opções de remuneração e seguindo as orientações legais, é possível que você desenvolva programas de incentivo e consiga ter diferenciais estratégicos que garantam mais engajamento do seu pessoal e resultados no final do mês.

Se ainda quiser receber mais informações a respeito de formas de remuneração e premiações, boas práticas para o departamento de recursos humanos e outros conteúdos que irão ajudar a sua gestão de pessoas a atingir um nível mais elevado, assine a nossa newsletter. Temos sempre conteúdos atualizados e voltados para o seu negócio.

Sobre o autor

Equipe Convenia

Deixe um comentário