Você tem na ponta do lápis quanto custa cada um dos seus colaboradores?

Em um país com uma legislação trabalhista tão complexa e protecionista como a brasileira, dúvidas nessa seara são comuns, principalmente aos que não lidam diariamente com atividades de Departamento Pessoal ou Contabilidade. Mas é fundamental ter controle sobre tais gastos.

Você pode baixar gratuitamente a nossa Calculadora de Custo de Funcionário para sua empresa

Se sua resposta à pergunta do primeiro parágrafo do texto for “não”, você está no lugar certo, pois este artigo vai te explicar como calcular o custo de um funcionário para a sua empresa.

O custo de um funcionário

Já ouviu por aí que um funcionário custa mensalmente para a empresa o dobro de seu salário, né? Apesar de estimado, o valor não está tão longe da verdade.

Algumas análises um pouco mais “sofisticadas” afirmam que o custo é 1,7 do salário. Outras falam em quase 3 vezes o salário, dependendo de quanto tempo o colaborador permanece na empresa, da sua necessidade de treinamento e do tempo de adaptação até atingir a produtividade esperada (quanto maior o tempo que o colaborador permanece na empresa, normalmente menor é o seu custo).

Por mais próximos que esses valores possam estar da realidade, nenhum deles expressa quais encargos a empresa paga além do salário do colaborador para que se chegue ao custo de cada um — mas é essencial saber quais são eles para ter uma gestão de Pessoal bem-orquestrada, e evitar passivos trabalhistas, contábeis ou financeiros.

Quer saber exatamente quais são os encargos e sua alíquotas? Eles dependem do regime tributário pelo qual sua empresa opta: Simples Nacional ou Lucro Real/Lucro Presumido.

Simples Nacional 

O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado que entrou em vigor em 2007. Optando por ele, micro e pequenas empresas brasileiras pagam impostos municipais, estaduais e federais por meio de uma única guia, e com alíquotas menos agressivas quando comparadas às que pagam grandes empresas.

É importante considerar que dentro do Simples Nacional existe uma variação em algumas alíquotas dependendo da natureza de negócio da empresa em questão.

Para facilitar os cálculos e a compreensão, estamos imaginando um colaborador cujo salário mensal é de R$ 2.000,00. Seguem os encargos e alíquotas que a empresa optante pelo Simples Nacional deverá pagar a ele:

  • 8% de FGTS
  • 8% de FGTS do valor anual
  • Férias
  • 1/3 sobre férias
  • 13º salário
  • Provisão Mensal (Férias + 1/3 sobre férias + 13º + 8% de FGTS anual)/12

Há, ainda, dois valores a serem deduzidos da folha de pagamento do colaborador:

  • 8% de INSS
  • 6% do salário para vale transporte

Custo total por mês: R$ 3.262,22

Para este exemplo, consideramos uma empresa inclusa no anexo I, II e III do Simples Nacional. Há algumas diferenças para organizações do anexo IV do Simples Nacional, como a taxa de INSS (que passa a ser de 20%) e a existência da alíquota RAT, que financia acidentes de trabalho.

Lucro Real ou Presumido

As empresas que não atuam sob regime do Simples Nacional são optantes do Lucro Real ou do Lucro Presumido. São os regimes tributários mais consolidados do Brasil, e englobam as empresas com faturamento superior a R$ 3,6 milhões por ano.

Os cálculos para empresas que optam pelo Lucro Real ou pelo Lucro Presumido são parecidos com os dos optantes do Simples Nacional anexo IV, com a diferença de que contam com o acréscimo da Alíquota de Terceiros (cuja função é financiar programas governamentais como SESC, SESI e SENAI), que, para este exemplo, consideramos igual a 5%.

Custo total por mês: R$ 3.977,78

Para ter uma visão mais clara do quanto custa cada colaborador da sua empresa, entre contato com o seu contador ou baixe gratuitamente nossa calculadora de Custo Efetivo de Funcionário clicando no botão abaixo (nela você pode selecionar o tipo de regime tributário pelo qual sua empresa opta e colocar exatamente quanto paga de benefícios como vale alimentação e plano de saúde):

banner_post_calculadora_custo_de_funcionario

 

Obs: os custos apresentados neste artigo são apenas exemplos. Para ter certeza sobre os valores aplicados à sua empresa, consulte seu contador.

Sobre o autor

Luca Venturini

Analista de Marketing do Convenia.

Formado em Administração de Empresas pela ESPM de São Paulo em 2014, encontrou no Inbound uma oportunidade de unir duas de suas paixões: marketing e escrever.