A maioria dos negócios inovadores quando nascem, já possuem inúmeros competidores diretos e indiretos. Porque algumas empresas conseguem se destacar tanto frente as outras?
Não é a ideia que faz diferença, são as pessoas. É a execução que interessa e isso está totalmente apoiado no talento humano.

Como construir um time super qualificado

A maioria dos negócios inovadores quando nascem, já possuem inúmeros competidores diretos e indiretos. Porque algumas empresas conseguem se destacar tanto frente as outras?

Não é a ideia que faz diferença, são as pessoas. É a execução que interessa e isso está totalmente apoiado no talento humano. Uma das frases mais comuns hoje em dia em empresas de todos os segmentos é “Pessoas são o nosso maior ativo”, muitas vezes está exposta em paredes, quadros, códigos de cultura e assim por diante. Mas a maioria esmagadora das empresas não age de acordo com essa afirmação.
Como saber se a sua empresa é uma dessas, que só fala da “boca pra fora” ? Se o seu cargo é o que chamam de “C-Level” (CEO, COO, CTO, etc), me diga se a maior parte do seu tempo é dedicado em recrutamento e seleção e a gerenciar seu time diretamente (coaching, feedback, treinamento, etc) ou em atividades operacionais ? Se você respondeu a segunda opção, sinto lhe dizer, as pessoas não são o maior ativo de sua empresa.

Você pode então questionar esse raciocínio basicamente falando, “Mas em uma empresa de 10 ou 20 funcionários, é praticamente impossível que uma pessoa em uma posição de liderança não dedique tempo em tarefas como vender, desenvolver conteúdos (como estou fazendo agora), fechar a folha e assim por diante.” Sim, a regra acima, não vale para pequenos negócios ou startups, onde todos precisam fazer de tudo. Mas a partir de 40-50 funcionários, o tempo dedicado as pessoas, precisa aumentar por parte da liderança.

Outro teste para a sua empresa validar se ela se encaixa nas características de empresas com times super qualificados é analisar se o Head de RH, é uma das pessoas mais importantes da empresa? As organizações com times de ponta, colocam esse executivo e área, no centro da estratégia da empresa.
Uma outra característica em comum, é a transparência de um processo que reconheça os melhores profissionais e substitua os piores. A conversa com um funcionário de baixo desempenho é natural para as lideranças (diferente da maioria das empresas, que levam com a barriga até onde for possível). Temos uma série de posts e materiais sobre avaliação de desempenho aqui.

Posso citar inúmeras outras características aqui, como por exemplo, um processo de recrutamento e seleção levado a sério, que não somente se preocupa com o currículo e entrevistas, mas com testes práticos que simulem o mais próximo da função a ser executada pelo candidato e a checar em detalhes (e em múltiplas fontes) o histórico da pessoa em empregos anteriores. Mas esse post se tornaria cansativo se fossemos listar tudo, acho que as principais características são essas que descrevi acima.

E você, concorda com essas premissas? Têm outras dicas que queira dividir? Me escreva ou comente. Espero que você consiga extrair ao máximo desse post para adicionar em sua realidade. Se você quiser que sua empresa tenha um time fora de série, seja obsessivo em relação a tudo que envolva as pessoas. Qual o seu check list? Tenha certeza que o ambiente é excelente, as pessoas estão aprendendo e que haja uma sensação que a empresa está investindo (tempo da liderança) no time. Não seja um simples CEO, seja um CTO – Chief Talent Officers.

Imagem: reprodução

Clima Organizacional: Como melhorar

Sobre o autor

Equipe Convenia