Se o seu interesse é montar um plano de cargos e salários na empresa onde trabalha, você está no lugar certo. Aqui vamos passar por conceito e funções de um plano de cargos e salários — além de disponibilizar uma planilha gratuita para você baixar e já começar hoje a cuidar desse aspecto da gestão de pessoas.

Você pode baixar gratuitamente o nosso Kit de Cargos e Salários

Plano de cargos e salários: conceito

O plano de cargos e salários é um descritivo de cada posição de trabalho que existe dentro de uma organização e do salário correspondente a ela. Ele garante isonomia entre empregados e atua como um instrumento importante de gestão, tanto para a área de Finanças como para a área de Recursos Humanos. 

Imagine que você estivesse sendo contratado agora para começar em uma empresa e seu líder te mostrasse uma matriz com todas as características da vaga que você vai ocupar e também das características dos cargos imediatamente acima do seu. O quão mais seguro sobre suas tarefas você se sentiria? O quão mais clara seria sua visão sobre o que você precisa fazer para produzir mais e crescer na empresa?

Funções de um plano de cargos e salários

Um plano de cargos e salários pode ser útil tanto ao gestor de uma área como ao departamento de Recursos Humanos. Confira algumas de suas funções:

  • Auxiliar na contratação de novos colaboradores
  • Facilitar o planejamento financeiro da empresa 
  • Elucidar ao colaborador exatamente o que se espera dele na função que ocupa
  • Deixar nítido a todos os funcionários quais são os cargos da empresa e o que é esperado de quem os ocupa
  • Assegurar igualdade de deveres e direitos entre os funcionários
  • Apoiar os profissionais de Departamento Pessoal na montagem de folha de pagamento

Como montar o plano

Seguem algumas etapas importantes para o processo de montagem do plano de cargos e salários:

Etapa 1. Reunir os gestores da empresa para consolidar quais cargos existem (ou devem existir, caso haja necessidade de contratação) em cada departamento e qual é o perfil necessário em cada uma delas. Essa tarefa fica mais eficiente tendo como suporte o organograma da empresa.

Etapa 2. Uma vez elencados todos os cargos da organização, você deve estabelecer, para cada um deles, os seguintes pontos:

  • Faixa salarial: intervalo entre os valores mínimo e máximo que o profissional do cargo pode receber de salário. Esse parâmetro pode ser definido por meio da consulta a sindicatos e benchmarks de empresas do mesmo segmento ao qual a sua pertence.
  • Responsabilidades: quais as principais atividades que o profissional do cargo deve executar em seu cotidiano. Os gestores de cada cargo terão uma visão clara acerca desse tópico, assim como dos dois abaixo.
  • Perfil Técnico Necessário: conjunto de habilidades técnicas e de ferramentas (sejam elas online ou offline) que o colaborador deve possuir para exercer a função em sua plenitude. Nesse espaço você deve colocar, por exemplo, se o cargo exige domínio avançado em Excel ou em algum software de gestão.
  • Perfil Comportamental Necessário: conjunto de traços comportamentais que o colaborador deve manifestar para ocupar o cargo — como capacidade analítica ou perfil de liderança.

Etapa 3. Usar o plano de cargos e salários para comunicar de maneira eficaz aos colaboradores, novos ou antigos, a trilha a ser percorrida para que ele consiga se desenvolver dentro da empresa e galgar cargos mais elevados. Assim, ele tem um guia prático de o que fazer agora e do que fazer futuramente.

Dica para começar

Para tornar mais prático o processo descrito acima, você pode usar uma planilha semipronta de cargos e salários. Aqui na Convenia nós elaboramos um kit para você fazer o seu Plano de Cargos e Salários, que contempla uma planilha que te auxilia a realizar todo o planejamento financeiro dos salários, e uma matriz para você elaborar a descrição dos cargos.

Você pode baixá-la gratuitamente clicando aqui embaixo:

kit_plano_de_cargos_e_salarios

 

Sobre o autor

Luca Venturini

Analista de Marketing do Convenia.

Formado em Administração de Empresas pela ESPM de São Paulo em 2014, encontrou no Inbound uma oportunidade de unir duas de suas paixões: marketing e escrever.