Férias é um dos direitos mais conhecidos dos trabalhadores brasileiros. Não por acaso também é um dos mais valorizados pois é essencial para aliviar as tensões do dia a dia do trabalho e dá tempo para que o colaborador passe mais tempo com a sua família. Por este motivo, é muito importante ter uma política clara de férias na sua empresa. De forma transparente, é preciso estabelecer os limites da lei e garantir que todos os funcionários tenham ciência do que deve ser feito. Veja abaixo dicas pontuais de como montar uma política de férias na sua empresa.

Itens a se considerar na política de férias

1. Qual a antecedência do pedido.

Pela lei brasileira, o funcionário deverá solicitar férias com antecedência mínima de 30 (trinta) dias. Deixe isso claro para que os colaboradores possam se programar antecipadamente.

2. Escala de aprovação.

Lembre-se que quem aprova as férias ou não é a empresa. Ou seja, a empresa pode decidir quando será o período de férias do funcionário. Deixe bastante claro quem é o responsável pela aprovação do período de férias – se é o departamento de recursos humanos ou o gestor do colaborador.

3. Quebra de períodos.

Pela lei brasileira o funcionário poderá separar seu período de férias em, no máximo, duas datas diferentes desde que cada uma não seja menor do que 10 (dez) dias. Deixe claro se a sua empresa segue ou não esta diretriz e, se não seguir, informe qual é o padrão.

4. Critérios para aprovação.

Informe as premissas básicas para que o colaborador tenha suas férias aprovadas. Inclua, por exemplo, que o seu backup no departamento também não esteja de férias. Ou que não tenha nenhuma pendência de trabalho grave. Defina também um manual para que os colaboradores façam um plano de transmissão de informações para saírem de férias e não deixarem nenhum processo parado no período de ausência.

5. Dê transparência a sua política de férias

Crie um documento com tudo explicado em detalhes e deixe-o de fácil acesso para todos. Inclua neste documento informações como o que é ‘período aquisitivo’, o que é ‘período concessivo’, entre outras nomenclaturas que facilitará para o colaborador entender a política.

É muito importante que os funcionários possam usufruir com tranquilidade de suas férias e se planejar com o máximo de antecedência. Isso garante não apenas qualidade de vida pessoal mas motivação para voltar ao trabalho com energias renovadas.

Gestão e cálculo de férias com abono pecuniário

Sobre o autor

Marcelo Furtado

Cofundador do Convenia, empresa de tecnologia para a área de recursos humanos de pequenas e médias empresas. É responsável pela criação e execução da estratégia de inbound marketing da empresa que já atraiu mais de 15.000 leads. Formado em Administração de Empresas, com pós-graduação em Engenharia Financeira pela Poli-USP, Marcelo iniciou sua carreira na área de vendas da Pepsico. Logo em seguida iniciou uma trajetória em gestão de Hedge Funds internacionais, tendo trabalhado na Carval Investors e Financial Investimentos. Marcelo também é professor de Inbound Marketing na ESPM.