Os pacotes de benefícios corporativos oferecidos pelo mercado ainda deixam a maioria dos funcionários insatisfeitos

Funcionários insatisfeitos

Funcionários insatisfeitos com questões de trabalho não faltam e, nos dias de hoje, onde os benefícios corporativos estão entre os principais fatores responsáveis por influir, atrair e reter colaboradores, fica cada vez mais óbvia a necessidade de se ter um bom planejamento na hora de decidir o pacote de benefícios que uma empresa oferece.

A consequência disso pode ser vista até mesmo em outros ramos de mercado, e é evidente o crescimento do número de empresas que oferecem serviços que facilitam o planejamento e a administração de pacotes de benefícios corporativos, dando a orientação necessária para que empresas de todos os tipos possam acabar com o alto número de funcionários insatisfeitos.

Planos de saúde já são o mínimo exigido no mercado por colaboradores em potencial que, cada vez mais, buscam programas personalizados de vantagens que incluam, principalmente, benefícios relacionados tanto à saúde como ao lazer e a qualidade de vida.

Com um olhar avançado neste setor, diversas empresas do mercado norte-americano já contam com itens como creches e academias no ambiente de trabalho, refeitórios, pausas para descanso e até mesmo visitas a spas de luxo aos seus funcionários como parte do pacote de benefícios corporativos, no entanto, ainda são raras as corporações que conseguem atingir o nível máximo de satisfação entre seus colaboradores.

De acordo com a Pesquisa dos Executivos, realizada e publicada pela Catho Online, 55% dos entrevistados do mercado de trabalho de hoje acreditam ter benefícios melhores que no passado, entretanto, a grande maioria deste grupo afirma ainda faltar muito para que as vantagens oferecidas cheguem mais próximas de serem ideais.

Embora o mercado dê cada vez mais atenção à elaboração dos pacotes de benefícios corporativos, itens que podem ser considerados quase “básicos” ainda fazem parte dos mais almejados pelos funcionários insatisfeitos, como seguro de vida, assistência odontológica e médica, auxílio-educação e participação nos lucros, mostrando que o mercado ainda tem muito a aprender nessa área.

Imagem: reprodução

Sobre o autor

Equipe Convenia

Deixe um comentário