Saiba o que faz o RH e entenda como atuam – e como não atuam – os profissionais deste setor no mercado de trabalho dos dias de hoje

que-faz-rhO Blog Convênia já abordou as funções e responsabilidades dos profissionais de recursos humanos por diversas vezes; no entanto, ainda há uma série de confusões na cabeça de profissionis das mais variadas áreas a respeito de o que faz o rh e, para esclarecer um pouco melhor esta questão tão importante, elaboramos mais uma lista com alguns dos segredos desta requisitada atuação.

Para entender melhor o que faz o rh – e, também, o que não se encaixa entre as responsabilidades de quem atua nesta área – confira, a seguir, cinco itens que costumam ser bastante equivocados na cabeça dos profissionais que procuram o setor de recursos humanos:

  1. O RH não é seu advogado
    O propósito do setor de recursos humanos é o de servir às necessidades da empresa, e a sua lealdade é direcionada à companhia – portanto, embora o setor possa intervir em nome de um funcionário em função da má administração de um gestor, tudo é feito para a empresa, e não para o colaborador.
  2. O RH não é obrigado a manter confidencialidades
    Os profissionais de recursos humanos não são padres, e as suas conversas não ficarão guardadas como confidências – portanto, tome cuidado para não passar informações que não deseja que sejam reveladas para superiores, por exemplo.
  3. O RH sabe de coisas que não são compartilhadas com você
    Muitas informações do RH não vão chegar a você até que isso seja necessário – incluindo a sua demissão.
  4. O RH existe para dar suporte aos gestores de uma empresa, e não para dizer a eles como trabalhar
    Muitas empresas dão poderes demais ao setor – mas as responsabilidades do RJ não incluem a definição de como gerir uma equipe e, portanto, se isso acontecer, é importante que se analise a política da empresa para saber que tipo de medidas podem ser tomadas.
  5. O departamento de RH pode ser maravilhoso para sua carreira… ou terrível
    Não há como saber, de antemão, como será o departamento na sua nova empresa de atuação e; por isso, é sempre bom estar preparado para ser ajudado ou prejudicado pelo setor – dependendo, é claro, do tipo de atuação que a política da empresa em questão permite à área.

Imagem: reprodução

Auto-avaliação Departamento Pessoal

Sobre o autor

Marcelo Furtado

Co-fundador e CEO do Convenia.

Deixe um comentário