Como estamos entrando agora em 2017, vale fazer a seguinte reflexão: como sua empresa faz o planejamento da área de Recursos Humanos? Existe um planejamento formal ou tudo fica meio no ar? Existe uso de métricas e histórico de dados para definir orçamento, ou ele é feito com base no achismo?

As perguntas acima são cruciais para sondar como será o departamento de RH em 2017.

Cada vez mais o RH se torna estratégico dentro das organizações — e quanto mais cuidadosa a empresa for no planejamento dos objetivos e ações de Recursos Humanos, mais espaço a área terá para ser estratégica. Ser estratégico significa, dentre outras coisas:

  • Contribuir de forma direta com os resultados finais da empresa
  • Ter opinião de peso diante de todos os departamentos da empresa
  • Ter budget para contratar serviços de apoio
  • Ter perspectivas de crescimento de equipe

Foi pensando em todas essas questões que o Convenia se uniu a ERPflex, Treasy, Quirius, Solides, 99jobs e Social Base para realizar a primeira pesquisa de orçamento de RH de empresas brasileiras para 2017.

Orçamento de RH para 2017

O principal objetivo da pesquisa era investigar como as pequenas, médias e grandes empresas brasileiras estão planejando seu Orçamento destinado a RH para 2017, entendendo assim quais são suas maiores prioridades e necessidades.

Com os resultados desse levantamento, delineamos quais são as perspectivas para a área de RH  2017, qual a relação atual do RH brasileiro com a tecnologia, quais são as melhores práticas de RH no que tange a orçamento e planejamento, o que o RH pensa sobre a contratação de softwares em 2017, e muito mais.

Principais descobertas da pesquisa

Ao todo, foram entrevistados profissionais de RH de 368 empresas brasileiras de todos os portes.

Algumas das principais descobertas foram:

1. O RH espera aumentar seu orçamento em 2017

pesquisa1

Como podemos observar no recorte acima, extraído do material de divulgação da pesquisa, quase 70% dos respondentes afirmaram esperar que os investimentos do RH cresçam em 2017, com destaque para as organizações de pequeno e médio porte.

Isso é sintoma de uma percepção de que a área de Recursos Humanos é importante para a PME, e não deve manter uma postura meramente burocrática.

 

2. O RH espera que sua equipe aumente em 2017

pesquisa2

 

Na esteira do aumento de investimento no RH em 2017, vem a segunda conclusão da pesquisa: os RH esperam que suas equipes aumentem este ano, principalmente em pequenas empresas. Assim como no item anterior, isso tem a ver com a compreensão da importância cada vez maior do departamento nos resultados globais da empresa.

 

3. O RH estuda adquirir mais softwares específicos para a área em 2017

pesquisa3

O aumento nos investimentos para o RH em 2017 se reflete na perspectiva de contratar softwares específicos para as diversas atribuições do departamento, como Recrutamento & Seleção, Gestão de Benefícios, Avaliação de Desempenho, Controle de rotinas de Departamento Pessoal, e assim por diante.

Menos familiarizada com tecnologia do que áreas como Marketing e Vendas, a perspectiva é que o RH se aproxime de ferramentas em 2017 e aproveite as vantagens que elas proporcionam para se tornar mais estratégico e data driven.

 

4. O RH planeja investir em iniciativas de Departamento Pessoal em 2017

pesquisa4

Mais da metade de empresas pequenas, médias e grandes pretendem investir pelo menos R$ 1.000,00 anuais em iniciativas de Departamento Pessoal em 2017.

A tendência é que as empresas percebam o quanto a tecnologia pode apoiar o DP no sentido de tornar mais rápidas, eficientes e seguras as rotinas burocráticas da área (férias, cálculo de folha, gestão de benefícios, etc.) e adotem softwares específicos para solucionar essas dores.

Mais detalhes sobre Orçamento de RH para 2017

Se você quiser entender com mais detalhes como o RH das empresas brasileiras se planeja para 2017, você pode baixar gratuitamente a pesquisa. Basta clicar no botão abaixo:

banner_post_resultado_pesquisa_orcamento_rh_2017

Sobre o autor

Luca Venturini

Analista de Marketing do Convenia.

Formado em Administração de Empresas pela ESPM de São Paulo em 2014, encontrou no Inbound uma oportunidade de unir duas de suas paixões: marketing e escrever.