Saiba quais as vantagens e desvantagens do uso das redes sociais no recrutamento de novos colaboradores

Redes SociaisAs redes sociais são, cada vez mais, uma ferramenta importante para o setor de recursos humanos no processo de recrutamento de novos talentos e colaboradores especializados. Com o grande número de mídias sociais no mundo de hoje – incluindo portais totalmente dedicados ao mercado de trabalho, como o LinkedIn – pesquisar sobre a carreira e as competências específicas de um candidato se torna uma tarefa cada vez mais possível.

Possibilitando a coleta de informações mais detalhadas em relação aos talentos e capacidades de colaboradores em potencial (além proporcionar feedbacks com mais agilidade), o recrutamento por meio de redes sociais também pode apresentar algumas desvantagens quando o seu uso não é feito de maneira planejada.

Por ser uma mídia onde todo o tipo de informação fica disponível a seus participantes (quase indiscriminadamente), as empresas devem tomar cuidados na hora de interagir com possíveis candidatos, evitando expor mais que o desejado em relação a corporação, a vaga e até o próprio processo de recrutamento.

Tido como a rede social de maior influência e adeptos dos dias atuais, o Facebook também é usado como ferramenta para a procura de novos profissionais por diversas empresas, que optam pela mídia em questão, principalmente, quando o perfil do candidato é jovem e/ou estudante.

Embora o tipo de informação publicada nesta rede tenha um cunho mais pessoal que profissional, ela ainda pode ser definida como uma boa fonte de dados sobre um candidato. No entanto, cabe ao profissional de rh separar devidamente o aspecto profissional do pessoal, tendo em mente que consequências legais podem ser sofridas pela empresa caso não haja uma autorização prévia do candidato para que seu perfil social seja checado.

No caso das redes sociais que tem o lazer como maior objetivo entre seus participantes (como Facebook ou Twitter, por exemplo), a divulgação de processos seletivos, descrição de vagas, salários e o perfil de profissional desejado por parte da empresa podem ser boas táticas para atrair candidatos, que se mostram interessados nas oportunidades oferecidas de maneira espontânea.

Imagem: reprodução

Sobre o autor

Marcelo Furtado

Co-fundador e CEO do Convenia.

Deixe um comentário