Saiba como o uso exagerado da tecnologia nas empresas de hoje pode atrapalhar (e muito) os processos seletivos

Saiba como o uso exagerado da tecnologia nas empresas de hoje pode atrapalhar (e muito) os processos seletivos

processos seletivos

Oferecendo cada vez mais praticidade e objetividade ao mundo profissional, as novas tecnologias têm tomado o posto de pessoas que costumavam realizar as mais diversas funções; e nos procedimentos que envolvem os processos seletivos da atualidade isso não é diferente. No entanto, as ferramentas que poderiam ser de grande ajuda para as corporações que buscam novos talentos vêm se apresentando como um perigo em potencial para os que não sabem como usá-la ao seu favor, causando problemas dos mais variados para as organizações que fazem o uso da tecnologia para encontrar bons funcionários.

Pensando na forma em que os processos seletivos podem ser prejudicados em função do uso da tecnologia, a Harris Pool – em parceria com o CareerBuilder – realizou uma pesquisa especial com mais de 370 profissionais do setor de recursos humanos e mais de 300 candidatos para desvendar os mistérios e problemas das ferramentas tecnológicas no recrutamento profissional.

Batizado de “Como a experiência do candidato está transformando a tecnologia nos Recursos Humanos”, o estudo concluiu que os itens a seguir são os de maior relevância negativa em uma seleção profissional em função do uso demasiado das ferramentas tecnológicas:

  • Erros na captação de candidatos
    Nem todos os interessados conseguem se inscrever para uma vaga logo que é aberta, e isso pode reduzir as chances de encontrar talentos certos para a posição
  • Falta de contato ou manutenção de contato com candidatos
    Menos de 40% dos candidatos voltaram a falar com os recrutadores das empresas, e o motivo para isso é, principalmente, o fato de o RH usar currículos mais recentes em novos processos (deixando possíveis talentos com quem já tenham tido contato  para trás)
  • Exagero de respostas automáticas
    Esse tipo de resposta deixa os candidatos extremamente desapontados e sedentos por feedbacks mais claros e personalizados
  • Limitação de meios para que os candidatos se inscrevam nos processos
    Mais de 60% dos candidatos que querem se inscrever em um processo deixa de fazê-lo por não conseguir acessar formulários e questionários referentes à vaga por meio de smartphones
  • Questionários longos e complexos demais
    Enquanto os recrutadores buscam candidatos engajados e que apresentem  mínimos detalhes de suas carreiras para concorrer a uma vaga, os profissionais acham longos e complexos demais os questionários dos formulários da atualidade

Imagem: reprodução

Onboarding de Funcionários

Sobre o autor

Equipe Convenia