Benefícios para os seus funcionários: Como fazer a escolha ideal

Tempo de leitura: 6 minutos

Há uma grande variedade de benefícios que podem ser oferecidos para os seus funcionários. Em geral, eles contribuem para manter a equipe entusiasmada e construir um ambiente de bem-estar. Além disso, facilitam a atração e retenção de talentos — tarefas essenciais à gestão de pessoas.

Mas há uma pluralidade de benefícios. Alguns são tradicionais e outros, modernos; alguns geram custos ao negócio e outros saem quase que de graça. Em razão disso, a dúvida é: como definir os melhores benefícios para os seus funcionários?

É preciso levar diversas variáveis em consideração, por exemplo, o perfil dos profissionais, o orçamento disponível pela empresa e a cultura que se deseja construir. Para facilitar essa missão, elaboramos um artigo especialmente para você. Portanto, leia os próximos tópicos com atenção!

Afinal, qual a vantagem dos benefícios?

Muitos gestores e empresários não entendem bem por que oferecer benefícios complementares, afinal, os funcionários já são remunerados, e isso pode até prejudicar a performance financeira do negócio. Mas eles não poderiam estar mais enganados! Benefícios criam vantagens aos profissionais e à própria empresa.

Primeiro, todo talento precisa se sentir seguro no trabalho — no aspecto físico, financeiro e emocional. Sem isso, as preocupações são várias e não há espaço para motivação. Benefícios como plano de saúde e seguro de vida contribuem para aumentar a percepção de segurança. Logo, criam a base necessária para a motivação.

Outra vantagem para os talentos é o maior senso de bem-estar e qualidade de vida. Nesse caso, benefícios mais modernos (como vale-cultura, happy hour, parceria com academias e horário flexível) podem ajudar bastante.

Como dito, a empresa também é beneficiada. Se o profissional está mais entusiasmado para trabalhar, é comum que ele produza mais e com maior qualidade. Ou seja, a boa oferta de benefícios pode gerar eficiência operacional, aumentar o nível de excelência e reduzir os erros. Há uma relação muito nítida!

É possível até afirmar que existe uma relação direta entre o bem-estar proveniente dos benefícios e a geração de riqueza. Ao entrevistar 4.800 donos de pequenas e médias empresas, a Sodexo descobriu que aquelas que oferecem maior bem-estar aos talentos são, em média, 70% mais rentáveis e 86% mais produtivas.

Como escolher os melhores benefícios aos funcionários?

Toda organização precisa estabelecer sua cesta de benefícios. Consiste no conjunto de ofertas aos atuais e novos profissionais, uma ótima estratégia para atração, retenção e motivação de talentos.

O problema é que existem muitos benefícios, logo, é complexo definir os melhores. Além disso, boa parte das empresas têm um orçamento muito limitado e precisam optar por uma cesta “enxuta”. Veja como escolher!

Avalie o perfil dos profissionais

Em primeiro lugar, é preciso considerar o perfil dos profissionais. Imagine oferecer auxílio-creche para uma equipe jovem e solteira. Não faz muito sentido, não é mesmo?!

Empenhe-se em traçar um perfil dos colaboradores. Defina idade, escolaridade, sexo, estado civil, remuneração média, entre outros fatores que considera importantes. Desse modo, poderá conhecer melhor quem trabalha em sua empresa e quais são suas verdadeiras necessidades.

Imagine a mesma equipe citada acima, jovem e solteira — talvez o vale-cultura tenha um maior valor percebido que o seguro de vida. Além disso, o horário flexível pode ser muito interessante.

Considere a cultura que quer arquitetar

A cultura é um dos elementos mais importantes da empresa, pois representa as crenças e hábitos compartilhados no ambiente de trabalho, uma espécie de DNA presente em todos.

Toda organização tem uma cultura. Ela nasce da relação entre os profissionais e, portanto, pode ser gerenciada. A própria cesta de benefícios ajuda a administrar a cultura, assim como atrair talentos com aderência a ela. Em razão disso, é crucial pensar na cultura que você quer estabelecer ao selecionar os benefícios.

Se o intuito é criar uma cultura agressiva, por exemplo, o benefício de participação nos lucros pode ser uma ótima estratégia, mas, para criar uma cultura inovadora, o benefício ideal seria outro.

Analise o orçamento disponível

Toda empresa vive uma situação de escassez. Isso não significa que haja pouco dinheiro no caixa, mas que os recursos financeiros são limitados. Nesse sentido, avaliar o orçamento é sempre crucial.

Qual o valor do benefício que quer implementar? A resposta não vai surgir de modo arbitrário, é preciso considerar o fluxo de caixa e o demonstrativo de resultados do exercício (DRE).

De todo modo, o mais interessante é equilibrar benefícios financeiros e não financeiros. O plano de saúde (que onera a empresa) pode ser combinado com o no dress code (uso não obrigatório de uniforme).

Converse com o time de trabalho

O maior privilegiado com a cesta de benefícios é o profissional. Logo, de certo modo, é injusto deixá-lo de fora da decisão. Ninguém melhor que os próprios talentos para definir o que é ou não prioridade.

Por causa disso, convide alguns profissionais com perfis diferentes para conversar. Ofereça opções de benefícios preestabelecidas por você e avalie quais se destacam. A decisão final continuará sendo sua, mas estará amparado pelo ponto de vista dos colaboradores. Logo, poderá decidir com acerto.

Mas é bom lembrar que alguns benefícios são obrigatórios (como a assistência odontológica, em algumas categorias profissionais), portanto, independem da sua vontade ou da do funcionário.

Quais os benefícios mais comuns dentro das empresas?

Apesar da enorme variedade de benefícios, alguns são bem mais comuns e presentes em quase toda empresa de pequeno ou médio porte. Ao pesquisar 403 empreendimentos, a seguradora Aon definiu a assistência médica e o seguro de vida como os dois mais comuns nas empresas brasileiras, respectivamente. Veja outros:

  • assistência odontológica;
  • vale-cultura;
  • vale-refeição;
  • telefone celular;
  • cesta básica;
  • auxílio-medicamento;
  • participação nos lucros e resultados;
  • décimo quarto salário;
  • bolsa de estudo;
  • parceria com academias e clubes;
  • automóvel;
  • vale-combustível;
  • previdência complementar;
  • no dress code;
  • trabalho em home office;
  • auxílio-creche;
  • vale-alimentação.

A lista é longa, portanto, é importantíssimo ter atenção na hora da escolha.

Enfim, agora você está por dentro do tema. Lembre-se de que o benefício certo ajuda a motivar, reforça a cultura e otimiza os resultados da empresa. Após definir a cesta ideal, é importante contar com o apoio da tecnologia. Assim, você poderá automatizar, unificar e simplificar a gestão dos benefícios.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para continuar acompanhando nossas novidades. Estamos nas redes sociais Instagram, LinkedIn e Facebook. Até lá!

ebook_5_praticas_para_motivar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *