Reunião de trabalho: o que não fazer

Reunião de trabalho: o que não fazer

Conheça algumas das piores atitudes que um funcionário pode ter em uma reunião de trabalho, e sabia como lidar com elas

 

A reunião de trabalho é algo extremamente (e para muitos, exageradamente) comum no mundo corporativo, e quem vive imerso nesse universo sabe o quanto pode ser prejudicial agir da maneira errada neste momento. Frequentemente compostos por líderes e profissionais em posição de comando, os encontros para decisões de trabalho podem se apresentar como ótimas oportunidades para se destacar dentro de uma empresa; no entanto, também podem ser o cenário perfeito para causar uma má impressão no ambiente corporativo.

Pesando nisso, o autor Charlie Hawkins escreveu o livro batizado de O Segredo das Reuniões Produtivas, enumerando algumas das piores e menos produtivas atitudes que um funcionário pode ter durante uma reunião de trabalho, e apontando de que maneiras os líderes podem lidar com tais colaboradores, conforme descrito abaixo em alguns pontos importantes abordados pelo especialista:

  • Chegar atrasado
    Não se deve esperar “atrasadinhos” para o início de uma reunião previamente marcada, e convidar o funcionário desatento para participar mais ativamente em uma próxima ocasião do tipo, pode ser uma boa forma de fazer com que sua pontualidade melhore.
  • Repetição de temas resolvidos
    Colaboradores podem seguir abordando assuntos já tratados e, para evitar isso, as anotações dos temas conversados deve ser constantes; possibilitando que seja provada a atenção disponibilizada para o caso anteriormente discutido e o prosseguimento da reunião, com foco em novos tópicos.
  • Competição exagerada
    Competir por atenção é hábito de muitos empregados em busca de destaque, e isso pode constranger alguns colaboradores menos ousados. Propor o brainstorming entre todos, garantindo a validade e importância das ideias de cada colaborador, individualmente, pode ser uma boa saída para não prejudicar o andamento do encontro.
  • Palhaçadas
    Brincadeiras e tirações de sarro devem ser evitadas para que não se perca tempo e produtividade durante reuniões, e os funcionários “palhaços” devem ser alertados de que o momento não é o adequado para tais ações – correndo o risco de ser convidado a se retirar, caso não deixe de atrapalhar o processo proposto.
  • Falta de participação
    Muitos acompanham reuniões sem se envolver no que está sendo abordado, e isso pode privar a empresa de boas ideias e soluções valiosas. Direcionar perguntas a quem se mantém ausente em debates é uma boa pedida para influenciar uma participação e colaboração maior por parte dos mais ausentes.

Imagem: reprodução

 

Clique para avaliar esse post!
[Total: 1 Média: 5]

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Este post tem 4 comentários

  1. lino lia

    Gostei da informacao porque ha funcionarios k passam vida a boicotar reunioes com intuito de prejudicar o chefe e com estas dicas vou conseguir gerir situacoes dentro da organizacao.

    1. Luca Venturini

      Obrigado pelo comentário, Lino!
      Fico feliz que o conteúdo tenha sido útil, e espero que consiga seguir as dicas em sua empresa 🙂
      Um abraço

  2. lino lia

    Gostei da informacao porque ha funcionarios k passam vida a boicotar reunioes com intuito de prejudicar o chefe e com estas dicas vou conseguir gerir situacoes dentro da organizacao.

    1. Luca Venturini

      Obrigado pelo comentário, Lino!
      Fico feliz que o conteúdo tenha sido útil, e espero que consiga seguir as dicas em sua empresa 🙂
      Um abraço

Contribua com este post