Como reter talentos nas empresas? Já conhece o Talent Mobility?

Tempo de leitura: 7 minutos

Reter talentos sempre foi uma tarefa que exige esforço e dedicação das equipes de RH. Com o ingresso de uma grande quantidade de jovens no mercado de trabalho, as expectativas dos colaboradores sofreram mudanças profundas, demandando adaptação da empresa à nova realidade. Esse novo desafio recebeu o nome de talent mobility e se você ainda não entende muito bem como ele funciona, fique com a gente.

Imagine um conjunto de soluções voltadas para engajar e realmente encantar o público interno de uma organização. Agora pense nisso de uma forma totalmente alinhada com as necessidades reais dos profissionais. Essa é a ideia principal do talent mobility.

No post de hoje, você entenderá melhor esse conceito e como você pode utilizá-lo para reter talentos na sua empresa! Ficou curioso? Então venha com a gente e aproveite a leitura!

O que é talent mobility?

Em tradução literal, o termo significa mobilidade de talentos. Seu conceito está embasado na permissão para que os profissionais mudem de cargo ou mesmo de área, desde que essa transição esteja de acordo com as suas habilidades, seu potencial e, claro, seus interesses. Basicamente, essa é uma prática voltada para a adaptação dos jovens profissionais multitarefas, que apresentam interesse e disposição para se desenvolver em várias funções.

A motivação para esse tipo de abordagem é o aumento do engajamento, já que, com a possibilidade de mudar de cargo, os talentos tendem a se manter interessados em crescer na equipe e encarar novos desafios. Eles ganham em termos de crescimento e aprendizado, e a empresa ganha com a alta produtividade e permanência dos profissionais na equipe.

Além disso, o talent mobility demanda uma série de outras políticas que visam estimular essa mobilidade na organização. Com isso, tanto a empresa quanto o colaborador têm a chance de desenvolver o negócio por meio de competências importantes e aprendizados valiosos, inclusive para a carreira individual.

Como utilizá-lo para reter talentos na empresa?

Bem, você já descobriu que a possibilidade de transitar entre cargos é um dos maiores benefícios gerados pelo talent mobility. Mas, será que essa é a única mudança ocorrida por essa abordagem?

Não! Tem muito mais envolvido aí. O talent mobility precisa gerar uma série de possibilidades para que os profissionais se mantenham engajados e tenham chances reais de se desenvolver para conquistar novos desafios no negócio. Portanto, existem algumas ações indispensáveis para usá-lo como uma forma de reter os talentos na empresa. Veja a seguir quais são elas.

Tenha horários flexíveis

É impossível falar em mobilidade sem considerar que os profissionais precisam de duas coisas para isso: flexibilidade e autonomia. As novas gerações têm uma facilidade imensa para aprender e se desenvolver proativamente. No entanto, precisam de alguns estímulos para que isso aconteça. Liberdade para escolher seus horários de trabalho é um deles.

Para isso, a empresa precisa focar em avaliar o desempenho de seus colaboradores com base nos seus resultados e não no número de horas trabalhadas. Assim, o prazo e a qualidade acabam recebendo mais atenção do que o cumprimento da jornada de trabalho, que pode ser desmotivadora quando não está sendo produtiva.

Vale lembrar que, para flexibilizar os horários de trabalho, é preciso se manter atento aos procedimentos legais envolvidos. Se tudo estiver em ordem e de acordo com as políticas da empresa, basta implementar.

Possibilite o trabalho home office

Com horários mais flexíveis, é provável que os profissionais acabem alcançando uma maturidade maior em relação às próprias responsabilidades. Assim, dependendo do tipo de obrigação que eles devem cumprir, a atividade pode ser feita de casa. Com isso, além gerar mais liberdade, a empresa ainda reduz alguns custos com a presença do colaborador no local de trabalho.

Quanto menor for a burocracia e a necessidade de cumprir papéis que não acrescentam no seu desempenho, maior a motivação desses profissionais. Com a liberdade suficiente, eles tendem a se tornar ainda mais criativos e inovadores, trazendo resultados importantes, independentemente da forma como chegaram até eles.

Ofereça bolsas de estudos

O estímulo ao aprendizado e ao autodesenvolvimento é outro fator de engajamento que não pode ser ignorado. Por serem extremamente proativos, alguns profissionais precisam de meios que propiciem a expansão do seu conhecimento. Para tornar tudo ainda mais simples, a empresa tem a opção de buscar alternativas acessíveis e atrativas, por meio do mercado de TI ou de terceiros, como instituições de ensino.

O ideal é oferecer capacitações que abranjam tanto as áreas da empresa, quanto conhecimentos que possam vir a agregar no dia a dia, como autogestão, relacionamentos interpessoais e comunicação assertiva, por exemplo. Para isso, a empresa pode oferecer bolsas parciais ou integrais para o profissional se capacitar, seja por meio de graduações, pós-graduações ou outros cursos, palestras e eventos.

Forneça uma perspectiva de crescimento

Um outro ponto importante é fornecer um futuro atrativo para os colaboradores. Para que eles se interessem e queiram continuar na empresa, é essencial que exista uma perspectiva de crescimento. Muitas vezes, a possibilidade de galgar novos desafios fica limitada às funções horizontais na empresa, não abrangendo o crescimento vertical entre os cargos.

É preciso eliminar a ideia de que, para ser promovido, um profissional precise esperar décadas em uma função. Para os novos colaboradores, é preciso investir em uma dinâmica mais ativa, baseada na meritocracia.

Promova benefícios além dos tradicionais

Para profissionais que estão mais preocupados com o seu desempenho do que com a estabilidade, os conhecidos benefícios de plano de saúde e vale-refeição, apesar de serem básicos e indispensáveis para a retenção de talentos, não são suficientes. É preciso gerar valor, reconhecendo e recompensando esforços por meio de bonificações, prêmios ou participação nos rendimentos.

Além disso, a qualidade de vida deve estar em voga. Algumas empresas apostam em benefícios, como viagens, passagens ou hospedagem, por exemplo. Em alguns locais, é possível até mesmo levar animais de estimação para o trabalho, a fim de aumentar a motivação e reduzir o estresse do ambiente.

Qual a importância de investir em estratégias de retenção de talentos?

Algumas das estratégias citadas podem ser difíceis de implementar e até parecerem distantes da realidade do seu negócio. No entanto, encontrar os talentos certos, devidamente capacitados e com potencial para impulsionar a empresa é uma tarefa bastante difícil de cumprir. Por isso, investir na retenção desses profissionais por meio do talent mobility é muito mais vantajoso do que correr o risco de perdê-los.

A evasão de colaboradores importantes, causa um impacto grande no desempenho da empresa. Além de todo o processo demissional, que envolve custos, ainda é preciso realizar novos esforços para captar, atrair e selecionar outro profissional. Nos casos de novas contratações, a empresa ainda perde certa produtividade durante o tempo de adaptação do novo colaborador, o que impacta as equipes, podendo desmotivá-las.

Por outro lado, quando a empresa investe na valorização e retenção dos seus talentos, sua employer branding se fortalece mediante os candidatos que buscam oportunidades. Dessa forma, fica mais fácil atrair os melhores profissionais e conquistar o respeito dos stakeholders.

Com isso, você já descobriu que investir na mobilidade de talentos é um importante diferencial competitivo, além de ter aprendido algumas técnicas para levar essa realidade para dentro da sua empresa. Por fim, pode entender a importância de reter os talentos-chave para o negócio.

Agora que você aprendeu informações relevantes sobre o talent mobility, que tal entender um pouco mais sobre a retenção de talentos? Confira as nossas 5 dicas para quem não quer perder bons funcionários!

 

banner_post_retencao_de_talentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *