Recrutar bons profissionais é ao mesmo tempo uma das tarefas mais estratégicas para gestores de equipe e também uma das mais trabalhosas.

Escrever uma boa descrição da vaga, criar um portal corporativo para receber currículos, divulgar nas suas redes sociais corporativas e pessoais, pedir indicação para os seus funcionários… Tudo isso é importante, mas pode não ser suficiente para alcançar o melhor candidato para a função. Portanto, é crucial fazer o chamado recrutamento ativo para atrair os melhores talentos.

Recrutamento ativo é o processo de não esperar que os candidatos venham até a sua página e se cadastrem. É ir até os candidatos (que não estão procurando emprego) e abrir um diálogo com eles para avaliar o interesse.

Por que fazer recrutamento ativo?

As estatísticas indicam que cerca de 25% da força de trabalho está ativamente procurando um emprego. Mas eles não necessariamente estão desempregados: podem estar empregados mas procurando ativamente uma nova oportunidade. A maior parte das vagas de trabalho são preenchidas por esse grupo de pessoas.

Você pode baixar gratuitamente a nossa planilha com uma Matriz de Avaliação de Candidatos

Outros 15% da força de trabalho não está procurando um novo emprego, porém tem a intenção de fazê-lo em breve. Podemos dizer que eles estão se preparando para que isso aconteça (atualizando currículo, pedindo indicação para amigos e assim por diante).

E os outros 60% estão empregados e não estão nem pensando em mudar de emprego. Mas isso não significa que nesse grupo não haja gente interessante para a vaga que você abriu na sua empresa, e nem que a sua empresa não seja interessante para essas pessoas. Ou seja: se você quer encontrar grandes talentos é essencial abordar esse grupo de pessoas (que é a maior parte da força de trabalho) por meio do recrutamento ativo.

Recrutamento Ativo

Preparativos

Antes de sair ligando para todo mundo, é importante que você faça um dever de casa. Aqui no Convenia aprendemos que ao preencher os requisitos da vaga, você está pensando racionalmente no que espera dos candidatos. E é nessa hora que você deveria se perguntar: “Onde o meu candidato ideal está empregado hoje?”.

Note que o mindset é diferente de apenas listar as competências e experiências necessárias para a função (algo também importante). A pergunta aqui é especificamente do ambiente de trabalho no qual está inserido o colaborador, do time que ele tem hoje, do salário que ele ganha. É aqui que a estória faz sentido.

Imagine que você faça um job description que contenha, entre outras características, estas aqui:

  • Analista de Marketing
  • Tenha gerenciado campanhas com baixo budget
  • Seja hands on, ou seja, coloque a mão na massa

Se você se perguntar: “Onde o meu candidato ideal está empregado hoje?”, vai fazer sentido se a resposta for: “em uma multinacional”? Com certeza, não. Um analista de multinacional provavelmente trabalhará com agências (não coloca a mão na massa) e tem um orçamento quase infinito. Ele possui outras características superlegais, como capacidade de planejar uma ação, relacionamento com mercado, mas…… não é disso que você precisa.

Já se a resposta for: “Em uma startup em rápido crescimento”, acredito que o perfil esteja mais alinhado.

Entendeu como a história tem que fechar? Essa resposta, quando bem feita, é essencial para você avançar ao próximo passo – o recrutamento ativo de fato.

Dica: Coloque no seu formulário de job description padrão o campo “Onde o meu candidato ideal está empregado hoje?”.

Encontrando os candidatos ideais

Agora que você já imagina onde estão os candidatos, fica muito mais fácil ir atrás deles. Como você já deve imaginar, vamos utilizar o Linkedin para encontrar essas pessoas.

Entre na sua conta do Linkedin e no campo de busca coloque a descrição mais ampla da vaga. No nosso exemplo “analista de marketing”. Filtre a busca apenas para “Pessoas”:

Busca de candidatos no linkedin

Eu não tenho a conta Premium (paga) do Linkedin, que faria essa busca muito mais precisa, porém na versão gratuita é possível atingir o mesmo objetivo. Vai dar um pouco mais de trabalho mas vale a pena 🙂

O próximo passo é definir alguns filtros no menu lateral dessa página de busca:

1) Em Conexões não marque nenhum filtro. Isso torna possível encontrar a pessoa procurada mesmo que ela não esteja em seu círculo de contatos.

2) No filtro Palavras-chave eu gosto de colocar no campo “Cargo” palavras que tenham a ver com a vaga que estou publicando. Não seja muito específico ao ponto de limitar a busca, mas também não seja muito amplo a ponto de tornar a busca imprecisa. Um bom truque aqui é utilizar nomenclaturas que você sabe que são específicas do seu setor: por exemplo, “growth” é uma terminologia utilizada por empresas de tecnologia, portanto, traria muitos candidatos que trabalham neste setor.

Captura de Tela 2017-03-24 às 17.14.41

3) Muito importante filtrar pela Localidade em que seu escritório está. Caso contrário virá gente do mundo inteiro.

Captura de Tela 2017-03-24 às 17.15.01

4) Esse é o filtro mais legal. Nele, você coloca as empresas pelas quais a pessoa passou ou na qual está trabalhando. É aqui que aquela pergunta que nos fizemos durante o desenho da vaga vai ser útil. Coloque todas as empresas que façam a história do seu candidato fazer sentido.

Captura de Tela 2017-03-24 às 17.15.39

 

Ao aplicar todos estes filtros, você verá na área de conteúdo principal da página vários candidatos possivelmente interessantes para você. Agora é hora de entrar em cada perfil e analisar se faz sentido entrar em contato ou não. Na versão paga, você conseguiria filtrar por “tempo de experiência” também. Na versão grátis, você terá que fazer isso entrando em cada um dos perfis.

Próximo passo: Conectar

Achou alguém interessante? Peça para conectar. Você perceberá com o tempo que o processo de recrutamento ativo é útil não apenas para trazer novas pessoas para a sua empresa mas também para ter uma rede de contatos com pessoas interessantes de áreas que são importantes para a sua empresa. Tenha em mente isso quando for iniciar uma conversação ou solicitar uma conexão: não espere APENAS contratar a pessoa. Pode ser que essa conexão te indique alguém. Pode ser que essa conexão venha a trabalhar no futuro com você. Enfim, tenha a mente aberta para o que virá.

A forma que eu acho mais agradável de conectar com pessoas que você não conhece é deixar explícito o seu objetivo. Algo como:

“Olá,

Sou o cofounder do Convenia, uma startup que resolve as dores do RH de pequenas e médias empresas. Nós estamos com uma posição aberta e achei que o seu perfil tem tudo a ver. O que acha de tomarmos um café para eu te apresentar esta oportunidade e entender como está o seu momento de carreira. Mesmo que você não esteja procurando emprego, pode ser que você me ajude indicando colegas seus.

Se tiver interesse, sugira algumas datas.

Abraços,

Marcelo”

Note que nesta mensagem há algumas coisas importantes:

  1. Você precisa se apresentar;
  2. Deixe claro que tem uma vaga aberta e que você já “estudou” o perfil da pessoa – ou seja, ela já pulou uma etapa;
  3. Diga que o seu interesse não é apenas trazer a pessoa para a sua empresa, mas também networking. Isso é especialmente importante, pois essa pessoa provavelmente não está procurando emprego.
  4. Deixe um call-to-action ou seja, estimule a resposta da pessoa: “sugira algumas datas”, por exemplo.

giphy (1)

 

Utilizando este roteiro simples, você ficará impressionado com a eficácia em trazer pessoas ideais para a sua vaga. Teste e aprimore aos poucos o seu processo (ele será único para cada empresa).

Se tiver alguma dica de como você faz recrutamento ativo escreva abaixo nos nossos comentários. E se gostou deste artigo, compartilhe. 🙂

Template Avaliação de Candidatos

Sobre o autor

Marcelo Furtado

Co-fundador e CEO do Convenia.