Processo de desligamento na empresa: 5 dicas para conduzir!

Tempo de leitura: 4 minutos

Cuidar de um processo de desligamento de um funcionário, assim como o de integração no momento da contratação é algo que faz parte das funções de quem atua no segmento – e um dos itens mais delicados de se lidar; tendo em vista a grande quantidade de problemas que podem surgir durante um processo de desligamento de um funcionário. 

Embora o setor de recursos humanos, frequentemente auxilie e esteja envolvido nesse tipo de situação, é impossível que o departamento pessoal não fica de fora, sendo necessária a demonstração de  empatia e controle emocional na hora de agilizar todas as diretrizes referentes à documentação dessa tarefa. 

Ter que lidar com um processo de desligamento não é algo agradável, no entanto, esse processo pode ser facilitado. Aprenda a enfrentar esse e outros problemas com um Manual Completo de Funcionamento do Departamento Pessoal. Baixe GRATUITAMENTE, aqui!

Hoje, vamos mostrar algumas dicas infalíveis para conduzir o processo de desligamento da empresa de maneira suave, prática e menos estressante para todos os envolvidos. 

O que é um desligamento, afinal?

O desligamento é um processo que representa o encerramento de um contrato de trabalho e pode afetar de maneira direta as expectativas da empresa em relação ao empregado e vice-versa. Por esse motivo, é fundamental que a equipe de Recursos humanos esteja preparada para conduzir essa tarefa de maneira mais correta e amigável possível.

Existem diferentes formas de desligamento

Diferente do que muitos podem pensar (e até mesmo acreditar), existem diferentes formas de desligamento. Nem sempre esse processo é definido por um simples pedido de demissão por parte do funcionário, bem como o ato da empresa demitir o colaborador. 

De acordo com o MPT – Ministério Público do Trabalho, há hoje, regulamentadas 5 tipos distintos de desligamento. Apenas para efeito de conhecimento, vamos elencá-los a seguir:

  • Dispensa sem justa causa;
  • Dispensa por justa causa, causada pelo empregado;
  • Pedido de demissão;
  • Término do contrato por ato culposo do empregador: Rescisão indireta;
  • Rescisão por culpa recíproca. 

Qual a diferença entre desligamentos e demissão?

Embora não possa parecer óbvio, os processos de desligamento e demissão possuem algumas nuances de diferença entre si. 

O processo de desligamento, ocorre quando o empregador encerra o contrato de trabalho, literalmente dispensando o trabalhador de suas funções laborais. 

Já o processo de demissão, ocorre quando o trabalhador solicita ao empregador para encerrar o contrato de trabalho, ou seja, ele acaba por se demitir, cortando os vínculos com a empresa. 

Dicas para conduzir um processo de desligamento 

Algo importante de ser colocado é que um processo de desligamento não precisa ser díficil, mas para isso, é  necessário que uma condução adequada seja feita. Mostraremos agora, algumas dicas importantes para conduzir um processo de desligamento da melhor forma possível. 

1. Guarde a informação 

O fato de que um funcionário em específico será desligado é uma informação que só deve ser compartilhada em caso de absoluta necessidade. Caso não exista uma real obrigação de comunicar outras pessoas, é importante guardar a informação, para evitar um mal-estar e um clima ruim na equipe. 

O fato de que um funcionário específico será demitido é uma informação que só deve ser compartilhada em casos absolutamente necessários. Caso não haja uma necessidade imprescindível de que isso seja sabido por outros profissionais, guarde a informação.

2. Defina e oriente e comunicador 

Embora caiba ao RH oferecer ajuda, a responsabilidade de comunicar o desligamento a um funcionário, geralmente cabe ao seu superior direto. Uma vez definido quem será o comunicador, é importante orientá-lo sobre as melhores maneiras de comunicar o colaborador. 

3. Busque um ambiente adequado 

O ambiente onde o colaborador tomará conhecimento sobre seu afastamento deve ser adequado, ou seja, longe de olhares curiosos e de preferência próximo a um toalete, já que é muito comum, em várias ocasiões, haver emoção demasiada  e a necessidade de lavar o rosto, por exemplo. 

4. Escolha um horário adequado 

Não há porque adiar uma notícia se os fatos não sofrerão alterações. Por isso, se for possível, é válido comunicar o desligamento durante o período da manhã. A escolha por esse horário evita reuniões com pressa ao final do dia e ainda dá a oportunidade para que o profissional desligado possa se despedir e passar as pendências aos membros da equipe sem pressa. 

5. Seja respeitoso 

É importante ter em mente que muitos colaboradores ao receber a notícia do desligamento  podem se tornar nervosos e até mesmo inconsoláveis, por isso, tenha em mente de que não se trata de algo pessoal. É importante manter a calma, a tranquilidade e o respeito.

Como citado anteriormente, o processo de desligamento não é fácil, mas é possível torná-lo mais simples e conduzi-lo de maneira mais fácil ao seguir nossas dicas de condução.

Ebook manual do departamento pessoal

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *