Benefícios corporativos: o que é e qual a sua importância?

Tempo de leitura: 16 minutos

Benefícios corporativos são vantagens que uma empresa privada — que atua em sistema corporativo — disponibiliza para seu colaborador, como convênios médicos e odontológicos, auxílio-creche, descontos em academias, livrarias, mercados, farmácias etc..

 

Os benefícios corporativos são cada vez mais utilizados como uma ferramenta de sucesso pelas grandes empresas. Visto que esse fator é fundamental na promoção do bem-estar e qualidade de vida dos colaboradores, o seu uso pode ajudar as empresas a manter boas equipes de trabalho, afinal, é valorizando o capital humano que as metas organizacionais são alcançadas mais facilmente.

Nesse sentido, o foco na avaliação dos colaboradores e em seu desenvolvimento deve ser uma prioridade na hora de compor um pacote de benefícios corporativos, tendo em mente que a escolha de tais facilidades deve ir sempre ao encontro dos objetivos e estratégias elaborados pela empresa.

Portanto, manter a competitividade e o sucesso de uma organização passa diretamente pela necessidade de oferecer um pacote de benefícios aos funcionários, de modo a garantir a sua permanência e promovendo, assim, a manutenção de equipes qualificadas e eficientes. Dessa forma, a retenção de bons profissionais representa, em muitos casos, a diferença entre o sucesso e o fracasso de uma empresa.

Não sabe como fazer a gestão de benefícios corporativos? Com o Convenia você contrata benefícios corporativos com a melhor cotação do mercado, e  faz a gestão de forma integrada, ganhando agilidade e praticidade para o seu DP. Saiba mais aqui!

Colocar em prática os benefícios corporativos para alcançar resultados satisfatórios exige um planejamento adequado e eficiente. Quer saber como implementar em sua empresa? Então, continue sua leitura e entenda mais sobre o assunto!

O que são benefícios corporativos?

Benefícios corporativos são vantagens que uma empresa privada — que atua em sistema corporativo — disponibiliza para seu colaborador, como convênios médicos e odontológicos, auxílio-creche, descontos em academias, livrarias, mercados, farmácias, benefícios de assistência, ou seja, ajuda disponibilizada no cuidado com idosos ou crianças, entre outras possibilidades.

A cada dia, as empresas vêm se dando conta de que existe muito mais vantagem em treinar bem e fidelizar um colaborador por meio de benefícios corporativos do que estar constantemente capacitando novos profissionais.

Qual a importância dos benefícios corporativos dentro da empresa?

Uma empresa que oferece um bom pacote de benefícios entende e valoriza a importância dos seus colaboradores para o bom desempenho de suas atividades. Ao colocar o bem-estar geral em evidência, é possível observar um aumento significativo da satisfação, além da lealdade à empresa.

O salário já não é o interesse principal dos profissionais. As maiores vantagens que a empresa pode ofertar estão entre os chamados benefícios corporativos. O exemplo mais eficiente se encontra na área da saúde. Imagine que você precise se consultar com um médico. Por não ter um convênio, essa consulta pode sair cara; se você buscar os serviços públicos, ela pode demorar devido à longa lista de espera que existe. Sendo assim, uma empresa com convênio médico apresenta uma vantagem bem maior que aquelas que ofertam apenas o salário, ainda que este seja mais alto.

Nesse sentido, oferecer a oportunidade de ter acesso a médicos das mais diferentes especialidades pode gerar o conforto e tranquilidade nesses momentos de tensão, impactando o mínimo possível a produtividade desse colaborador. Além disso, você pode aplicar esse exemplo para consultas odontológicas, ortopédicas, psicológicas, entre outras; ou mesmo a serviços de descontos em academias, livrarias, restaurantes, lojas virtuais etc.

Quais são as vantagens dos benefícios corporativos para a empresa?

Antes de qualquer coisa, é importante conhecer os interesses dos colaboradores, saber mais ou menos quais são seus perfis, hobbies, rotinas de compras e momentos de lazer. Estando de posse dessas informações, fica mais fácil escolher um pacote de vantagens para aplicar na empresa. Listamos logo abaixo algumas das vantagens que uma contratação de benefícios pode gerar para a sua empresa:

Engajamento de funcionários 

Para cada estrutura, cultura e clima organizacional existem benefícios diferentes que se encaixam melhor quando o assunto é motivar os funcionários. A escolha certa do que será oferecido resulta em colaboradores mais satisfeitos, destressados e com melhor qualidade de vida, implicando diretamente na sua relação com o trabalho e produtividade.

Crescimento da empresa

O resultado de profissionais talentosos e engajados é o sentimento de ownership e uma série de melhoras na forma como as demandas estão sendo conduzidos, tanto do ponto de vista tático como operacional.

Recrutamento e Seleção

Um job description bem elaborado contando, entre outras coisas, os principais benefícios oferecidos aos funcionários atrai mais pessoas. Contratando benefícios como bolsas de estudo para especialização, graduação, pós-graduação ou cursos de idioma você consegue atrair ainda mais a atenção dos profissionais disponíveis no mercado que desejam buscar mais conhecimento e que já oferecem um bom indício de que serão colaboradores em busca de evolução profissional.

Employer Branding

As vantagens oferecidas para os funcionários fazem parte dos fatores que o farão gostar de trabalhar na empresa e que também se reflete na imagem que eles vão passar da sua empresa, seja no mundo online ou no offline. É claro que existem muitos outros fatores importantes, como o clima do ambiente de trabalho, a cultura organizacional, plano de cargos e salários etc., mas em um mercado cada vez mais competitivo por espaço e por especialistas, os benefícios podem exercer papel decisório na escolha feita pelo profissional fora da curva.

Retenção de Talentos

A escolha estratégica dos benefícios que serão oferecidos ajudam no desenvolvimento pessoal e profissional do colaborador, o que faz com que ele se sinta valorizado pela empresa e veja ali mais motivos para querer continuar na organização.

Economias

Existem benefícios oferecidos através de parcerias que estão ligados ao desenvolvimento de soft e hard skills, isso faz com que as pessoas ávidas por crescimento desfrutem desse oferecimento e evoluam ainda mais nas suas demandas. Além disso, a economia també está diretamente ligada à retenção de talentos, já que serão menos rescisões contratuais, treinamentos e eventuais processos jurídicos para se preocupar.

Principais erros na gestão de benefícios corporativos

Os benefícios corporativos são os pilares da motivação e satisfação no trabalho por parte dos colaboradores. De modo que gerir de maneira eficiente os benefícios corporativos não pode ficar em segundo plano: pelo contrário, deve ser prioridades na área de Recursos Humanos.

Entretanto, existem erros comuns no que compete a benefícios corporativos que são repetidos por empresas de pequeno, médio e grande porte. Apelidamos tais erros de “Os 7 Pecados Capitais dos Benefícios Corporativos” e decidimos lançar luz sobre suas consequências e como evitá-los:

Pecado 1: Não levar em consideração o perfil dos colaboradores para contratar os benefícios

Cada empresa possui uma cultura organizacional diferente e, como consequência, um perfil diferente de colaboradores. Escritórios de advocacia tendem a cultivar um ambiente sóbrio e austero, enquanto produtoras de filmes são normalmente descontraídas e informais.

Portanto, é de se esperar que os profissionais de cada empresa se motivem por benefícios distintos, alinhados com seus respectivos perfis.

Além de fortalecer o engajamento com o quadro corrente de colaboradores, selecionar benefícios congruentes com a cultura organizacional também serve no sentido de atrair o tipo certo de profissional para a sua empresa quando uma vaga for aberta. Já falamos aqui sobre a importância crucial de contratar os candidatos compatíveis com a cultura da sua empresa.

Pecado 2: Não atualizar informações sobre colaboradores

O diretório de colaboradores das empresas que não utilizam um software de gestão e controle de Departamento Pessoal costuma ficar em uma planilha de Excel.

Não raro alguma informação sobre um colaborador muda e o novo dado não é computado na planilha. Se a mudança for o endereço do profissional, a empresa que não alterar o dado na planilha não sofrerá consequências grave. Porém, se o colaborador tiver um filho e o fato passar despercebido na planilha — e, por consequência, esse filho não for incluído como beneficiário no plano de saúde –, a empresa terá danos.

Pecado 3: Não fazer solicitação de benefícios logo que um colaborador é admitido

Um processo de admissão, também conhecido como onboarding, bem conduzido faz diferença no engajamento e visão que o novo colaborador carrega da empresa. Há uma série de práticas do onboarding que são de atribuição do RH estratégico, como apresentação do novo funcionários à história e valores da organização (bem como aos seus colegas de trabalho) e feedback nos primeiros meses.

Mas existem algumas, não encaradas com a mesma atenção, que são dever do Departamento Pessoal, dentre as quais se encontra a possibilidade de usufruir dos benefícios corporativos logo ao entrar na empresa.

É mais trivial do que deveria testemunhar um novo colaborador que demora de três semanas a um mês para receber Vale Transporte ou Vale Refeição, e que, portanto, precisa gastar de seu próprio dinheiro para almoçar e se locomover ao trabalho no início.

Pecado 4: Não cortar benefícios logo que um colaborador é desligado

Não apenas quando um colaborador é integrado à organização que o RH estratégico deve se preocupar em conduzir o processo de forma harmônica. Mesmo quando alguém é desligado, por qualquer motivo que seja, a empresa deve se preocupar em transmitir uma imagem profissional e séria.

Contudo, em relação ao que cabe ao Departamento Pessoal no processo de desligamento, o pecado não está ligado à reputação organizacional, mas ao aspecto financeiro: não cortar os benefícios corporativos do colaborador imediatamente quando ele é desligado.

Imagine que o colaborador X é desligado da empresa e cumpre aviso prévio de um mês. Ao final desse período, o analista de Recursos Humanos esquece de retirar o nome do colaborador X da planilha de Excel usada para fazer a gestão de benefícios da empresa, de modo que X continue recebendo créditos em seu Vale Refeição e Vale Transporte.

Agora imagine isso acontecendo com vários colaboradores, cujos nomes não são retirados da planilha por esquecimento ou erro manual. Quanto dinheiro a empresa está desperdiçando com esse tipo de equívoco?

É por isso que o quarto pecado em Benefícios Corporativos acarreta um ônus financeiro tão grande, mas sorrateiro, nas empresas “pecadoras”.

Pecado 5: Confiar que a operadora de benefícios está sempre certa

Esse se parece com a falha (cometida por muitos RHs) de terceirizar todo o seu Departamento Pessoal para um escritório contábil. Confiar que a operadora de seguros/benefícios está sempre certa é um perigo para a empresa, pois se acontecer algum erro de creditação por parte dela, é da empresa que o colaborador vai cobrar.

Dentre os exemplos mais usuais desse pecado, podemos destacar a creditação de saldo errado no Vale Transporte dos colaboradores. Se o valor creditado for menor do que o devido, o colaborador não poderá exercer o gozo pleno de seus direitos e, como consequência, ficará insatisfeito; se o valor creditado for maior do que o devido, a empresa estará gastando inadvertidamente um dinheiro não previsto.

Existem casos nos quais esse pequeno gasto “extra” com um benefício se torna um perigoso ralo sugador de dinheiro no longo prazo.

Pecado 6: Não confirmar a cobertura do Seguro de Vida

Muitas vezes, o RH envia a proposta de emprego para o novo funcionário e não informa a cobertura para seu nível de cargo. O valor da cobertura costuma ser estipulado em função do salário do colaborador: diz-se que o colaborador X tem uma cobertura de Seguro de Vida igual a 24 vezes o valor de seu salário.

É importante verificar se o múltiplo salarial não ultrapassa o limite determinado na apólice e também se há necessidade de Declaração de Saúde, pois nesse caso o seguro poderá ser negado diante de algumas doenças ou condições de saúde portadas pelo colaborador, como hipertensão, diabetes ou sobrepeso.

Pecado 7: Não informar ao colaborador o seu nível de plano

Quanto mais informado for o colaborador a respeito dos benefícios que recebe, mais seguro e satisfeito ele vai se sentir. A condição acima é ainda mais forte se estivermos falando sobre o Seguro Saúde – já que se trata de um assunto delicado.

É essencial apresentar ao funcionário um resumo de rede credenciada do plano de saúde e também qual é o seu nível de acomodação (enfermaria ou quarto privativo, por exemplo) para que em caso de emergência ele se dirija ao prestador correto o mais rápido possível.

Quais são os principais benefícios oferecidos pelas empresas?

De modo geral, oportunidades para uma melhor qualidade de vida — incluindo vantagens em redes de academias, terapias especiais, ajuda na solução de problemas corriqueiros e ofertas de entretenimento — estão entre as opções que podem fazer parte de planos de benefícios oferecidos por grandes empresas.

Benefícios como auxílio creche, flexibilidade de horário, seguro odontológico, bolsas de estudo e estacionamento gratuito são alguns dos benefícios mais oferecidos pelas empresas brasileiras, ao passo que plano odontológico, subsídios de alimentação e lazer estão nas listas dos benefícios mais desejados.

Também é possível ampliar os benefícios oferecidos para os funcionários sem aumentar o budget (é uma boa forma de engajar mais a equipe e, por consequência, melhorar a produtividade), como é o caso do conforto de um dress code da empresa casual, flexibilidade de horário de trabalho, tempo de folga etc..

Facilidades para a execução de cursos de longa e curta duração em universidades e para o aprendizado de novas línguas em escolas também fazem sucesso nos pacotes de benefício corporativo, já que ajudam no desenvolvimento do funcionário e resultam no aprimoramento profissional, impactando positivamente o desempenho da empresa.

Avalie os melhores benefícios corporativos a serem oferecidos

Saber quais são os melhores benefícios é uma tarefa complicada. Cada colaborador tem suas próprias formas de lazer, suas rotinas e rituais diários. Pressupor que todos compartilhem o mesmo interesse é reduzir demasiadamente as características individuais a um todo simplificado.

Saber ouvir

O passo mais acertado nesse caso é envolver os próprios colaboradores na escolha de seus benefícios. Questionar, ouvir e aplicar são conceitos importantes em uma empresa verdadeiramente democrática, sendo assim, os integrantes principais devem fazer parte da tomada de decisões.

Pessoas que têm filhos e aqueles que contam com familiares adoecidos em casa terão uma perspectiva desses benefícios, assim como aquele colaborador solteiro que não tem a responsabilidade de sustentar os filhos terá uma outra. Ouvir todos é essencial, pois dar a voz a quem quer falar é o primeiro mandamento de um espaço em que todos são iguais.

Oferecer flexibilidade

Benefícios que englobam aqueles que preferem trabalhar na modalidade home office também estão se tornando muito populares. O trabalho que dispõe de certa autonomia está sendo cada vez mais valorizado, pois, além de permitir que o próprio trabalhador se sinta mais confortável ao se desenvolver profissionalmente no local de sua preferência, também possibilita uma economia substancial para a empresa.

Desta forma, os benefícios oferecidos podem ser também horários mais flexíveis, pausas para recarregar as energias, conforto no local de trabalho, entre outros. A prática do home office cresce com a diversificação do mercado de trabalho e, para que se entre em contato com bons profissionais, é necessário antes abrir espaço para que os mesmos apareçam.

Cuidar do ambiente de trabalho

Outra reclamação comum e que pode desaparecer se tratada com o benefício corporativo correto é o próprio espaço de trabalho. O estresse nos colaboradores pode se apresentar nas mais diversas roupagens, como o tédio por um ambiente desconfortável, a falta de cores nas paredes ou a pouca liberdade destinada aos processos criativos.

A criatividade é um elemento essencial na manutenção do interesse do indivíduo pela tarefa que ele desempenha, e isso deve ser usado na escolha dos benefícios. Não é novidade para ninguém que pessoas que trabalham felizes ou que estão contentes com o seu trabalho são mais produtivas e, consequentemente, auxiliam a sua empresa a atingir os seus objetivos.

Assim sendo, o sucesso dos benefícios corporativos pode ser explicado pela melhoria do desempenho dos funcionários, que passam a ter uma motivação maior no trabalho e, com isso, criam um vínculo maior com a organização. O resultado desse investimento é a garantia de poder contar com funcionários satisfeitos. Consequentemente, a diminuição da rotatividade de pessoal acontece.

O que achou das informações que apresentamos? Caso tenham sido úteis, aproveite e leia também nosso artigo sobre os erros mais comuns que são cometidos pelo RH quando o assunto é benefício corporativo!

Contrate plano de saúde com o Convenia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *