Flexibilidade de horário: como fazer durante o coronavírus?

Flexibilidade de horário: como fazer durante o coronavírus?

Tempo de leitura: 6 minutos

Atualmente, podemos ver dois lados de uma mesma moeda: a empresa querendo produtividade e resultados, e o colaborador desejando manter o emprego e acumulando atividades do lar e outras responsabilidades. Uma das soluções? A flexibilidade de horário.

A pandemia pede um toque de sensibilidade e compreensão de imprevistos. Afinal, os colaboradores com filhos passam a conviver diariamente com os pequenos, possíveis sintomas da Covid-19 podem gerar preocupação, idas à farmácia são mais frequentes, entre outras questões.

É um cenário complicado, mas como trabalhar o momento e controlar a produção? Como a flexibilidade de horário pode ajudar a manter um padrão? Veja neste artigo!

Como está o panorama de trabalho em meio à pandemia de Coronavírus?

Com a Covid-19, o home office se tornou um modelo quase que obrigatório, isso de forma repentina. Muitas empresas já trabalhavam no sistema e não enfrentaram grandes problemas, mas quem não praticava essa modalidade teve que arranjar um jeito de se adaptar.

Apenas serviços essenciais, como supermercados, farmácias e outros semelhantes, podiam realizar o trabalho presencial há pouco tempo. Assim, o Governo Federal recomendou o teletrabalho às diversas empresas que realizam serviços não essenciais.

Como as empresas estão se adaptando ao momento?

A melhor forma de manter um padrão de produtividade sem a presença de colaboradores é a implementação da tecnologia. Por meio de aplicações digitais, o gestor pode controlar toda a gerência, produzir relatórios, acompanhar expedientes e executar as rotinas, como as de departamento pessoal.

A adaptação repentina faz com que tanto os serviços essenciais como os demais flexibilizem os horários para aumentar a prevenção contra o vírus e manter os colaboradores a distância.

O que está previsto para o período pós-pandemia?

Como muitos setores não podem parar, a escala tem sido uma medida no momento. Ainda, há estudos legislativos que objetivam a flexibilização de horários da indústria, do comércio e dos serviços após a pandemia.

Pelo lado médico, não há definições sobre picos, reinfecções e vacinas. Então, essa é uma questão para ser analisada com o passar do tempo, devendo o gestor acompanhar noticiários e estudos sobre o momento atual.

Como se adaptar à necessidade de flexibilidade de horário?

O sistema home office, apesar de ser observado com receios, pode representar uma excelente oportunidade tanto para gestores como para colaboradores. A partir do momento em que você adere a esse modelo, começa a notar os seus benefícios.

Uma das primeiras formas de otimizar esse controle e adaptar a gestão empresarial para o home office é estruturar o serviço por atividades. Dessa forma, a produtividade do funcionário é priorizada em relação ao cumprimento de horários. Veja os benefícios desse modelo para a empresa.

Aumento da produtividade

Por incrível que pareça, adotar um horário flexível e oferecer liberdade ao funcionário colabora com o aumento da produtividade. Em vez de estabelecer horários rígidos de entrada e saída, basta impor prazos e limites para as entregas de atividades.

Eliminação de problemas com atrasos

A flexibilidade também é importante para fugir do rígido controle de horas que exige do analista de RH cálculos específicos para descontos em atrasos ou um controle extra do banco de horas.

Nesse caso, o próprio colaborador se organiza para iniciar e finalizar o trabalho, independentemente de dia e horário. O objetivo é apenas que se respeitem os prazos das atividades.

Conformidade com a lei

A Lei n.º 13.467, de 13 de julho de 2017, trouxe algumas adequações importantes referentes às relações de trabalho. Entre as possibilidades, há o regime de teletrabalho, conhecido como home office, que permite a flexibilidade de horário.

Por que cada vez mais empresas priorizam o planejamento para oferecer um horário flexível de trabalho?

Não é de hoje que o horário flexível de trabalho é um dos aspectos mais importantes para o funcionário brasileiro, que busca cada vez mais qualidade de vida por meio do equilíbrio entre o dia a dia pessoal e profissional.

No entanto, nem todas as empresas que já se deram conta dessa necessidade por parte de seus colaboradores sabem, de fato, como oferecer a possibilidade do horário flexível de trabalho, o que confunde a cabeça de líderes e gestores que buscam harmonia e sinergia entre os seus subordinados.

Para que a flexibilidade de horários não se torne um bicho de sete cabeças, confira, a seguir, algumas práticas e soluções simples para implementar esse benefício em uma empresa de forma simples e eficiente.

Horário variável

Há companhias que determinam períodos específicos em que a presença do funcionário é obrigatória na empresa, deixando que o colaborador faça a sua decisão em relação ao restante do dia, podendo optar pelo trabalho móvel, por exemplo. Outra opção válida permite que o empregado escolha o seu próprio horário de trabalho, devendo, como única regra, completar 40 horas semanais de serviço.

Compensação de horas (por acordo individual)

É mais comum em empresas que praticam a jornada inglesa (de 48 horas semanais). Permite que o empregado trabalhe mais horas de segunda a sexta-feira para ter os sábados de folga. O acordo deve ser feito entre empregado e empregador de forma individual e por escrito.

Compensação de horas (por banco de horas)

Funciona em empresas que adotam o sistema de débito/crédito de horas, permitindo que os períodos que o funcionário acumula sejam compensados quando for do seu desejo, abatendo-os dos créditos do seu banco de horas.

Quais os cuidados necessários com a flexibilidade de horário?

Há uma série de cuidados essenciais para manter um mínimo de viabilidade para a produção. Lembrando, principalmente, que o trabalho em equipe deve ser preservado e equilibrado em relação ao serviço individual.

Dessa forma, ter turnos muito diversos para cada colaborador pode prejudicar a comunicação e o andamento de determinadas atividades. Assim, o ideal é buscar um expediente comum às equipes para manter a integração do trabalho.

A busca da produtividade deve valorizar o objetivo empresarial, mas não é possível se esquecer da qualidade de vida e dos períodos de descanso do funcionário. Assim, deve ser estudada de forma equânime.

Viu como a flexibilidade de horário é um assunto essencial para a produtividade da empresa? Neste artigo, você compreendeu o momento vivido a partir da pandemia de coronavírus e as medidas necessárias para flexibilizar o expediente da equipe.

Então, gostou do nosso artigo? Aproveite a oportunidade e curta a nossa página no Facebook para acompanhar notícias quentes sobre a digitalização de sua gestão de pessoas em meio à pandemia!

Portal: Notícias Convenia Covid-19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *