Linguagem corporal no trabalho: análise de candidato e equipe

Linguagem corporal no trabalho: análise de candidato e equipe

Linguagem corporal no trabalho: análise de candidato e equipe

Diversos fatores podem influenciar na comunicação dentro de uma organização. Seja a cultura de cada indivíduo, a cultura da própria empresa, as tecnologias utilizadas, o contexto, dentre outros. No entanto, a linguagem corporal no trabalho compõe a maior parte da comunicação entre os colaboradores.

Se for bem aproveitada, esse tipo de linguagem pode impactar positivamente e ser motivo de sucesso em equipes, liderança, na execução de projetos e na empresa como um todo. Não só isso, mas também pode ser uma grande ferramenta para a análise de candidatos no processo seletivo. Para descobrir como ela pode ser vantajosa no ambiente de trabalho, é só continuar acompanhando a leitura!

O que é a linguagem corporal?

A linguagem corporal é aquela em que o que conta não é a comunicação verbal. Ou seja, ela é composta pelos gestos e expressões que um indivíduo demonstra com seu corpo. Para aqueles que estão nos observando, a postura corporal é capaz de transmitir como estamos nos sentindo.

Apesar de passar despercebido por muitos, a postura, distância do interlocutor, movimento dos olhos e até mesmo como as mãos estão reagindo, são ferramentas que o corpo utiliza para se comunicar e podem inclusive comunicar algo que não queremos. Por isso, é preciso sempre prestar atenção em tudo o que fazemos e como reagimos com nosso corpo.

Esse tipo de linguagem foi estudado por muitos cientistas. Afinal, a linguagem do corpo é uma das formas mais antigas e naturais dos seres humanos se comunicarem. Albert Mehrabian, por exemplo, realizou uma pesquisa e chegou a conclusão de que 7% da comunicação dos seres humanos é através das palavras e a linguagem corporal é responsável por 55%. 

Com isso, não há dúvidas de que essa linguagem é de extrema importância dentro do ambiente de trabalho. Ela pode ser um diferencial não só para os profissionais avançarem em suas carreiras, mas para que os gestores utilizem na escolha dos melhores candidatos para uma vaga e para avaliação de sua equipe. Veremos mais sobre a influência dessa linguagem no ambiente de trabalho nos próximos tópicos. Continue acompanhando!

Influência da linguagem do corpo no clima organizacional

Já abordamos aqui o quanto a linguagem corporal pode afetar diferentes fatores dentro de uma empresa. É sempre importante lembrar o papel que uma boa comunicação tem no clima organizacional. Se a postura do corpo faz parte da maior porcentagem de comunicação entre as pessoas, ela deve receber uma atenção redobrada para ser aprimorada e para melhorar o engajamento de toda a equipe. Consequentemente, isso pode impactar positivamente a produtividade e os resultados dos negócios

Afinal, uma boa comunicação permite que a equipe esteja mais alinhada, promovendo relações mais transparentes e sem ruídos. Todos esses fatores contribuem para um melhor clima na empresa. Por exemplo, um funcionário que está sempre com uma postura tensa e preocupada pode prejudicar o dia a dia no ambiente de trabalho. Ele irá passar preocupação para os colegas de equipe, atrapalhando a performance e a concentração de todos. 

Pense também nas situações em que um líder tem dificuldades para olhar diretamente no olho dos integrantes de sua equipe. Isso pode afetar a construção da confiança e atenção, fatores essenciais para uma liderança de sucesso e para fazer com que os colaboradores atinjam melhores resultados. Portanto, a linguagem corporal tem grande importância no clima organizacional e pode impactar diferentes aspectos no ambiente de trabalho. 

Benefícios da leitura corporal no processo de recrutamento e seleção

A linguagem corporal também tem relação com outro processo fundamental dentro das empresas: o recrutamento e seleção. A leitura corporal é uma das ferramentas que os gestores podem utilizar para tomar decisões ao precisar escolher os melhores candidatos para ocupar uma vaga em aberto. Por meio de uma análise,  é possível identificar aspectos importantes em relação ao candidato, fornecendo indicações sobre fatores como nível de engajamento, habilidades interpessoais, dentre outras. 

Talvez a dúvida de muitos seja: e se o indivíduo controlar suas ações e seguir um roteiro já preestabelecido? A verdade é que por mais que o profissional tente controlar suas reações, muitas vezes o corpo age de forma instintiva, reagindo de forma tão natural que não há como evitar.

É neste momento que o recrutador entra em ação para observar os sinais, que podem durar poucos segundos. No entanto, essas informações serão úteis e fundamentais para interpretar o que o candidato está sentindo, como ansiedade, confiança, nervosismo, etc. Ou seja, a linguagem corporal é capaz de fazer com que o recrutador tenha indicadores da personalidade do indivíduo.

Por exemplo, caso uma pessoa sente na ponta da cadeira durante uma entrevista, isso pode indicar que ela está com pressa ou ansiosa, prejudicando em seu resultado. Já se ela sentar normal, com todo o corpo apoiado, a impressão do entrevistador será outra. 

É por isso que a leitura corporal pode ser uma ferramenta de RH estratégica que auxilia na escolha dos colaboradores que irão completar o time da empresa. 

Como fazer a leitura corporal da equipe?

A leitura corporal pode ser analisada a partir de alguns fatores. Veja agora as dicas para interpretá-los na equipe:

1. Toque

Um dos pontos a observar na linguagem corporal de sua equipe é o contato físico, ou seja, o toque. Ele é uma das formas de se expressar que pode ser utilizada com eficácia. Veja abaixo algumas dicas do que é preciso analisar:

  • Os colaboradores não devem se aproximar de um colega de equipe e tocá-lo com intimidade sem que o outro permita essa liberdade. “Tapinhas” no ombro, dedo apontado e outros toques não devem ser feitos com frequência (ou nunca). Afinal, muitos se incomodam com essas atitudes, podendo afetar o clima da equipe;
  • Entrevistas, conversas e negócios devem ser finalizados com um aperto de mão. O aperto firme é uma forma de mostrar que foi feito um combinado e até mesmo marcar o início de algo. Uma pessoa que aperta a mão colocando a própria mão sobre a da outra pessoa, mostra que está tentando dominar o ambiente, demonstrando confiança e iniciativa. No entanto, um perfil assim pode trazer problemas com superiores;
  • O toque deve ser utilizado para cumprimentar os colegas de equipe;

2. Contato visual

É muito importante que os colaboradores mantenham o contato visual durante as conversas. Seja um líder ou colega de equipe, o ideal é que o colaborador olhe no olho da pessoa, pois demonstra atenção e interesse. Contudo, eles precisam tomar cuidado com o olhar para não fazer um olhar desafiador ou transmitir outra emoção imprópria para a conversa.

3. Postura

A forma como uma pessoa anda, se levanta, a posição que mantém as costas e a postura como um todo, também pode dizer muito sobre ela. É fundamental manter uma postura adequada, principalmente em ocasiões em que o colaborador deve se comunicar com outras pessoas e até mesmo diante de um auditório, reunião, etc. Por exemplo, se a pessoa tem uma postura de ombros caídos, coluna encurvada, mesmo que ela fale palavras de otimismo, a mensagem não irá passar o efeito desejado. 

É importante observar também se o colaborador faz gestos desnecessários com as mãos, como esfregá-las constantemente. Isso pode demonstrar nervosismo e ansiedade. O ideal é que ele mantenha as mãos ao lado do corpo e não mexa os dedos toda hora.

4. Sorriso

Por fim, temos o sorriso, que é uma forma positiva de expressão corporal. No entanto, também é possível fazer a leitura dele para saber se é espontâneo ou forçado, pois pode acabar sendo um sorriso bajulador. Os sorrisos devem ocorrer na medida do possível, pois eles podem fazer uma grande diferença nos diálogos.

Linguagem corporal negativa

Veja abaixo o que pode ser negativo na linguagem corporal no trabalho:

  • Olhar sem parar para todos os lados e balançar muito os pés ao sentar, pois mostra nervosismo e ansiedade;
  • Gesticular demais ou de menos. É preciso ter moderação;
  • Sentar-se muito à vontade na cadeira ou ficar se espreguiçando;
  • Olhar para o relógio constantemente. Isso mostra que a pessoa está com pressa e quer ir embora logo. Esse comportamento negativo pode mostrar que a pessoa não gosta de trabalhar ou que está achando uma reunião cansativa e chata;
  • Dar as costas às pessoas. Mesmo durante apresentações, o profissional precisa procurar um meio termo para não ficar de costas para quem está assistindo. Isso pode fazer com que o público se distraia, se desligue. Afinal, o apresentador não estará se dirigindo às pessoas;
  • Rir alto demais e dar gargalhadas no ambiente de trabalho. Lembre-se sempre que os colaboradores precisam ter moderação. Um líder, por exemplo, não será levado a sério se fizer piadas a todo momento e não souber identificar o momento correto para ser descontraído ou não.

Agora você já sabe analisar grande parte dos fatores que podem ser analisados na linguagem corporal dos candidatos ou da sua própria equipe. Para descobrir outros meios de melhorar o clima organizacional, você pode baixar o nosso ebook gratuito. Nele, você irá mensurar o nível do clima atual e quais são as estratégias para melhorá-lo. Não deixe de conferir!

New call-to-action

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post