TikTok no RH: como usar para recrutamento e seleção!

O TikTok ultrapassará redes sociais consolidadas no número de usuários da geração Z. De acordo com dados da eMarketer, o Instagram ficará para trás em 2023 e o Snapchat em 2025. O que isso significa para as empresas? Que os novos profissionais estão presentes nessa ascendente rede social. Por isso, já se fala em como utilizar o TikTok no RH.

Mas qual é a ligação entre o setor de recursos humanos e a rede social? Por que a geração Z é importante para as empresas? Como usar o TikTok para atrair talentos para o processo de recrutamento e seleção? Confira as respostas nos próximos tópicos!

TikTok no RH, como funciona a ferramenta Tiktok Resumes?

O TikTok está caindo na graça dos jovens profissionais. Afinal, é uma rede social dinâmica, rápida e fácil – a cara da geração Z.

Ao acessar essa mídia, encontramos muitos influenciadores dando dicas sobre carreira, mercado de trabalho e tecnologias importantes para profissionais. Além disso, o TikTok se tornou um fórum de debates sobre trabalho, gerando um acervo de temas interessantes e atuais.

Para estruturar esse viés profissional, a rede social lançou o TikTok Resume. Por meio desse recurso, os usuários buscam vagas e se candidatam para empregos de uma forma bem inovadora e criativa: vídeos que apresentam qualificações profissionais, experiência acadêmica, habilidades e competências.

Como ainda é um projeto piloto, a nova ferramenta está disponível apenas para algumas empresas americanas. Após os testes, a intenção é que o TikTok possa ser usado pelo RH das organizações mundiais para se aproximar e contratar profissionais alinhados com a cultura organizacional da empresa e os requisitos das funções internas.

Mas por que o Tiktok está investindo em recrutamento e seleção?

Ainda de acordo com a pesquisa da eMarketer, o TikTok alcançará a marca de 37,3 milhões de usuários da geração Z ainda em 2021. Vale lembrar que esse grupo engloba os nascidos entre 1997 e 2012, sendo, portanto, os novos talentos do mundo empresarial.

Fazendo uma comparação com o Linkedin (a maior rede social profissional do momento), notamos que apenas 19% (dados do estudo “Linkedin: distribution of global audiences 2021”, feito pela Statista) dos seus usuários se encontram na faixa etária da geração Z. Sim, a maior parte do público do Linkedin é formado por profissionais mais velhos.  

O que o TikTok fez foi abrir os olhos para a grande oportunidade que tem em mãos: se tornar a rede social mais utilizada e amada pelos novos profissionais. Garantindo assim a sua coroação para os próximos anos. E nesse cenário tão promissor, nada mais inteligente do que focar na área de recrutamento e seleção.

Qual a importância da Geração Z para o meu negócio?

Estamos na era da transformação digital – isso é um fato indiscutível. O investimento no desenvolvimento e implantação de tecnologias para as empresas foi potencializado por necessidades inerentes da pandemia do Covid-19, como a migração das equipes para diversas estações de trabalho.

Ao olharmos para o futuro, vemos um ambiente corporativo desenhado por aplicações inovadoras, modelos e jornadas de trabalho flexíveis. Nesse cenário disruptivo e tecnológico, a geração que mais se encaixa é a Z.

Esse público não precisou se adaptar às mudanças da transformação digital, pois já nasceram e cresceram nessa era. Por isso, são chamados de nativos digitais. Além de superconectados, a geração Z tem perfil inovador, são guiados pela experiência, tem facilidade em se adaptar a cenários repentinos e desafiadores.

Quais as vantagens da ferramenta para os recrutadores?

Além de atrair um público jovem, as empresas que incluírem o TikTok no RH conseguirão um processo seletivo mais humanizado. Como assim? Diferente do Linkedin que exige uma postura estritamente formal, o TikTok dá margem para os profissionais mostrarem sua criatividade e autenticidade.

Longe de denegrir a seriedade dos processos seletivos, a rede social aproximará recrutadores e candidatos por meio da transparência. Seria como “tirar as máscaras” que foram padronizadas pelas exigências corporativas e dar a oportunidade de os profissionais vestirem a própria essência.

Essa possibilidade passa longe dos tradicionais currículos e plataformas de emprego. Sendo assim, o TikTok Resume surge como a realização de um sonho de muitas empresas: encontrar candidatos que tenham (e não simulem) o perfil comportamental alinhado com a cultura do negócio.

Por que as empresas devem buscar novos talentos no TikTok?

De acordo com dados apresentados em um artigo da McKinsey & Company, a geração Z é uma das mais criativas da atualidade e tem muito a oferecer para as empresas. Se o artista vai aonde o povo está, as organizações também precisam buscar os jovens talentos no ambiente em que se encontram. Como vimos, esse lugar é a rede social TikTok.

Outro motivo importante para buscar talentos no TikTok são os recursos que podem ser utilizados. Por exemplo, no processo seletivo, o RH pode solicitar um vídeo curto com uma breve descrição profissional e pessoal dos candidatos.

Para conhecer um pouco mais da personalidade, a empresa talvez solicite que o profissional envie uma música que represente seu estilo de vida. Essas e outras informações são compartilhadas rapidamente pela rede social. 

Os recrutadores não só ganham tempo e produtividade, como também analisam perfis profissionais de uma maneira interessante e engajadora.

Dentre todas as vantagens que o TikTok no RH oferece para o recrutamento e seleção, podemos destacar uma: a possibilidade de renovar as práticas seletivas

É importante ressaltar que a transformação digital é um caminho sem volta, assim como a entrada da geração Z no mercado de trabalho. Ou os RHs embarcam nas novas tendências ou ficam para trás na corrente das inovações.

Gostou deste artigo? Entendeu como funciona e quais são as vantagens do TikTok no RH? Se aprofunde no assunto tornando seu processo de R&S diverso e inclusivo com o nosso Playbook: Estratégias de RH para um R&S diverso e inclusivo!

New call-to-action

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post