Saiba como fazer demissão humanizada mesmo com a tecnologia

Saiba como fazer demissão humanizada mesmo com a tecnologia

Tempo de leitura: 6 minutos

Você já ouviu falar em demissão humanizada? Encerrar o contrato com um funcionário nem sempre é uma tarefa simples de ser feita. Entretanto, em determinados momentos, isso é inevitável, além de ser algo comum dentro das empresas.

A situação pode ficar ainda mais complicada se essa demissão precisa ocorrer por meio on-line, sem que empregado e empregador possam ficar frente a frente fisicamente e conversar sobre os motivos do desligamento.

Entretanto, atualmente, existem formas de fazer isso e manter o processo mais humanizado. Quer saber como? Então, acompanhe esta breve leitura e descubra!

O que é a demissão humanizada?

Demissão humanizada é um termo que faz referência à tentativa da empresa de conduzir o desligamento de um colaborador da forma mais cuidadosa e digna possível, tendo o máximo de cuidado com sua estabilidade emocional.

Demitir uma pessoa, mesmo quando um funcionário não atende as expectativas da empresa, não é uma tarefa simples para ninguém. Isso pode ser ainda pior nos casos em que a demissão acontece por causa de fatores alheios à vontade do empregado ou empregador, tais como os momentos de crise.

Além disso, com o crescimento do trabalho on-line, muitas pessoas precisam ser demitidas utilizando tecnologia, dificultando ainda mais um processo que já é bastante complexo.

Como fazer a demissão humanizada utilizando a tecnologia?

Agora que você entendeu o que é a demissão humanizada, mostraremos como implementar esse processo mesmo quando o comunicado de desligamento ocorre por meio da tecnologia. Continue lendo!

1. Planeje todo o processo

Inicialmente, você precisa planejar todo o processo antes de comunicar a decisão ao seu colaborador. Tenha em mãos todos os documentos gerados pelo departamento pessoal ou contabilidade da sua empresa e analise bem todas as verbas rescisórias e descontos feitos para não ser pego de surpresa com algum questionamento que possa ser levantado.

2. Prepare o colaborador

O segundo passo é preparar o colaborador para a demissão humanizada. Como todo o processo ocorrerá em ambiente on-line, será necessário marcar uma reunião, assunto que discorreremos com mais detalhes no próximo tópico.

Assim, ele estará pronto para o tema que será tratado no encontro e não será pego de surpresa com uma demissão.

3. Faça uma reunião virtual

O próximo passo, portanto, é a realização de uma reunião virtual. Para tanto, você deve utilizar alguma das dezenas de ferramentas que existem no mercado para que seja possível a transmissão de voz, imagem e dados instantaneamente.

Sempre opte por aplicativos que possibilitem ver o colaborador, de modo que ele também veja o responsável pela demissão. Isso elimina um pouco da falta de contato físico na hora da conversa que antecede um processo de rescisão contratual.

4. Reconheça os feitos do colaborador

Outro ponto importante é reconhecer os feitos do colaborador enquanto ele esteve na empresa. Em alguns casos, é muito simples fazer isso, pois a demissão pode ter sido motivada por algum fator econômico que impossibilitou a manutenção do salário do colaborador.

Por outro lado, é comum que uma demissão ocorra nos casos de baixa produtividade do funcionário ou quando ele não atinge mais os objetivos da empresa. Mesmo quando isso acontece, você deve encontrar pontos fortes do colaborador para enaltecer na hora da entrevista de demissão.

Isso gera nele um sentimento de gratidão, que será recompensado com a compreensão dos porquês da sua rescisão contratual, evitando, inclusive, reclamações trabalhistas no futuro.

5. Escolha um programa de Outplacement

O Outplacement é uma ferramenta crucial nos processos de demissão humanizada. Ele é amplamente utilizado em caso de fusões de empresas, quando uma reorganização e um ajuste no quadro de colaboradores são necessários.

Basicamente, trata-se de um procedimento que promove a facilitação na comunicação da demissão, bem como favorece a criação de boas lembranças do funcionário demitido para com a empresa, reduzindo, também, o risco de retaliações ou problemas com as relações trabalhistas.

O objetivo principal desse processo é auxiliar o funcionário demitido a conseguir uma nova colocação no mercado de trabalho e, de preferência, de forma rápida. Para tanto, essa pessoa é orientada com treinamentos, análise de currículo, dicas para melhorar o seu desempenho profissional, entre outras atividades.

Tudo que é feito no programa de Outplcement tem por objetivo redefinir metas do profissional para que ele possa dar continuidade em sua carreira, porém, em outra empresa.

6. Ofereça ajuda

Por fim, você deve oferecer ajuda ao seu colaborador que está sendo demitido. Inicialmente, facilite o acesso dele aos seus documentos de rescisão. Além disso, oriente quanto a possíveis dúvidas sobre as verbas e os descontos mencionados no termo.

Entretanto, o ponto mais importante desse aspecto é auxiliar o colaborador a encontrar uma nova oportunidade de trabalho. É possível, portanto, mostrar quais são os pontos que ele pode melhorar, oferecendo opções de cursos e treinamentos para desenvolver áreas específicas de suas habilidades.

Você também pode preparar uma carta de recomendação, para que ele a apresente em outras entrevistas de emprego que fizer.

Quais são os benefícios desse processo?

A demissão humanizada oferece uma série de benefícios muito interessantes. O primeiro deles é a melhora no clima organizacional, fortalecendo o sentimento de solidariedade e de cooperação entre a equipe.

Ela também reforça os valores da empresa, contribuindo para que os demais colaboradores entendam melhor cada um deles e fazendo com que todos se sintam bem em atuar em um ambiente de trabalho que se preocupa com o bem-estar dos profissionais desligados.

Outro ponto que pode ser visto como vantajoso é que o mercado passa a olhar para a sua empresa com outros olhos, facilitando, inclusive, os processos de contratação de novos funcionários no futuro.

Por fim, a demissão humanizada também evita que o funcionário desligado, movido por um sentimento ruim de vingança, acabe ingressando com uma ação judicial para reclamar direitos que, em alguns casos, não foram violados.

Lembre-se de que, quando problemas desse tipo acontecem, a empresa acaba tendo prejuízos financeiros, devendo arcar com um profissional especializado para representá-la perante a justiça. Ainda, há o próprio desconforto e o transtorno que uma ação como essa gera.

Como você pode perceber, a demissão humanizada, mesmo quando feita utilizando a tecnologia, é um processo que proporciona benefícios para o empregado demitido e para a empresa, demonstrando ao mercado a sua preocupação com o bem-estar psicológico de todos os seus colaboradores, mesmo os que estão sendo desligados.

Se você quiser continuar estudando sobre esse assunto, confira outro post que preparamos. Nele, mostraremos todos os passos que devem ser dados para não errar na hora de demitir um colaborador.

Ebook - Demissão: 4 modalidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *