Etapas do processo seletivo: conheça as 5 indispensáveis

Etapas do processo seletivo: conheça as 5 indispensáveis

O recrutamento e seleção de uma empresa é um dos processos que possui grande influência nos resultados dos negócios. Afinal, os candidatos escolhidos precisam formar um time de alta performance que esteja alinhado com os objetivos organizacionais. Ou seja, eles devem assumir um papel que irá contribuir para o avanço de toda empresa. Por isso, é crucial saber quais são as etapas do processo seletivo. 

Para saber quais são elas e como realizá-las de forma assertiva, é só continuar acompanhando a leitura!

Como é um processo seletivo?

O processo seletivo é composto por um conjunto de técnicas que tem o papel de “filtrar” e auxiliar na escolha dos profissionais mais adequados para um cargo a ser preenchido na empresa. Cada etapa vai identificando se o candidato tem de fato as competências e habilidades exigidas pela organização.

Se feito de forma eficaz, ele proporciona muitos benefícios. Um dos principais é a diminuição dos custos que uma contratação mal sucedida acaba gerando (verbas rescisórias, novo processo seletivo, treinamentos, tempo, etc.) Afinal, o colaborador não irá permanecer por muito tempo na empresa se não se encaixar no que ela espera de um profissional. 

Cada etapa deve ser bem planejada e estruturada, com o auxílio de profissionais de RH bem capacitados e de ferramentas estratégicas. Entenderemos sobre cada uma delas nos próximos tópicos, continue acompanhando!

Quais erros que podem atrapalhar o processo seletivo? 

Oferecendo cada vez mais praticidade e objetividade ao mundo profissional, as novas tecnologias têm um papel fundamental para as mais diversas funções. Nos procedimentos que envolvem os processos seletivos da atualidade isso não é diferente. 

No entanto, as ferramentas que são de grande ajuda para as corporações que buscam novos talentos podem apresentar alguns perigos em potencial para os que não sabem como usá-la ao seu favor, causando problemas dos mais variados para as organizações.

Pensando na forma em que os processos seletivos podem ser prejudicados em função do uso da tecnologia, a Harris Pool – em parceria com o CareerBuilder – realizou uma pesquisa especial com mais de 370 profissionais do setor de recursos humanos e mais de 300 candidatos para desvendar os mistérios e problemas das ferramentas tecnológicas no recrutamento profissional.

Batizado de “Como a experiência do candidato está transformando a tecnologia nos Recursos Humanos”, o estudo concluiu que os itens a seguir são os de maior relevância negativa em uma seleção profissional em função do uso demasiado das ferramentas tecnológicas. Fique atento para evitá-los:

Erros na captação de candidatos

Nem todos os interessados conseguem se inscrever para uma vaga logo que é aberta, e isso pode reduzir as chances de encontrar talentos certos para a posição.

Falta de contato ou manutenção de contato com candidatos

Menos de 40% dos candidatos voltaram a falar com os recrutadores das empresas, e o motivo para isso é, principalmente, o fato de o RH usar currículos mais recentes em novos processos (deixando possíveis talentos com quem já tenham tido contato  para trás).

Exagero de respostas automáticas

Esse tipo de resposta deixa os candidatos extremamente desapontados e sedentos por feedbacks mais claros e personalizados.

Limitação de meios para que os candidatos se inscrevam nos processos

Mais de 60% dos candidatos que querem se inscrever em um processo deixa de fazê-lo por não conseguir acessar formulários e questionários referentes à vaga por meio de smartphones

Questionários longos e complexos demais

Enquanto os recrutadores buscam candidatos engajados e que apresentem  mínimos detalhes de suas carreiras para concorrer a uma vaga, os profissionais acham longos e complexos demais os questionários dos formulários da atualidade

Como estruturar o processo de seleção?

Para ter um processo seletivo eficiente e assertivo, é preciso antes estruturá-lo. Alguns passos são essenciais:

Invista na Atração de talentos

Não basta apenas iniciar um processo seletivo. É preciso saber como atrair os melhores talentos do mercado para construir uma equipe de alta performance. Para isso, o RH deve investir em algumas estratégias: employer branding, oferecer um programa atraente de benefícios, ter um bom plano de cargos e salários, realizar pesquisas salariais, etc. 

Defina o perfil de profissional desejado

Antes mesmo de iniciar a divulgação de uma vaga, o RH precisa definir qual o perfil do profissional que eles desejam que ocupe o cargo. Para isso, deve-se analisar as necessidades da empresa, a persona ideal, quais competências e habilidades serão necessárias, etc. Assim, é possível seguir para as próximas etapas.

Analise e descreva o cargo

Para as vagas serem divulgadas, é fundamental que o cargo tenha uma boa análise e descrição. Por isso, utilize as informações já definidas na etapa anterior. Busque escrever uma descrição detalhada (requisitos, responsabilidades, etc.) e uma análise completa, que é composta das atribuições importantes para que o profissional ocupe o cargo (Habilidades e competências mentais, aspectos físicos, condições de trabalho, etc.)

Faça a triagem inicial dos currículos

A triagem dos currículos pode ser um pouco cansativa, afinal, a empresa terá inúmeros currículos em mãos. No entanto, é necessário ter atenção para não deixar passar nenhuma informação importante e acabar perdendo bons candidatos. Essa etapa é essencial para facilitar as etapas seguintes. Portanto, elimine aqueles que possuem muitos erros gramaticais, que são confusos e aqueles que não se encaixam na descrição da vaga.

Quais são as etapas do processo seletivo?

Veja agora quais são as principais etapas do processo seletivo:

1. Realização da entrevista de emprego

A entrevista é uma das primeiras fases do processo seletivo. Nela, os recrutadores desejam conhecer melhor o candidato e avaliar fatores importantes. O ideal é que ela seja elaborada de acordo com o perfil de cada profissional e baseada nas informações já obtidas, como as que estão no currículo. Aqui, é hora de entender melhor as experiências profissionais do candidato, bem como suas principais competências, habilidades e perfil.

Também é fundamental avaliar se a pessoa tem o perfil adequado à cultura da empresa. Afinal, ela irá precisar se adaptar aos valores e comportamentos. Assim, é possível evitar as altas taxas de turnover.

2. Dinâmicas, testes e provas técnicas

As dinâmicas, testes e provas técnicas fazem parte de uma etapa fundamental de todo o processo. Elas são ferramentas estratégicas que auxiliam o RH a identificar as verdadeiras competências e habilidades dos profissionais. As dinâmicas em grupo, por exemplo, permitem que os recrutadores possam avaliar como o candidato trabalha em equipe, sob estresse, em meio a desafios, etc.

Com essas ferramentas, é possível identificar as hard skills (competências técnicas) e as soft skills (competências comportamentais). Dessa forma, o RH consegue entender qual área o profissional se sairia melhor e quais habilidades ainda precisam ser aprimoradas. Tudo isso contribui para escolhas mais assertivas no processo seletivo.

3. Entrevista de seleção com os gestores

A entrevista de seleção ocorre após as triagens anteriores. Por isso, os profissionais são os mais qualificados e estão em número reduzido. Assim, é possível fazer uma avaliação mais específica e aprofundada dos candidatos. Por ser uma etapa mais decisiva, é realizada com os gestores, que irão analisar e avaliar diretamente se o profissional é o ideal para o cargo a ser ocupado. 

4. Verificação dos dados informados

Com todas as informações em mãos e já com a escolha do profissional para assumir o cargo, é preciso analisar todos os dados e verificar se está tudo em ordem. Com isso, alguns documentos extras podem ser solicitados e talvez o gestor precise entrar em contato com os antigos empregadores. Ou seja, é a hora de verificar se as informações estão corretas e se são verídicas.

5. Feedback final

Por fim, o RH deve comunicar o feedback final ao candidato escolhido  e encaminhá-lo ao processo de admissão para efetuar a entrega de todas as documentações necessárias. O retorno também deve ser dado aos outros candidatos que não conseguiram a vaga. Dessa forma, a empresa mantém uma boa impressão e pode contribuir para o crescimento desses profissionais.

Agora é preciso partir para todos os detalhes do processo admissional. Para saber tudo sobre como ele funciona, você pode baixar o nosso ebook gratuito!

New call-to-action

 

Equipe Convenia

Nós somos uma HR tech, com soluções voltadas para otimização de tempo e custos de pequenas e médias empresas. Nascemos há alguns anos, com o objetivo de trazer alta tecnologia para o setor de RH, de forma acessível e prática. Desde então temos trabalhado fortemente para que nossos produtos evoluam junto com os nossos clientes, pois entendemos que diminuindo o tempo gasto com rotinas operacionais, as empresas tem mais tempo para as pessoas. Atualmente nossas soluções abrangem plataforma de gestão de departamento pessoal, contratação e gestão de benefícios, onde você pode gerir todo seu time em um sistema em nuvem.

Este post tem 5 comentários

  1. DICAS

    Interessante o artigo, bem realista e atual! Parabéns

  2. Marta Fonseca

    Essa matéria me ajudou muito mesmo e suas informações foras bem claras e por isso valeu demais. Quero voltar aqui e pesquisar mais seus conteudos. Agradeço muito.

  3. Essa matéria me ajudou muito mesmo e suas informações foras bem claras e por isso valeu demais. Quero voltar aqui e pesquisar mais seus conteudos. Agradeço muito.

Contribua com este post