Turnover: o que é e como reduzir nas empresas?

Turnover: o que é e como reduzir nas empresas?

Turnover: o que é e como reduzir nas empresas?

Segundo um artigo do site da Forbes, 87% dos líderes que foram ouvidos em uma pesquisa disseram que a retenção de colaboradores é um ponto crítico na estratégia da liderança. Porém, no atual mundo corporativo, diminuir o turnover é uma necessidade importante para as empresas. Afinal, manter os profissionais talentosos na equipe interna é a receita para o sucesso do negócio.

Neste artigo, explicaremos o que é turnover. Mostraremos também como calculá-lo e as principais maneiras de reduzir esse índice. Acompanhe os próximos tópicos!

O que é Turnover?

Turnover é um índice que exprime o volume de admissões e desligamentos de uma empresa, ou seja, a rotatividade de colaboradores.

Ele expressa o quanto o quadro de funcionários de uma organização mudou em um período de tempo, tanto em virtude de pessoas novas que entraram, como em função de funcionários antigos que saíram. 

Também conhecido como rotatividade de pessoal, o turnover é uma das maiores preocupações das empresas, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. E não é pra menos: ele onera as empresas em tempo e dinheiro.

Quais tipos de turnover existem?

Quando nos aprofundamos no entendimento sobre o turnover, percebemos que existem quatro tipos principais. A seguir, explicamos sobre cada um deles.

Turnover voluntário

Essa categoria de rotatividade envolve o número de colaboradores que se desligam da empresa por vontade própria. No geral, a razão para a alta taxa desse tipo de turnover está na falta de boas estratégias para otimizar a experiência do colaborador (employee experience).

Sendo assim, ao receber uma proposta para trabalhar em uma empresa que ofereça vantagens em forma de benefícios, plano de carreira etc., o profissional não pensa duas vezes em aceitar. Já alguns se desligam por causa de conflitos internos ou perda do engajamento com a organização.

Turnover involuntário

O turnover involuntário acontece quando a empresa decide demitir colaboradores. Esse tipo de desligamento ficou bem comum nas organizações após o início da pandemia do Covid-19 com seus impactos negativos na economia mundial.

No entanto, em um contexto econômico normal, altos índices de rotatividade involuntária podem ter raízes em problemas financeiros da empresa. Além disso, possíveis falhas no processo de recrutamento e seleção, geram demissões devido ao desalinhamento do perfil do contratado com a cultura do negócio.

Turnover funcional

Já o turnover funcional é decorrente de pedidos de demissão vindos de profissionais com baixo rendimento, produtividade e engajamento. Muitas empresas veem essa rotatividade com bons olhos, pois não gera altos custos rescisórios como acontece com a demissão sem justa causa. Nesse caso, basta que a empresa faça uma nova contratação.

Turnover disfuncional

Esse tipo de turnover é temido pelas empresas. A razão é porque significa a saída de talentos profissionais que são valiosos para o sucesso do negócio. Talvez, esses trabalhadores tenham soft skills importantes, como espírito de liderança ou resiliência.

Assim como no turnover voluntário, o disfuncional reflete falhas nas políticas de employee experience e retenção de talentos. Em razão disso, outras organizações acabam ganhando o profissional para o seu time interno.

Por que medir o turnover?

Quando a empresa mensura os índices de rotatividade, se cria uma espécie de panorama sobre a eficiência da gestão interna. Dessa forma, os gestores entendem se:

  • É preciso mudar as estratégias da área de RH, como por exemplo, melhorar a sua cultura de feedback;
  • Implementar uma política de benefícios;
  • Adotar ações para retenção de talentos;
  • Investir em modelos de trabalho mais flexíveis.

Quando a organização implanta soluções inteligentes, além de reduzir os níveis de turnover, consegue também inovar processos e atrair novos talentos para a equipe.

Cálculo do Turnover

A fórmula mais comum de calcular o turnover, conhecida por turnover clássico,  é: [(número de admissões + número de desligamentos)/2] / número total de funcionários. Você pode conferir um material completo sobre esse cálculo aqui: Como calcular o turnover

Os números de admissões e de desligamentos dependem do período considerado: pode ser um mês, um bimestre, um semestre, um ano e por aí vai. Existem, entretanto, outras formas de calcular a rotatividade de pessoal, dependendo do que se pretende extrair do índice. 

Você pode, por exemplo, calcular o turnover baseado somente no número de desligamentos voluntários, caso esteja buscando averiguar o nível de satisfação dos funcionários com a organização; ou no número de desligamentos involuntários, para medir a eficácia do RH e dos gestores em selecionar os candidatos certos em processos de recrutamento e seleção.

6 dicas para diminuir o turnover na sua empresa

De acordo com uma pesquisa realizada pela Deloitte e publicada em um artigo do site da empresa Robert Half, 2 de cada 3 funcionários da geração Y desejavam mudar de emprego nos anos que seguiram a publicação da pesquisa.

É verdade que os novos profissionais demonstram mais vontade de trocar de empresa do que os mais antigos. Porém, com o uso de algumas estratégias, é possível reter até mesmo os colaboradores jovens da organização. Como conseguir isso? Veja as dicas que damos a seguir.

1.Aposte em um bom programa de recrutamento e seleção

Quando a empresa tem um programa eficiente de recrutamento e seleção fica mais fácil encontrar profissionais compatíveis com a cultura interna. Tudo começa com a inserção da estratégia de employer branding na divulgação das vagas.

Dessa forma, os candidatos conhecem o perfil de profissionais que a organização deseja. Além disso, a utilização de testes comportamentais durante as fases do processo seletivo será essencial para a escolha do melhor talento profissional.

2.Incentive uma cultura de feedbacks

Quando a empresa tem uma boa política de feedback, os colaboradores sentem mais confiança e motivação no trabalho que realizam. A razão disso é que os profissionais percebem que são reconhecidos e que a organização está interessada no crescimento pessoal e profissional deles.

3.Treinamento e desenvolvimento

Investir em um programa de treinamento e desenvolvimento otimiza as competências e habilidades dos profissionais. O resultado será um time eficiente que entrega serviços inovadores e de qualidade. Além disso, essa aprendizagem contínua elevando o engajamento dos profissionais com a empresa

4.Ofereça um bom programa de benefícios

Muitos profissionais preferem uma boa cesta de benefícios em vez de salários mais elevados. Sendo assim, a empresa pode investir em benefícios personalizados que atendam às necessidades e desejos específicos dos colaboradores. Dessa forma, fica mais fácil fazer um plano de retenção de talentos.

5.Monte um plano de carreira

O plano de carreira direciona a trajetória profissional dos colaboradores. Além disso, o time entende o que precisa fazer para receber promoções e quais são os degraus para subir até a liderança. Essa clareza no plano de carreira faz com que os profissionais queiram permanecer na empresa.

6.Motivação constante 

Um ambiente interno agradável é composto por uma boa comunicação e um bom relacionamento entre colaboradores e gestores. Para que exista esse clima, a empresa precisa derrubar as barreiras hierárquicas. O resultado será um time mais motivado a trabalhar internamente.

Qual a relação entre o turnover e o faturamento das empresas?

Se a empresa tem baixas taxas de rotatividade, isso significa que os profissionais gostam de trabalhar nela. Um time com esse sentimento costuma ser muito produtivo e engajado. O resultado é logo visto na qualidade dos serviços e no aumento do faturamento do negócio.

Mas o contrário também é verdade. Com índices altos de turnover, a organização sofre com quedas de produtividade interna. Em pouco tempo, os lucros entram em decréscimo, reduzindo a possibilidade de investimentos e de expansão para novos mercados.

Podemos dizer que as organizações mais bem sucedidas são aquelas que fazem os colaboradores as amarem e desejarem construir uma carreira vitalícia dentro delas. Com as dicas que demos neste artigo, sua empresa conseguirá isso também.

O que achou do nosso artigo? Entendeu o que é e como diminuir o turnover na sua empresa? Agora, aprenda como calcular o turnover. É só baixar gratuitamente a nossa Planilha de cálculo de turnover!

New call-to-action

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.