Treinamento de funcionários: 7 técnicas eficazes para aplicar

Nos dias de hoje, o mercado está sempre elaborando projetos de capacitação e  treinamento de funcionários, já que as empresas ligadas nos aspectos importantes para a conquista de bons níveis de produtividade sabem que o incentivo ao aprendizado e a atualização de seus colaboradores é fundamental para o sucesso de qualquer organização.

Para descobrir como eles funcionam e quando devem ser aplicados, preparamos um artigo completo com tudo o que você precisa saber sobre treinamentos corporativos. Continue acompanhando a leitura!

Quando se deve fazer um treinamento na empresa?

O treinamento de funcionários pode ser realizado em diversas situações. No entanto, eles costumam ser aplicados quando a empresa deseja capacitar sua equipe e assim alcançar melhores resultados. Veja abaixo as principais situações que demandam a realização de treinamentos:

  • Chegada de novos colaboradores: novos funcionários precisam aprender sobre a cultura da empresa, valores, como funcionam as operações, como será o seu dia a dia de trabalho, políticas internas, etc. Basicamente, o treinamento aqui é aplicado para alinhar os recém-contratados à realidade da empresa;
  • Utilização de novas tecnologias: as transformações tecnológicas dentro da empresa precisam ser realizadas com cautela. Afinal, se os colaboradores não estiverem preparados, muitos erros podem acontecer. Por exemplo, oferecer cursos para ensinar a equipe a utilizar novos softwares é a solução ideal para acelerar a adaptação;
  • Alterações nos processos organizacionais: é comum que as empresas sofram alterações em seu modo de desenvolver os projetos, de efetuar cada etapa dos processos, etc. Realizar treinamentos para orientar os colaboradores sobre novos métodos de processos é fundamental para evitar lentidão e possíveis erros;
  • Desmotivação da equipe: quando a equipe está com problemas de motivação e isso impacta negativamente o seu desempenho, o gestor deve aplicar treinamentos para elevar a auto estima e engaja-los novamente;
  • Necessidade dos colaboradores: os gestores devem procurar saber quais são as principais dificuldades dos funcionários nas rotinas do trabalho e quais são os gaps existentes na equipe. Com isso, ele pode promover treinamentos mais direcionados e assertivos;
  • Obrigatoriedade: alguns treinamentos devem ser aplicados quando são exigências para a empresa.

Como incentivar o treinamento de funcionários? 

Cada vez mais gestores buscam formas de incentivar o treinamento e a capacitação de funcionários, tentando encontrar maneiras para que os colaboradores se sintam satisfeitos com a empresa e, consequentemente, com seus cargos – já que, por meio da capacitação, se enxergarão cada vez mais aptos para realizar suas tarefas do dia a dia com mais eficiência.

Confira, a seguir, uma lista com dicas especiais para incentivar os colaboradores da sua empresa e promover o treinamento e a capacitação de equipes inteiras:

Dê o exemplo

A coerência entre discurso e atuação deve existir para que os subordinados se sintam inspirados e motivados.

Compartilhe conhecimento

Passar conhecimento e ensinar o que puder para os subordinados é fundamental para o sucesso, aproximando gestores de colaboradores e formando uma rede de confiança e comunicação que pode gerar ótimos resultados corporativos.

Reconheça trabalhos bem-feitos

Tarefas e projetos bem executados devem ser reconhecidos, fazendo com que o colaborador saiba do seu valor para a empresa e se mantenha motivado.

Valorize o pensamento inovador

Além dos trabalhos bem-feitos, o pensamento inovador também deve ser reconhecido e até premiado; já que é, justamente, esse tipo de pensamento criativo que pode levar uma empresa a níveis de sucesso jamais imaginados.

Invista nos talentos

Os talentos da equipe devem ser definidos, reconhecidos e incentivados – tanto por meio de treinamentos como, principalmente, por meio do direcionamento correto da capacitação de colaboradores talentosos (que beneficiam o colaborador e a empresa como um todo).

Quais os tipos de treinamento para empresas?

Veja abaixo quais são os tipos de treinamentos para realizar nas empresas:

1. Treinamento presencial com instrutor

Este é o modelo de treinamento mais comum nas empresas e, em muitas, é o único método utilizado. É um treinamento que lembra uma sala de aula, os alunos ouvem e aguardam o professor transmitir o conhecimento devido. É dado por um especialista no assunto, em formato de palestra. Uma das desvantagens é a falta de escalabilidade, exigindo que o instrutor esteja presente o tempo todo, não permitindo turmas muito grandes. 

2. Treinamento de Onboarding

O processo de onboarding é um dos mais essenciais dentro de uma empresa. Afinal, ele pode ter grandes impactos no desempenho do colaborador durante toda a sua jornada na empresa. Por isso, realizar um treinamento falando sobre a cultura e o clima organizacional é fundamental para facilitar o processo de adaptação dos novos profissionais. Dessa forma, eles já iniciarão seu trabalho sabendo quais são os valores e metodologias da organização. Isso irá influenciar positivamente em seu comportamento e produtividade no ambiente de trabalho.

3. Desenvolvimento de hard skills

As hard skills são as habilidades técnicas. Por isso, devem ser desenvolvidas para que a equipe esteja cada vez mais aprimorada e apresente melhores resultados. Esse tipo de treinamento auxilia os colaboradores a realizarem suas tarefas diárias na empresa com qualidade e agilidade. Além disso, faz com que metas sejam alcançadas e os processos sejam melhorados. 

Os tópicos costumam ser: como o serviço deve ser executado, como os softwares da empresa funcionam, como se utilizam as máquinas. Também podem ser realizados treinamentos de atualização, para que o aprendizado seja contínuo.

4. Desenvolvimento de Soft Skills

As soft skills são competências altamente buscadas nas empresas. Afinal, elas têm muito impacto nos resultados dos negócios. Isso porque o comportamento dos colaboradores é tão importante quanto as habilidades técnicas. Portanto, é fundamental realizar treinamentos para desenvolvê-las e alinhar a equipe com a cultura organizacional. Além disso, elas irão colaborar para um ambiente de trabalho saudável e harmonioso. Alguns exemplos são: liderança, inteligência emocional, cooperação entre equipes, comunicação ágil, ética, resolução de problemas, etc.

5. Treinamentos obrigatórios

Dependendo do setor em que a organização atua, existem alguns treinamentos obrigatórios. Por exemplo, empresas que trabalham na área de indústria ou construtoras, frequentemente são obrigadas a realizar treinamentos sobre segurança do trabalho.

6. Coaching e mentoria

O coaching e as mentorias têm ganhado cada vez mais espaço no treinamento de funcionários. São programas contínuos e individuais que auxiliam no desenvolvimento dos colaboradores. Por ser individual, ele alcança resultados maiores e mais estratégicos. No entanto, os custos se tornam maiores. Por isso, é preciso avaliar se a empresa tem atualmente condições de criar programas como esses.

7. Treinamentos à distância

Os treinamentos à distância são realizados de forma online e por meio de uma plataforma. Ele não exige a presença de um instrutor a todo instante, pois as aulas ficam armazenadas para serem acessadas a qualquer momento. Além do principal recurso que é o audiovisual, também existe a possibilidade de utilizar outros materiais, como material de leitura, vídeos de apoio, etc. Ele se tornou essencial durante a pandemia e sua principal vantagem é poder ser exibido quantas vezes for necessário, gerando uma grande redução de custos.

Como definir o budget para treinamento de funcionários?

Definir o orçamento dos treinamentos pode não ser uma das etapas mais desejadas pelos gestores. No entanto, é preciso investir para ter uma equipe de alto desempenho. Para definir o budget, a empresa deve considerar os seguintes fatores: 

  • Quantas horas vão ser gastas? Isso irá ajudar a definir o valor a ser pago aos instrutores e outros profissionais envolvidos;
  • Quantos colaboradores irão participar? Calcule baseado na quantidade por  pessoa;
  • Qual formato será utilizado? Online ou presencial? Os custos de cada um são diferentes. Por isso, defina qual será utilizado e seus respectivos gastos;
  • Será contratado um instrutor interno ou externo? O externo sai mais caro que o interno. Defina de acordo com a necessidade da empresa;
  • Inclua nos gastos estratégias de retenção de conteúdo;
  • Leve em conta os riscos e tenha um fundo de reserva.

Como dar treinamento para funcionários?

Alguns passos são essenciais na hora de oferecer treinamentos corporativos. Veja abaixo quais são:

  • 1º passo: faça um planejamento com antecedência e não apenas uma reunião rápida, pois os treinamentos devem ser bem pensados e estratégicos. Entenda qual público deseja alcançar, quais são as necessidades da empresa e finalize com um diagnóstico detalhado para descobrir como os treinamentos podem solucionar os problemas encontrados;
  • 2º passo: elabore o treinamento, definindo quem irá recebê-lo, quais serão os temas abordados e quais são os objetivos específicos. Além disso, defina como ele será aplicado e mensure quanto tempo e dinheiro ele irá demandar;
  • 3º passo: convoque os colaboradores, execute os treinamentos e faça uma avaliação com os resultados obtidos.

Realizar a capacitação de funcionários sem gastar 

Imersas em um mercado que destaca a falta de mão de obra qualificada em todo tipo de área de atuação, já abordamos o quanto as empresas dos dias de hoje apostam cada vez mais no treinamento de funcionários para capacitar seus profissionais e contar com equipes mais eficientes e produtivas. Tendo em vista que, na maioria das vezes, esse tipo de capacitação exige investimentos altos, algumas corporações deixam de apostar em técnicas de melhora profissional para economizar dinheiro, promovendo um grande grupo de funcionários e empresas estagnadas.

No entanto, empresas de diferentes portes já podem promover melhorias na capacitação de seus funcionários sem que tenham que gastar rios de dinheiro – bastando, apenas, ter uma estratégia concisa e bem planejada. De acordo com publicações da revista EXAME, o treinamento de funcionários deve, em primeiro lugar, ter objetivos claros e precisos, possibilitando que um plano seja traçado para atingir os objetivos desejados – que também devem ser bem definidos antes que uma estratégia seja definida.

Embora o dinheiro não seja necessário na proposta desse tipo de treinamento, sua definição exata não se torna menos importante; já que muito tempo (tanto de empregados como de gestores) será investido na capacitação, e isso deve ser bem administrado para que não haja o desperdício de horas valiosas para a empresa.

Confira, abaixo, algumas dicas para realizar o treinamento de funcionários de uma empresa – promovendo mais conhecimento e entendimento – sem gastar dinheiro:

Rotação de funções

A empresa pode fazer o rodízio de funcionários em diferentes áreas para gerar mais conhecimento aos empregados que exercem funções variadas.

Palestras de funcionários

Funcionários de destaque e experiência podem compartilhar conhecimento com os demais.

Grupos de estudo

Formar grupos para debater temas e questões importantes de suas áreas de atuação pode ser uma ótima forma de gerar mais entendimento aos profissionais.

Programa de mentores

Os profissionais mais experientes podem passar muita informação e conhecimento aos novatos por meio da orientação constante.

Treinamentos com parceiros

Boa parte dos parceiros de empresas se dispõem a oferecer treinamentos específicos e rápidos para os funcionários da empresa parceira. Tire proveito disso!

Visitas a empresas

Neste quesito, vale a mesma regra do item anterior: tire proveito do conhecimento que uma empresa parceira pode oferecer aos seus funcionários.

Agora que você já sabe tudo sobre treinamento de funcionários, você pode continuar aprendendo sobre outras práticas para ter uma boa retenção de talentos. É só baixar o nosso ebook gratuito!

New call-to-action

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post