Downsizing: qual o papel do RH e DP na implementação?

Rever a estratégia da empresa e reduzir custos não é uma tarefa fácil, mas precisa ser feita para que a organização consiga organizar as demandas. Estamos falando de downsizing, que é a estruturação do quadro de funcionários da empresa, visando enxugar os custos.

O rightsizing, por sua vez, colabora para que a empresa se coloque no mercado de trabalho de maneira eficiente. Em ambas as situações, sabemos que não é fácil lidar com mudanças.

Mas, cabe aos gestores de RH e DP se inteirar dos conceitos de: 

  • Downsizing;  
  • Rightsizing 

Para que assim, os setores da organização fluam de maneira correta todos os dias. Neste artigo você vai saber como aplicar os dois conceitos em sua empresa e obter resultados.

O que significa downsizing no RH?

O conceito de downsizing significa reduzir temporariamente a força de trabalho de um ou mais setores da empresa. O termo vem do inglês e significa diminuir de tamanho, no caso, algo dentro da organização. 

Apesar de radical, a estratégia tem como objetivo reduzir os custos da empresa tornando-a mais competitiva para o mercado.

O downsizing (e rightsizing) é um termo que veio da administração, mas pode ser aplicado facilmente no RH e DP de uma empresa.

Geralmente em grandes organizações os gestores podem decidir por reorganizar as funções dos colaboradores. Assim, a percepção de crescimento da equipe pode ser vista da melhor maneira e as decisões tomadas de forma precisa. 

Muitas vezes, a solução é: 

  • Reduzir alguns cargos; 
  • Reajustar novas funções;

Para que a empresa tenha fôlego financeiro e siga em frente com os objetivos.  

Quais são os objetivos do downsizing? 

Para entendermos como funciona o conceito de downsizing na prática, é necessário conhecer os objetivos da aplicação:

  • Reduzir hierarquias e cargos desnecessários na empresa;
  • Tornar o processo de tomada de decisões mais ágil;
  • Eliminar rotinas complicadas;
  • Diminuir custos;
  • Focar na necessidade do cliente; 
  • Melhorar a comunicação dentro da empresa;
  • Equipes de trabalho melhor preparada;
  • Respostas mais rápidas às demandas do mercado;
  • Melhor interação entre os membros das equipes.

Qual a diferença entre downsizing e rightsizing? 

O rightsizing significa a readaptação da empresa diante do mercado, depois de ter aplicado ou não, o downsizing.

O termo vem do inglês e significa tamanho certo. Quando colocado no ambiente organizacional, trata-se de ajustar a organização para que ela atenda às demandas do mercado, tornando-a competitiva.

Portanto, a diferença entre downsizing e rightsizing é que o primeiro visa reduzir o quadro de funcionários a fim de otimizar os recursos gastos com colaboradores. Já o segundo tem o objetivo de adaptar a estratégia da empresa diante de um novo mercado.

Uma medida acaba complementando a outra. Com um quadro de funcionários menor, a organização precisa adaptar novas estratégias de posicionamento diante dos concorrentes.

Quando o downsizing e rightsizing são utilizados? 

O downsizing é aplicado em último caso depois de a empresa ter tentado reduzir custos em outros setores, tais como em compras e gastos diversos. Mas, mesmo que o problema não tenha sido resolvido, é preciso aplicar o downsizing para que a empresa consiga se reerguer.

Pode parecer uma estratégia um pouco radical, porque envolve a redução de pessoal. Mas, muitas vezes essa medida precede um fôlego que a empresa vai ter ao enxugar os seus custos.

Já o rightsizing é a readaptação da empresa para que ela consiga se destacar novamente no mercado. Ela pode ser aplicada em qualquer momento que os gestores e administradores julgarem necessário. Além disso, ela também para analisar as possibilidades de crescimento de uma empresa no mercado. Isso evita que a organização fique desatualizada em suas atividades e nos processos utilizados. 

A empresa passa a adotar processos tecnológicos mais avançados, seja no recrutamento e seleção, como também na lida com os clientes por meio de softwares. 

Benefícios do downsizing para a empresa

Quando aplicado de maneira assertiva, o downsizing traz inúmeros benefícios à organização. Veja quais são os principais:

1.Melhora a comunicação

Quando os gestores abrem o jogo com os colaboradores sobre o que está acontecendo na empresa, a relação de confiança entre as partes começa a acontecer. Por conseguinte, a comunicação melhora bastante. 

2.Foco no cliente

A partir dos processos internos mais enxutos e colaboradores mais focados, a liderança tem tempo de focar no cliente e melhorar o relacionamento com ele. 

3.Decisões tomadas com mais assertividade

Com um número menor de pessoas envolvidas nos processos da empresa, tomar decisões a respeito de um projeto e solução de problemas ficará mais fácil. Ser assertivo significa fazer algo no momento certo, na hora certa e isso faz todo o sentido dentro da organização. 

Qual o papel do RH e do departamento pessoal na implementação?

O departamento pessoal e RH de uma empresa deve manter uma postura forte de liderança para que os dois conceitos sejam aplicados corretamente na organização. 

Portanto, ao menor sinal de necessidade de que um conceito ou outro seja aplicado dentro de uma empresa, os gestores devem agir. Isso envolve observar a rotina interna, a volumetria das tarefas sendo entregues no prazo e o nível de satisfação dos funcionários.

Vamos conferir alguns pontos que precisam ser considerados sobre a aplicação dos dois conceitos:

Analisar onde está o problema

Antes de tomar uma decisão importante, os gestores devem considerar os problemas e a origem de cada um deles.

Feito isso, se a diretoria da empresa chegar à conclusão de que a melhor decisão é aplicar o downsizing, então é hora de agir de forma assertiva. 

  • Quais cargos podem ser reduzidos sem prejudicar a produtividade dos setores?
  • Como motivar os colaboradores que ficaram na empresa?
  • Onde podem ser aplicados os recursos otimizados após a aplicação do downsizing? Exemplo: oferecer cursos e qualificações aos gestores e funcionários.

Todas as possibilidades (sejam negativas ou positivas) devem ser pensadas antes, durante e depois da aplicação do downsizing, com a finalidade de fazer o que é melhor para toda a empresa. 

Motivar os colaboradores pós implementação

É natural que após a implementação dos conceitos de downsizing e rightsizing no quadro de funcionários e na estratégia administrativa da empresa, a equipe pode ficar um pouco desmotivada. 

Deve-se então alinhar a equipe e deixar que eles expressem a opinião sobre o assunto e os anseios que eles possuem em relação ao futuro do trabalho. 

  • Promover encontros individuais entre o colaborador e o gestor, explicando a situação da empresa e como ele pode se encaixar nesse cenário
  • Reforçar benefícios como a possibilidade de parte da equipe trabalhar home office, reduzindo custos de deslocamento
  • Abrir espaço para a flexibilização de horários de trabalho

Traçar objetivos através da análise de dados

Os objetivos precisam ser alinhados com base em uma análise de dados que mostra a necessidade de enxugar custos. 

Isso é possível através de relatórios que mostrem: baixa produtividade e entrega de resultados, alto índice de rotatividade de pessoal (turnover), diminuição das vendas da empresa em reuniões com a equipe.

  • Como aumentar as vendas da empresa? 
  • Como usar melhor os recursos de publicidade e propaganda na promoção dos produtos e serviços oferecidos?
  • Qual a meta de venda de cada colaborador e como a organização pode ajudá-lo a alcançar?

O que pode acontecer se for mal aplicado?

Se a estratégia for mal aplicada, alguns efeitos colaterais negativos podem acontecer, vamos conhecê-los agora: 

Processos ineficientes

Os processos de recrutamento e seleção em uma empresa acabam ficando um tanto desatualizados e ineficientes. A baixa produtividade é um dos problemas que podemos citar quando a empresa não consegue fazer uma boa gestão interna e externa das demandas.

Não basta apenas que cada funcionário tenha a sua própria função, mas eles precisam estar engajados com o clima organizacional e como executar as tarefas com maior rapidez e funcionalidade. 

Clima organizacional ruim

E por falar em clima organizacional, esse é um dos pontos negativos de quando o downsizing e rightsizing não são aplicados corretamente.

O ambiente interno da empresa precisa estar em plena harmonia para que os colaboradores e gestores trabalhem bem e alcancem resultados cada vez melhores. 

Portanto, quando o clima está ruim é necessário rever as estratégias de gestão de pessoas e buscar motivá-las.

Imagem interna e externa prejudicadas

Imagine os clientes começarem a perceber que a empresa está enxugando o quadro de funcionários e aos poucos vão sobrando poucos colaboradores?

Essa imagem pode ser um tanto conflituosa para o público, já que é sempre bom passar uma imagem positiva de prosperidade e abundância às pessoas. Isso pode impactar a visão interna e externa da empresa, quando não é explicado corretamente o que está havendo.

Todos esses problemas podem ser resolvidos quando gestores e líderes da empresa se unem em prol de algo maior. Assim, criar estratégias que façam a empresa crescer e se destacar no mercado deve ser uma das metas da organização.

Para te ajudar a controlar os processos de RH, reduzir custos e melhorar a produtividade de gestores e colaboradores, baixe agora mesmo a Planilha de Planejamento e Orçamento de RH da Convenia de maneira gratuita! 

Essa é uma ferramenta poderosa para que a sua empresa tenha mais autonomia nas decisões e otimize os seus resultados. 

New call-to-action

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post