O que é entrevista semiestruturada e quando aplicar?

O que é entrevista semiestruturada e quando aplicar?

O que é entrevista semiestruturada e quando aplicar?

Siga essa rota! Esse pode ser um conselho dado a pessoas que desejam fazer uma trilha, mas não conhecem bem o percurso. Quando o caminho certo é encontrado, todo o trajeto fica mais agradável e se evita a frustração de estar perdido. Essa analogia explica bem a importância de uma entrevista semiestruturada.

Mas o que é esse tipo de entrevista? Como é realizada? Quais são as vantagens que oferece para o processo de recrutamento e seleção? Essas perguntas serão respondidas nos próximos tópicos. Acompanhe o nosso artigo!

O que é entrevista semiestruturada?

Em resumo, a entrevista semiestruturada é um método utilizado pelos recrutadores para direcionar e manter o foco durante as interações com os candidatos. Esse tipo de entrevista é embasado em um roteiro com perguntas pré-elaboradas.

Porém, como o próprio nome já revela, a entrevista é semi e não totalmente estruturada. Isso quer dizer que o entrevistador tem flexibilidade e certa liberdade no decorrer da conversa. Sendo assim, outros questionamentos podem ser feitos e algumas perguntas do roteiro talvez sejam remodeladas.

Uma das razões para essa flexibilidade é a possibilidade de gerar conversas descontraídas que deixem tanto o entrevistador quanto o entrevistado à vontade. Nesse ambiente, é mais fácil que o candidato revele o seu verdadeiro perfil em vez de ficar na defensiva ou se camuflar.

Como fazer uma entrevista semiestruturada?

Para que a entrevista semiestruturada seja bem sucedida, é necessário ter o embasamento em técnicas fundamentais. A seguir, apontamos algumas delas.

Ambiente menos formal

Como dito, o objetivo da entrevista semiestruturada é promover conversas leves e descontraídas. Para estimular esse tipo de interação, é importante que o ambiente no qual acontecerá a entrevista tenha uma atmosfera mais informal.

Por exemplo, em vez de uma sala de cores neutras ou escuras, talvez seja melhor um local com tons claros e vibrantes. Algumas empresas até usam móveis com um design menos sóbrio e mais despojado em salas de entrevistas – uma ótima maneira de trazer leveza para o ambiente.

Não determinar tempo

Outra técnica da entrevista semiestruturada é a flexibilidade na duração da conversa – não existe um tempo pré-determinado. Dessa forma, o entrevistador não se sente pressionado a fazer uma sequência rápida de perguntas antes que o tempo se esgote.

Essa flexibilidade permite também que o recrutador escute com atenção o candidato. Caso não tenha entendido alguma informação, ele pode tranquilamente reformular perguntas para um melhor esclarecimento.

Combinação de perguntas abertas e fechadas

O recrutador terá em mãos um roteiro com perguntas abertas e fechadas. Com essas últimas, o entrevistador tem a oportunidade de descobrir qualificações específicas (hard skills) e soft skills que sejam importantes para a função da vaga.

Por outro lado, os questionamentos abertos permitem a identificação de nuances no perfil comportamental do candidato. Por exemplo, o entrevistador pode perguntar: como reagiria se fosse pressionado para cumprir uma tarefa em um prazo curto? Esse é um tipo de pergunta aberta que revelará como o profissional se comporta diante de desafios.

Vantagens deste modelo de entrevista

A entrevista semiestruturada se encaixa bem no atual cenário corporativo que se torna cada vez mais flexível em seus processos. Sendo assim, uma das vantagens desse tipo de entrevista é a sua característica inovadora, podendo ser aplicada, inclusive em entrevistas online. No entanto, podemos citar outros grandes benefícios, como:

  • Conversas bem direcionadas e relevantes;
  • Oportunidade de descobrir a capacidade do candidato em relação a desafios, problemas e diferentes cenários internos;
  • Possibilidade de conhecer detalhes importantes sobre o perfil comportamental dos entrevistados;
  • Interações que estimulem respostas espontâneas;
  • Flexibilidade para o entrevistador quanto a formulação de novas perguntas.

Quando aplicar?

Uma dúvida comum é em que fase do processo de recrutamento e seleção a entrevista semiestruturada se encaixa melhor. A resposta a esse questionamento é: não existe uma regra específica.

Para tomar essa decisão, cada RH deve realizar um planejamento das etapas do recrutamento e seleção. Dessa forma, é possível identificar o momento mais adequado. Como um direcionamento, talvez a entrevista semiestruturada seria apropriada após uma dinâmica em grupo.

Uma vez que, o clima descontraído da dinâmica pode favorecer uma interação mais agradável na entrevista. Por outro lado, os recrutadores também podem inserir a entrevista, por exemplo, depois da realização de um teste de conhecimentos.

Normalmente, esses testes são realizados de um modo mais formal, pois exigem a atenção dos candidatos enquanto respondem a questões e resolvem desafios. Sendo assim, uma conversa leve, na sequência, pode “quebrar o gelo” e deixar o candidato mais à vontade para as próximas etapas.

Qual a diferença entre uma entrevista semiestruturada e estruturada?

A principal diferença entre esses dois tipos de entrevista está na elaboração do roteiro. Como vimos em um tópico anterior, a semiestruturada possibilita a inserção de perguntas que não estavam no roteiro inicial – o foco é a flexibilidade na interação.

Já a estruturada tem um roteiro base que não pode ser modificado. Para que as perguntas sejam utilizadas com diversos candidatos de perfis comportamentais distintos, o RH elabora questionamentos genéricos sobre: carreira, formação acadêmica, interesses etc.

Ao receber as respostas, os entrevistadores tentam anotar o maior número de informações para uma pós-avaliação. Outra característica desse tipo de entrevista é o tempo limite para a conversa – que costuma ser fixo.

Na verdade, a entrevista estruturada pode ser usada quando a organização não tem uma definição precisa sobre o tipo de perfil profissional que deseja no time interno. Nesse caso, o mais importante é identificar as hard skills (habilidades adquiridas por meio de certificações, graduações e experiências corporativas).

Entretanto, se a empresa tem uma  cultura organizacional sólida, deseja montar equipes plurais, levanta a bandeira da inovação e da inclusão, bem como quer oferecer uma excelente experiência para colaboradores (employee experience), a entrevista semiestruturada será de grande ajuda.

Sem dúvidas, o futuro do mundo corporativo será pautado em metodologias e técnicas flexíveis de recrutamento e seleção. Nesse cenário, como vimos, a entrevista semiestruturada se encaixa muito bem. Vale a pena o RH aplicá-la nos processos seletivos.

O que achou do nosso artigo? Entendeu o que é e como aplicar a entrevista semiestruturada? Então, aprenda mais, baixando agora mesmo o nosso e-book: Dinâmicas para entrevistas online: 7 sugestões para o RH.

New call-to-action

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post