Perennials: por que o RH deve se atentar a essa geração

Perennials: por que o RH deve se atentar a essa geração

Perennials: por que o RH deve se atentar a essa geração

A segmentação em gerações é uma boa maneira de entender o perfil comportamental de indivíduos nascidos em um mesmo período. Porém, esse método tende a generalizar hábitos, estilos de vida e gostos para todas as pessoas de uma determinada geração. No entanto, esse pensamento não condiz com a realidade e o conceito dos perennials é a prova disso.

Mas quem são os perennials? Quais são as suas características? Por que as organizações devem prestar atenção neles? Qual é a vantagem de contratá-los? Continue lendo o nosso artigo para entender melhor o assunto!

Quem são os Perennials? 

Os perennials também são conhecidos como ageless generation (geração sem idade). Eles fazem parte de um grupo de indivíduos que não se sentem representados pela sua geração nem por outras. Parece confuso? Vamos explicar melhor.

Os perennials são, acima de tudo, abertos às influências de todas as gerações. Isso quer dizer que são uma mistura de todas as gerações e dos seus traços comportamentais. Não estamos falando aqui de uma pessoa nova que se comporta como alguém mais velho ou vice-versa.

Na verdade, a geração sem idade é composta de indivíduos que escolhem o estilo de vida que mais lhe agrada – não importa de qual universo geracional seja. Podemos dizer que os perennials romperam as barreiras e os moldes impostos pela sociedade. Sendo assim, eles são o tipo de pessoa que desejam ser.

Gerações, como funciona a classificação

Embora exista a ageless generation, muitas pessoas se identificam com a sua geração. Para conhecer melhor os seus profissionais internos, é importante que a empresa conheça o perfil de cada uma das atuais gerações que estão presentes no mercado de trabalho. A seguir, traçamos o perfil das quatro principais.

Baby boomers

Os babies boomers nasceram entre os anos de 1945 e 1964. As principais características desse grupo geracional são:

  • Desejo de consolidar uma carreira longeva na empresa;
  •  Fidelidade e dedicação a organização;
  •  Experiência de vida e de profissão.

Geração X

Entre os anos de 1965 e 1980 surgiu a geração X. De acordo com o estudoMillennials – Unravelling the Habits of Generation Y in Brazil”, produzido pela Tech Team, a geração X é a segunda mais atuante no mercado de trabalho. Ocupa 26% das vagas nas empresas. Entre as suas características, podemos citar:

  • Facilidade no uso de tecnologias;
  • Respeito pela hierarquia;
  • Busca por estabilidade;
  • Motivação em situações difíceis.

Geração Y

A geração Y ou millennials inclui os nascidos entre os anos 1980 e 2000. Esses indivíduos são mais conhecidos pelo seu perfil tecnológico e a alta conectividade com as mídias sociais. Podemos montar o contorno comportamental da geração Y assim:

  • Desapego as instituições;
  • Busca por soluções criativas, práticas e inovadoras;
  • Trabalhar com foco no propósito e na experiência de carreira.

Geração Z

Os que vieram ao mundo após o ano de 2001 se enquadram na geração Z. Esse grupo de indivíduos ainda é bem jovem e muitos deles estão iniciando a carreira profissional. Portanto, fica difícil traçar com exatidão o perfil dessa geração. Porém, já percebemos que:

  • Tendem a ser hiper conectados ao mundo digital;
  • Prezam a flexibilidade no trabalho;
  •  Gostam de aliar qualidade de vida com a carreira;
  • São mais adaptáveis à cultura da empresa.

Surgimento dos Perennials

O termo perennials foi criado por Gina Pell – empreendedora de moda e da tecnologia, além de cofundadora da Splendora e The What. Em um artigo que assina, Gina Pell revelou que os indivíduos dessa geração transcendem estereótipos, fazendo conexões com o mundo e as pessoas que os cercam.

No entanto, os perennials só ganharam destaque depois que o artigoYour Obsession With Millennials Won’t Survive 2017”, publicado pela Fast Company, explicou em detalhes o perfil dessa geração. De lá para cá, muitas pessoas se identificaram como perennials. Além disso, esses indivíduos conquistaram “um lugar ao sol” no mundo corporativo.   

Quais as principais características dos Perennials?

Devido a amplitude das características que compõem o comportamento dos perennials, é difícil criar um perfil único e genérico deles. Entretanto, como acontece com outros grupos, existem traços similares. A seguir, apontamos alguns deles.

Comportamento

Os perennials são bons influenciadores. Essa facilidade vem do fato de observarem atentamente as tendências geracionais e adquirirem o que desejam delas. Sendo assim, esse grupo compreende as pessoas de diversas gerações e vivem um pouco do que elas vivem.

Ao dar conselhos e orientações, tendem a ser mais empáticos, gerando no ouvinte um sentimento de gratidão. Outro traço comportamental é a vocação para mudanças na forma como trabalham, no estilo de vida e nas experiências da carreira.

Hábitos

No contexto social, os perennials possuem amigos de todas as idades, são fiéis a marcas que oferecem sustentabilidade, praticidade e possuem uma mentalidade inclusiva. Já no ambiente empresarial, eles fogem dos modelos tradicionais de trabalho e se agarram às práticas disruptivas e flexíveis.

Podemos apontar ainda a criatividade como um hábito constante na vida dos perennials. Essa qualidade vem do contato com pessoas de diversos perfis e do consumo de conteúdo variados na internet. 

Benefícios de contratar perennials?

A cultura da diversidade nunca esteve tão em alta no mundo corporativo. Hoje, as empresas entendem que um time plural e inclusivo é a chave para processos inovadores e práticas de excelência. Sendo assim, é importante que as organizações tenham perennials na sua equipe interna.

Como vimos, esse grupo geracional é entusiasta, curioso, inovador e cheio de novas ideias. Por isso, são profissionais que não se acomodam. Pelo contrário, eles buscam aprimorar habilidades e competências, bem como adquirir novos conhecimentos.

Ao se relacionarem com outros colaboradores, os perennials criam um espírito de parceria, troca de experiências e afetividade. Sem dúvidas, eles contribuem muito para a melhoria do clima organizacional e a disseminação da cultura da aprendizagem.

Como é bom saber que existem pessoas que não se conformam com rótulos e moldes. Afinal, não tem como rotular a raça humana, pois somos diferentes em personalidade, habilidades e histórico de vida. É essa diversidade que torna a nossa sociedade tão interessante.

O que achou do nosso artigo? Gostou de conhecer os perennials? Quer ter esse e outros tipos de profissionais na sua empresa? Então, você precisa ler o e-book: Como criar um comitê da diversidade na sua empresa.

New call-to-action

 

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post