Conheça o Talent Acquisition e como desenvolver essa estratégia na sua empresa

Conheça o Talent Acquisition e como desenvolver essa estratégia na sua empresa

De acordo com o estudo “Success personified in the fourth industrial revolution”, produzido pela Deloitte Insights, 86% dos respondentes disseram que estão fazendo o máximo para criar times talentosos. Com a ajuda do conceito talent acquisition, as empresas encontram os profissionais conhecidos como HIPOs (high potencial, em português: alto potencial).

Neste artigo, explicaremos melhor o que é talent acquisition. Além disso, mostraremos a diferença entre esse conceito e o processo de recrutamento. Falaremos também quais são as etapas de implantação de um programa de talent acquisition. Acompanhe os próximos tópicos!

O que é Talent Acquisition?

O Talent Acquisition, ou aquisição de talentos, é uma abordagem voltada para a identificação, atração e retenção de profissionais de alto desempenho no time da empresa. Dessa forma, tem como intuito elevar a eficiência, produtividade e inovação do negócio.

Porém, o talent acquisition não deve ser visto como um processo pontual, ou seja, aplicado apenas no processo de recrutamento. Pelo contrário, o objetivo é que tenha um alcance mais amplo, impactando também nas seleções internas. Sendo assim, a empresa entende como gerenciar de maneira inteligente os talentos que possui.

Diferenças entre Talent acquisition e recrutamento

O recrutamento e o talent acquisition são vistos por algumas empresas como o mesmo processo, mas com nomes diferentes. Contudo, são abordagens distintas. Ao analisarmos esse assunto com mais cuidado, veremos que, na verdade, o recrutamento faz parte do conjunto de estratégias que compõem o talent acquisition.

Afinal, o recrutamento tem demandas típicas do talent acquisition, como a atração, a seleção, as entrevistas e a contratação de profissionais. No entanto, separando esses dois processos, chegaremos a seguinte diferença:

  • O recrutamento é reativo e imediato, pois tem a finalidade de preencher as funções internas vagas;
  • O talent acquisition tem efeitos de longo prazo. Dessa forma, a empresa atrai os talentos com as competências certas para que a empresa continue a evoluir e atingir as metas estipuladas.

Para esclarecer ainda mais essa diferença, podemos pensar no talent acquisition como uma estratégia cíclica que gera uma espécie de funil de talentos no qual os HIPOs são atraídos e retidos de forma sistemática.  Já o processo de recrutamento é uma estratégia linear com um ponto inicial e um final: atrair e contratar colaboradores.

Quais as etapas para um programa de aquisição de talentos?

As empresas não devem achar que uma vez adquirido um talento profissional, os resultados positivos aparecerão naturalmente. Na verdade, os efeitos positivos são gerados quando esses talentos são bem direcionados e aproveitados.

Esse pensamento é reforçado em um artigo da Fast Company. Segundo essa matéria, muitas organizações têm os HIPOs que precisam, mas não sabem usá-los com eficiência. O resultado é que os menos talentosos alcançam cargos de liderança e os de maior potencial seguem em funções subordinadas.

Para evitar esse cenário interno, a empresa precisa criar um programa bem estruturado de aquisição de talentos. Mas como fazer isso? A seguir, elencamos algumas dicas.

Análise das necessidades internas

Realização de um estudo que revele quais são as competências e habilidades necessárias para a eficiência das funções e dos cargos internos. É importante entender também quais são os valores e objetivos da empresa, ou seja, a sua cultura interna.

Requisitos para uma contratação

O RH pode elaborar um documento para ser preenchido quando os gestores de uma área desejam contratar um novo profissional. Nesse documento, haverá alguns questionamentos sobre a área, o cargo, a carga horária e as razões para a solicitação.

Formulação da vaga

Nessa fase, o RH coleta os dados essenciais para a formulação dos critérios e para a divulgação da vaga, como: descrição do trabalho, competências e habilidades necessárias, experiência profissional etc.

Métodos de seleção

Dependendo da função, o RH pode determinar diferentes métodos seletivos, como: entrevistas, dinâmicas em grupos, jogos interativos, atividades experienciais, entre outras técnicas.

Busca e atração de talentos

O RH divulga a vaga, mas também realiza uma pesquisa em busca dos HIPOs passivos – profissionais que não estão procurando emprego. Sendo assim, esse grupo talvez nem visualize o anúncio da vaga. Porém, o RH identifica competências neles e os chama para a seleção.

Administração dos métodos de seleção

Uma vez escolhidos os candidatos do processo seletivo, o RH aplica os métodos de seleção definidos na etapa anterior.

Contratação

Após a aprovação de um candidato, o RH inicia o processo de negociação. Nessa etapa, o futuro colaborador é apresentado aos benefícios e remunerações atreladas ao cargo.

Integração

O RH explica quais são as expectativas da empresa em relação ao contratado, as atribuições do cargo, bem como o insere no processo de onboarding.

Avaliação

O novo colaborador é avaliado de perto pelos gestores. Durante esse período, são oferecidos feedbacks ao profissional. Além disso, os gestores escutam o ponto de vista e os desafios que ele está enfrentando no trabalho.

4 características de um bom processo de talent acquisition

Seguindo as dicas dadas no tópico anterior, a empresa terá um processo de talent acquisition robusto e estratégico. Sendo assim, os gestores de RH conseguirão atingir as quatro características que compõem o talent acquisition. São elas:

1. Eficácia – vagas preenchidas por profissionais de alto desempenho;

2. Estrutura de qualidade – um processo de atração de talentos bem estruturado e capaz de identificar os HIPOs do mercado de trabalho;

3. Alinhamento colaborativo – o RH alinha as metas de aquisição de talentos com as da organização, respeitando os moldes da cultura interna;

4. Sustentabilidade e aprimoramento – o processo de aquisição de talentos fica sólido e recebe constantes melhorias. O resultado é a contratação de profissionais cada vez mais compatíveis com as necessidades da empresa.

Atualmente, muito se fala sobre “a guerra de talentos” entre as empresas. Essa disputa é embasada no crescimento da necessidade das organizações de montar times de alto desempenho para fazer frente aos desafios do mundo corporativo.

Porém, com a ajuda do talent acquisition, a empresa não precisa “batalhar” por HIPOs, pois eles serão atraídos por meio das estratégias certas.

Gostou do nosso artigo? Entendeu o que é talent acquisition e os seus benefícios para a empresa? A Convenia criou uma planilha para melhorar o processo de admissão de funcionários. Baixe agora mesmo o Checklist de onboarding de novos colaboradores!

New call-to-action
Clique para avaliar esse post!
[Total: 0 Média: 0]

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post