Teste palográfico: o que você precisa saber ao aplicar

Teste palográfico: o que você precisa saber ao aplicar

A personalidade define grande parte do perfil de um colaborador. No livro “Mindset: A nova psicologia do sucesso”, escrito por Carol S. Dweck, é revelado que a personalidade, entre outras coisas, é um fator determinante para a criação de uma mentalidade positiva ou negativa no trabalho. Para saber mais sobre a personalidade dos profissionais, muitas empresas utilizam o teste palográfico.

Neste artigo, explicaremos sobre esse tipo de avaliação. Falaremos também sobre como aplicá-la na empresa e quais são os seus benefícios para a gestão de pessoas. Continue a leitura!

O que é o teste palográfico?

O teste palográfico mensura a personalidade de um indivíduo e aponta as suas características comportamentais. Por meio de tarefas específicas, o avaliado revela traços de personalidade, como:

  • Inteligência emocional;
  • Impulsividade;
  • Capacidade de concentração;
  • Vitalidade;
  • Resiliência;
  • Organização;
  • Espírito de liderança, etc.

Além dessas características pessoais, o teste palográfico também ajuda na identificação de problemas que afetam o sistema nervoso central, como as doenças emocionais, neurológicas, o uso de álcool ou drogas.

Esse método é reconhecido pelo Conselho Nacional de Psicologia e largamente adotado por em testes feitos em instituições públicas, como o Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) e a Polícia Federal.

Testes psicológicos e a sua importância para as empresas

O teste palográfico faz parte do grupo de avaliações psicológicas desenvolvidas por profissionais especializados na neurociência e no comportamento humano. Sendo assim, esses testes são ferramentas confiáveis e eficientes que podem ser utilizadas pelas organizações tanto no processo de recrutamento e seleção quanto na gestão interna de competências.

No caso do processo de recrutamento e seleção, o teste palográfico indicará se um candidato tem as competências e comportamento profissional compatíveis com a cultura da empresa e com os requisitos de uma função interna.

Já na gestão interna de competências, essa avaliação apontará quais colaboradores possuem as soft skills adequadas para receber uma promoção de cargo ou atuarem na liderança da empresa.

Quando o teste palográfico é usado nessas duas áreas, a organização reduz o índice de rotatividade (turnover) de profissionais ao mesmo tempo em que eleva a produtividade das equipes.

Outro grande trunfo que essa avaliação pode dar a empresa é a possibilidade da formação de times plurais. Esse tipo de equipe possui profissionais de diferentes perfis, mas com competências que se completam. O resultado dessa pluralidade é visto na elevada qualidade dos serviços e projetos que realizam.

Como aplicar e corrigir o teste palográfico?

Vale lembrar que o teste palográfico é projetivo, ou seja, revela as características comportamentais de forma indireta. Essa avaliação é realizada por meio de representações gráficas, como traços verticais ou horizontais feitos em um papel.

Esses traços são chamados de palos. De acordo com as instruções dadas pelo avaliador, o profissional faz os traços. Dependendo da quantidade, do formato e do posicionamento dos palos, o avaliador identifica características de personalidade.

Parece um teste simples – e é mesmo. Porém, essa aparente simplicidade esconde uma amplitude de observações e análises que podem ser feitas com a ajuda dos traços. É importante ressaltar que não existem palos certos ou errados. Afinal, eles são reflexos de personalidades únicas de pessoas distintas.  

Quem pode aplicar e avaliar?

Como dito no tópico anterior, os testes psicológicos devem ser aplicados por profissionais formados e registrados no Conselho Federal de Psicologia (CFP). Somente esses psicólogos têm o conhecimento neurocientífico adequado para analisar os resultados do teste palográfico.

No entanto, antes de um psicólogo da empresa aplicar essa avaliação, é necessário um treinamento específico que também é dado pelo CFP. Dessa forma, o teste seguirá normas oficiais específicas que garantem a validade dos resultados.

Do contrário, a interpretação dos resultados obtidos pode ser distorcida devido à complexidade da abordagem psicológica desse tipo de teste. Além disso, dependendo da finalidade da aplicação, as abordagens e análises do teste podem ser diferentes.

Quais os benefícios de usar o teste?

Com a ajuda do teste palográfico, a empresa ganha muitos benefícios valiosos para a sua gestão do capital humano. A seguir, listamos as principais vantagens.

Redução de custos

Quando um colaborador não tem um perfil compatível com a cultura da empresa, o resultado pode ser o aumento dos custos relacionados a baixa produtividade, faltas ao trabalho e o desligamento voluntário.

Além disso, o RH precisará iniciar um processo de recrutamento e seleção para encontrar um novo profissional para ocupar o cargo vago. Após a contratação, existem ainda as despesas com o processo de onboarding e com o treinamento do recém contratado.

Porém, essas despesas podem ser enxugadas caso o RH utilize o teste palográfico. Uma vez que, como citamos anteriormente, fica mais fácil encontrar profissionais que possuem o fit cultural da empresa e depois retê-los na equipe.

Identificação de líderes

O teste palográfico pode ser inserido no programa de desenvolvimento de líderes, bem como nos treinamentos e na gestão comportamental. Dessa forma, os gestores conseguem identificar traços de liderança nos colaboradores.

Talvez, a empresa queira uma liderança mais empática e com inteligência emocional. Essas características podem ser incluídas na abordagem da avaliação do teste palográfico. O resultado será uma liderança alinhada com os objetivos estratégicos do negócio.

Cultura da inovação

Atualmente, muitas empresas desejam inserir a cultura da inovação no seu ambiente interno. No entanto, a criação desse tipo de cultura começa com a contratação de profissionais com espírito inovador. Dessa forma, a inovação é compartilhada entre todos os membros dos times.

Com a ajuda do teste palográfico, os recrutadores reconhecem os candidatos de um processo seletivo que tem a inovação na sua personalidade. Em seguida, esses profissionais podem até mesmo serem utilizados em projetos estratégicos.  

Modelos flexíveis de trabalho

Os horários de trabalho flexíveis e o serviço em home office são duas fortes tendências no mundo corporativo. Ambos podem ser implantados na empresa por meio do teste palográfico. Como assim?

Essa avaliação ajudará a organização a reconhecer se os seus profissionais têm um perfil compatível com esse tipo de flexibilidade de trabalho. Se a resposta for positiva, a empresa melhora a experiência interna dos colaboradores.

Sem dúvidas, o capital humano é a principal engrenagem de uma empresa. Quando a organização reconhece e utiliza as competências do seu time interno, os resultados positivos são bem expressivos.

O que achou do nosso artigo? Entendeu o que é e como funciona o teste palográfico? Então aprenda agora como potencializar as principais competências profissionais de 2021 nos seus colaboradores!

New call-to-action
Clique para avaliar esse post!
[Total: 0 Média: 0]

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post