Controle de ponto manual: você pode estar sabotando sua empresa

Controle de ponto manual: você pode estar sabotando sua empresa

Tempo de leitura: 6 minutos

O controle das informações de uma empresa é de grande importância para a geração de indicadores e a consequente adoção de estratégias eficientes para melhorar o desempenho do negócio. Com a inserção da tecnologia, foi possível modernizar muitas ações do setor de Recursos Humanos e do Departamento Pessoal, incluindo o controle de ponto manual.

Algumas pessoas sequer chegaram a conhecer, mas a marcação do ponto já foi feita de uma maneira bastante rudimentar: com anotações em uma folha de papel. A partir disso, foram criadas diversas outras formas mais eficientes de controlar os horários de trabalho.

Está se perdendo no controle de ponto manual? Então, nós vamos te ajudar! Baixe agora mesmo a nossa PLANILHA GRATUITA e realize o controle de forma segura!

Com o surgimento da tecnologia e suas soluções, o controle manual se tornou um método totalmente obsoleto, deixando a desejar em vários aspectos e dificultando a vida do DP.

Se a sua empresa ainda utiliza o controle de ponto manual, saiba que isso pode estar sabotando diariamente os resultados do negócio. Fique conosco e entenda mais sobre o assunto!

O que é o controle de ponto?

O controle de ponto nada mais é do que o registro dos horários de trabalho que os colaboradores de uma equipe cumprem. Geralmente, estão incluídas a entrada, uma pausa, a volta da pausa e a saída da empresa. Isso serve tanto para otimizar a gestão do RH quanto para organizar e monitorar a jornada por questões legais.

Com a publicação da Lei da Liberdade Econômica – a Lei 13.874 de 20 de setembro de 2019 – que alterou o § 2º do art. 74 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), a obrigatoriedade do controle de jornada passou a valer para os estabelecimentos com mais de 20 (vinte) trabalhadores, salvo alguns casos específicos. Por isso, as empresas acabam optando entre o controle de ponto manual, mecânico ou eletrônico. Conheça as diferenças entre eles:

  • manual — caderno ou catálogo em que os próprios funcionários registram seus horários;
  • mecânico ou cartográfico — cartão carimbado por uma máquina que marca a jornada;
  • eletrônico — sistema informatizado de controle e monitoramento da jornada por cartão, biometria, senha e até mesmo por reconhecimento facial.

Agora que você já conhece os diferentes tipos de pontos, saiba como o controle manual pode estar sabotando a sua empresa.

Quais são os problemas com o controle de ponto manual?

A pergunta certa seria: “quais não são os problemas com o controle de ponto manual?” Esse método, realmente, pode causar muitos empecilhos para a empresa, desde coisas simples até problemas trabalhistas sérios. Se você ainda não acredita que isso possa acontecer, confira os principais motivos pelos quais você deve se preocupar, caso ainda use essa alternativa.

Muito mais trabalho

O controle de ponto manual exige a compilação e o tratamento de dados de uma forma que pode ser muito trabalhosa e, principalmente, lenta. Quem trabalha no setor, precisa reunir todas as informações de ponto batido e ainda calcular as horas trabalhadas, atrasos, faltas e saldos do banco de horas.

Com a evolução da tecnologia, existem alternativas muito mais ágeis e práticas para fazer isso, diminuindo esforços humanos e automatizando uma tarefa mecânica. Assim, os profissionais que ficariam encarregados desse trabalho obsoleto, podem se dedicar a atividades mais relevantes para os resultados do negócio.

Maior risco de falhas

Sempre que você ouvir falar em “atividade manual”, é preciso reconhecer que existe um risco maior de falha. Por que isso acontece? Porque quando uma máquina realiza uma determinada tarefa, é sinal de que aquela ação é tão repetitiva que pode ser reproduzida a partir de um padrão expresso em algoritmo. Logo, existe uma máquina executando um comando, nada além disso.

Com as pessoas, muitos outros fatores além do “comando” podem interferir na atenção durante a execução de uma tarefa. Pequenas distrações podem ser a causa de grandes erros de cálculo, por exemplo, e isso afetará a folha de pagamento.

Possibilidade de adulteração

Algumas falhas podem acontecer de forma involuntária, por desatenção de um colaborador. No entanto, não podemos ignorar a possibilidade de que o controle de ponto pode ser adulterado propositalmente para cobrir algum atraso ou até ausência.

No caso do controle de ponto manual, fica muito mais simples fazer essa adulteração, seja pedindo para que um colega de trabalho marque o ponto para outro, seja compartilhando sua senha de acesso no sistema informatizado.

Quais são as vantagens do ponto eletrônico?

Utilizar o ponto eletrônico é uma forma de superar essas dificuldades e amenizar os riscos de fraude, falhas e ineficiência dos processos. Além disso, é um meio de garantir segurança tanto para a empresa quanto para o próprio colaborador.

Veja como a sua empresa pode se beneficiar, a seguir.

É fácil de usar

O controle de ponto eletrônico utiliza interfaces intuitivas, mais fáceis de usar, que ajudam tanto o colaborador quanto o RH. Com sistemas modernos e práticos de gestão, fica muito mais simples transformar essa tarefa em algo simples e automatizado.

Além disso, os dados são integrados, gerando diversas informações relevantes em poucos minutos, tais como o controle do banco de horas e a grade salarial. É assim que as tarefas operacionais se tornam mais eficazes e os líderes e colaboradores podem se concentrar cada vez mais na estratégia do setor.

Diminui os processos trabalhistas

Um controle de ponto justo é o que a empresa e o colaborador querem. Por isso, eliminando as possibilidades de falha, diminuem significativamente os problemas trabalhistas, especialmente aqueles que estão relacionados às inadequações ou inconsistências da jornada de trabalho.

Além disso, é possível tornar muito mais claras e acessíveis informações sobre o banco de horas, alterações e demais dúvidas sobre a carga de trabalho e a folha de pagamento. Desse modo, todos os envolvidos saem satisfeitos.

Gera mobilidade e flexibilidade

Alguns softwares permitem que o registro e o controle do ponto sejam feitos pelo aplicativo no smartphone ou tablet. Assim, não é difícil fazer o monitoramento da equipe em tempo real, desde que o dispositivo esteja conectado à internet.

Isso também é útil para quem trabalha com home office ou fora da estrutura da empresa. Para que funcione, é preciso apenas que haja um recurso de identificação (como reconhecimento facial ou impressão digital) e a localização.

Com tantos recursos à disposição, é realmente difícil de entender por que continuar perdendo produtividade e agilidade com o controle de ponto manual, não é mesmo? No dia a dia, uma solução simples e prática, como o ponto eletrônico, pode otimizar todo o cotidiano do negócio e tornar o RH muito mais estratégico.

Se você quer saber como o RH pode ser muito mais eficiente na sua empresa, abra mão agora mesmo do controle de ponto manual e outras práticas defasadas, fazendo o teste gratuito do Convenia RH!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *