Principais indicadores e métricas de recrutamento e seleção

Principais indicadores e métricas de recrutamento e seleção

Principais indicadores e métricas de recrutamento e seleção

Os indicadores de recrutamento e seleção são um conjunto de métricas que visam avaliar o desempenho das demandas de R&S em curto, médio e longo prazo. Com a ajuda desse histórico de dados, a área de R&S mensura o progresso rumo ao alcance de objetivos estratégicos, como a criação de um time plural, a atração e a retenção de talentos profissionais.

Neste artigo, explicaremos como utilizar, quais são os mais indicados e as vantagens de implantar os indicadores de recrutamento e seleção no RH. Acompanhe nos próximos tópicos!

Como utilizar os indicadores de recrutamento e seleção na prática?

De acordo com o livro “Indicadores de Desempenho. Dos objetivos à ação – Métodos para elaborar KPIs e obter resultados”, dos autores Andresa S. N. Francischini e Paulino G. Francischini, os indicadores são atrelados a objetivos – e não o contrário. Como assim?

Essa obra explica que o objetivo é a resolução clara de um problema vivido na empresa. Sem um objetivo bem definido, não há o que mensurar e, portanto, não se resolve nada dentro da organização. Em outras palavras, não se chega a lugar nenhum.

Aplicando na área de R&S, os indicadores só entregarão resultados positivos se estiverem conectados a metas claras. Dessa forma, os gestores obterão dados bem direcionados que facilitarão o alcance da excelência nos processos.

Por que analisar os indicadores de recrutamento e seleção?

Segundo o estudo “Guide to Key performance indicators – Communicating the Measures that matter”, produzido pela PricewaterhouseCoopers (PWC), as empresas que escolhem e usam bons indicadores de desempenho encontram ideias valiosas que impulsionam as boas práticas internas.

De maneira similar, a análise dos indicadores de recrutamento e seleção ajudam na elaboração de estratégias para a otimização da qualidade e do desempenho do processo de contratação. O resultado dessa prática será visto na:

  • Redução de gastos com o processo seletivo;
  • Eficiência das contratações;
  • Diminuição da taxa de turnover ou rotatividade interna;
  • Eliminação de demandas burocráticas e manuais;
  • Redução do tempo entre a divulgação de uma vaga e a admissão do novo colaborador;
  • Implantação de um processo digital norteado pelas boas práticas da transformação digital.

Atualmente, muito se fala sobre a descentralização do ambiente de trabalho. Nesse contexto, as empresas adotam o conceito BYOE (Bring Your Own Environment, em português, Traga o seu Próprio Ambiente).

Em termos simples, o BYOE engloba modelos de trabalho remoto, como o home office e o trabalho híbrido. De acordo com dados da Accenture, 81% dos líderes respondentes disseram que organizações líderes mundiais adotarão o BYOE nos próximos anos.

Mas o que o BYOE tem a ver com os indicadores de recrutamento e seleção? Com a ajuda dessas métricas, o RH conseguirá contratar profissionais com um perfil alinhado com esse novo formato de trabalho.

Sendo assim, a empresa não só se adapta de forma mais rápida a essa tendência como também se posicionará como um negócio pautado na cultura de inovação. Desse modo, o RH terá muitos talentos profissionais desejando participar dos processos seletivos.  

Quais métricas acompanhar?

Dentre tantos indicadores disponíveis, é comum que os gestores da área de R&S tenham dúvidas sobre quais devem ser implantados e acompanhados. Para ajudar nessa definição, a seguir, elencamos alguns deles.

Custo de contratação

O processo de contratação envolve custos com a divulgação das vagas, realização de dinâmicas, entrevistas, testes, uso de tecnologias etc.  Esses gastos precisam ser identificados visando a adoção de estratégias para a eliminação dos que são desnecessários.

Com as informações geradas pelos indicadores, o RH perceberá se o custo de contratação está dentro do orçamento. Mesmo que esteja, talvez seja possível reduzir as despesas e canalizá-las para outros processos importantes.

Tempo para contratação

Os indicadores de recrutamento e seleção ajudarão o RH a responder a seguinte pergunta: Qual é o tempo médio consumido para contratar um novo colaborador? O ideal é que esse processo faça a união da agilidade com a qualidade.

Sendo assim, a empresa evita que os cargos fiquem vagos por um longo tempo e a contratação seja assertiva, trazendo benefícios para o negócio.

Taxa de turnover

O índice de turnover ou rotatividade precisa ser acompanhado por indicadores. Quando essas métricas revelam uma elevação da rotatividade, pode ser um sinal de que a área de recrutamento e seleção está contratando profissionais incompatíveis com a vaga ou a cultura da empresa.

Algo que pode ajudar é a elaboração de critérios bem definidos para a criação do perfil profissional desejado pela empresa. Esse perfil precisa ser exposto nas campanhas de divulgação das vagas para que os candidatos ideais sejam atraídos.

Funil de contratação

Os indicadores de R&S são essenciais para o RH entender a eficiência das etapas do seu processo seletivo. Desse modo, o setor realiza um “raio-x” em cada etapa buscando identificar estratégias que precisam ser melhoradas ou modificadas.

Com isso, o funil de recrutamento entregará o seu objetivo: fazer com que o candidato ideal percorra todas as fases e, finalmente, integre a equipe interna.

Principais indicadores de recrutamento

Dentre os indicadores de recrutamento e seleção que mais impactam os resultados das empresas modernas, podemos destacar os seguintes.

Diversidade 

O RH analisa como está a diversidade de gênero, idade, raça, classe social, bem como de condição física (portadores de alguma deficiência), na formação do time interno. Mediante esses resultados, a empresa traça estratégias para aumentar a pluralidade de perfis nas equipes.

Satisfação do processo seletivo

O indicador de satisfação do processo seletivo visa mensurar o nível de qualidade da experiência dos candidatos. Quando existe muito engajamento e satisfação, mesmo os não contratados, falam bem da empresa e retornam para novos processos seletivos.

Alinhamento cultural com a empresa

O RH precisa mensurar também a compatibilidade dos contratados com a cultura interna da empresa. Sem esse alinhamento, o clima interno, a produtividade do profissional e os resultados do time, são seriamente prejudicados.

Enfim, é difícil gerenciar o que não é mensurado. Sendo assim, se o RH da empresa deseja ter processos seletivos cada vez mais eficientes, o caminho é a utilização dos indicadores de recrutamento e seleção. O que achou do nosso artigo? Entendeu como os indicadores de recrutamento e seleção tornam o RH mais estratégico? Quer otimizar esse processo na sua empresa? Então, baixe agora mesmo o nosso kit: Faça seu Recrutamento & Seleção decolar!

New call-to-action

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post