O que é RH estratégico?

Tempo de leitura: 8 minutos

RH estratégico é um termo para o movimento da área de recursos humanos que enxerga os profissionais de maneira estratégica, utiliza dados reais para tomar decisões acertadas e melhora seus processos com tecnologia de ponta. RH estratégico é visto como crucial para o crescimento, rentabilidade e sucesso.

Por muito tempo, a área de recursos humanos foi vista apenas como operacional e burocrática dentro da empresa, trabalhando com questões como a admissão, o desligamento e a gestão de benefícios. No entanto, essa visão é cada vez mais distante. Hoje, o RH estratégico é crucial ao negócio.

Boa parte dos profissionais de RH já apostam no levantamento de dados para um maior acerto diário, na aquisição de talentos, na definição de objetivos desafiadores e no planejamento estratégico. Além disso, o RH está inserido na transformação digital, por isso, é cada vez mais comum a inserção de novas tecnologias.

Mas, afinal de contas, o que é RH estratégico? Veja, neste artigo, os principais itens que tornam um RH, de fato, moderno e estratégico para o sucesso da organização!

Afinal, o que é um RH estratégico?

Em primeiro lugar, o RH estratégico não é aquele que deixa as rotinas de departamento pessoal (DP) em segundo plano, muito menos aquele que não se preocupa com o aprimoramento do controle do holerite, do ponto eletrônico ou da gestão de benefícios. Todas essas coisas são essenciais para a boa gestão de pessoas.

Em geral, o RH estratégico é o que enxerga os profissionais de maneira estratégica, utiliza dados reais para tomar decisões acertadas e melhora seus processos com tecnologia de ponta. Esse RH não tem apenas uma posição de suporte à liderança, mas é visto como crucial para o crescimento, rentabilidade e sucesso.

Uma pesquisa veiculada na Harvard Business ilustra bem a importância do setor. Ao acompanhar os resultados econômicos de 53 empresas entre os anos de 2011 e 2015, descobriu-se que as que têm boas práticas de RH têm desempenho 51% superior ao mercado, em média. Isto é, são mais bem-sucedidas.

O que é necessário para considerar o RH estratégico?

Uma dúvida comum é: até que ponto o RH pode ser considerado só operacional e quando passa a ser também estratégico? Não há uma resposta específica. No entanto, é preciso considerar quatro principais fatores.

Visão estratégica do negócio

O primeiro e mais importante passo para um RH ser considerado estratégico é conhecer a visão da empresa a fundo. Compreender o modelo de negócio com exatidão, as metas e dificuldades das áreas operacionais, entender a cultura da empresa… tudo isso parece básico, mas não é! Muitos gestores de recursos humanos não se preocupam com isso, afetando direta e negativamente a forma como a área trabalha.

Análise de dados

Muitas áreas já foram revolucionadas pela análise de dados. Vendas são controladas por métricas; logística, por indicadores que não têm fim; as finanças produzem as mais avançadas formas de análise.

Em gestão de pessoas, isso também tem que ser verdade. Os softwares modernos devem ser usados como mais que simples controles. Eles devem produzir informações que sejam relevantes para as organizações e para a sua estratégia.

Agente de transformação

O trabalho do RH estratégico não deve ser apenas reativo, ou seja, tomar alguma atitude só quando lhe é solicitado ou quando ocorre algum evento em que precise agir.

A gestão de pessoas moderna é ativa em transformar não somente o ambiente, mas também as relações de trabalho em algo que motive os colaboradores a prestarem seu serviço da melhor forma possível.

Tecnologia de ponta

O RH está inserido em uma nova revolução industrial, na qual a tecnologia é protagonista e boa parte dos processos podem ser melhorados (até automatizados) com softwares.

Em razão disso, contar com tecnologia de ponta é essencial para o RH ser considerado estratégico. Aqui, sistemas de recrutamento e seleção (R&S), controle das rotinas de departamento pessoal e sistema de comunicação interna fazem diferença.

Estar atento a essas mudanças pode significar o sucesso da sua organização no médio prazo. Pare e reflita sobre como o seu RH está estruturado e se é, de fato, um fator que contribui para o sucesso da empresa.

Como tornar o RH mais estratégico e eficaz?

Se seu RH ainda não se apresenta de maneira estratégica, há um grande desafio pela frente! É preciso mudar processos, tecnologias e hábitos na gestão de pessoas.

Monitore os atuais indicadores de desempenho

Existe uma enorme quantidade de métricas e indicadores-chave de desempenho (KPIs, no inglês) que podem ser monitorados pelo RH. Em geral, essas informações ajudam o setor a ser mais eficiente e a tomar decisões mais acertadas, bem como se planejar de modo estratégico.

Entre os principais KPIs, é possível citar: assiduidade ao trabalho, turnover, satisfação dos profissionais, número de conflitos interpessoais, eficiência operacional e custo por profissional. É preciso avaliar quais indicadores mais se relacionam ao objetivo do RH, depois monitorá-los regularmente.

Estabeleça objetivos estratégicos e alinhados à empresa

O RH estratégico é alinhado à visão da empresa. Para tanto, precisa definir objetivos e metas que colaborem com o crescimento e sucesso da organização. Se a visão do negócio é ter uma maior participação no mercado, por exemplo, os objetivos e metas do RH devem seguir na mesma direção.

Aqui, é cada vez mais comum criar metas no formato OKR (do inglês “Objectives and Key Results”, ou “objetivos e resultados-chave”). Significa definir um objetivo genérico e, depois, fragmentá-lo em resultados menores e de curto prazo, mais fáceis de alcançar. Desse modo, o RH pode estar mais alinhado à empresa.

Invista na atração e retenção de talentos

Não se gerenciam pessoas, se gerencia com pessoas. Exatamente por isso, é preciso contar com gente talentosa, com competências técnicas e comportamentais específicas. Mas o desafio é grande, afinal, há certa escassez de mão de obra qualificada no mercado. Por isso, é preciso criar estratégias para atrair e reter.

Uma das principais é oferecer uma boa cesta de benefícios. Além dos tradicionais (plano de saúde, seguro de vida etc.), existem outros mais modernos e capazes de entusiasmar os talentos. Vale-cultura, bolsa de estudo, parceria com academias, entre outros. Avalie quais benefícios mais se adéquam ao seu público-alvo.

Modernize os atuais processos de RH

De acordo com a Deloitte, 56% das empresas estão reformulando seus processos de RH para aproveitar ferramentas digitais. A verdade é que os processos devem ser modernizados continuamente, objetivando torná-los mais eficazes. Para tanto, a tecnologia é crucial.

Conte com um software que modernize as rotinas do departamento pessoal, permitindo a distribuição online dos holerites, facilitando a comunicação interna e o monitoramento dos atuais resultados. Mais do que nunca, o RH deve passar por uma transformação digital para ser considerado estratégico.

Aprimore a comunicação interna empresarial

Muitos negócios focam demais em sua comunicação com o público externo, mas acabam se esquecendo de dialogar com quem está dentro da empresa (os funcionários). Esse erro gera falta de alinhamento, compromisso e motivação no time.

Por causa disso, melhorar a comunicação interna é essencial. Você pode começar implementando novos canais de comunicação, por exemplo, murais de recado online, aplicativos mobile e softwares especializados.

Além disso, é importante que a liderança se comprometa com o assunto. A correta comunicação deve ir do topo para baixo, isto é, do CEO até o estagiário. Assim, será possível se comunicar internamente de maneira bem-sucedida.

Terceirize outras demandas

Por fim, a dica é terceirizar demandas. Nem sempre dá para fazer tudo com excelência dentro da empresa, seja por falta de profissionais qualificados ou de know-how. Nesse caso, uma saída estratégica é terceirizar e manter o foco só no que realmente importa à gestão estratégica.

Imagine, por exemplo, a terceirização da folha de pagamento. De imediato, o processo poderia ser feito por profissionais mais especializados na área, a equipe interna de RH estaria livre para atuar em outras tarefas e todo o negócio ganharia em agilidade. Sem dúvida, é um passo estratégico.

Essas são algumas das nossas principais dicas. Arquitetar e manter um RH estratégico deve ser prioridade dentro de toda empresa, afinal, o setor assume papel de protagonista e pode aumentar a competitividade do negócio. Sem um bom RH, por outro lado, erros e problemas serão mais recorrentes.

Gostou do nosso artigo? Agora assine nossa newsletter e receba novidades sobre gestão de pessoas, tecnologia de RH e rotinas de departamento pessoal diretamente em seu e-mail. Vamos lá!

 

Auto-avaliação Departamento Pessoal

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.