RH Digital: como automatizar e transformar o RH da empresa

Hoje, é comum se falar em RH Digital. Muitas empresas estão em processo de transformação, redesenhando processos antigos, utilizando das ferramentas modernas para que possam se adaptar ao novo momento do mercado. Pensando na importância da gestão de pessoas nesse contexto, vamos te explicar como automatizar e transformar o RH da sua empresa por meio do RH Digital. 

Todas essas transições são reflexo da quarta revolução industrial (ou indústria 4.0). Isso significa que o ambiente externo entrou em uma nova etapa, em que o mundo real se conecta ao digital. Quase tudo pode ser feito online, com plataformas ágeis e inteligência artificial.

Mas, o que é e qual a importância do RH digital para a empresa? Pensando nisso, criamos este artigo detalhado para você. Continue lendo!

Afinal de contas, o que é RH digital?

O RH digital surgiu com a chegada dos avanços tecnológicos no mercado corporativo. O setor passou a contar com inovações, tendo seus processos automatizados e garantindo agilidade e eficiência aos profissionais da área. 

Neste contexto, podemos destacar alguns exemplos que vem ganhando cada vez mais força dentro das empresas:

  • Automatização dos processos de recrutamento e seleção
  • Inserção do ponto digital; 
  • Gestão integrada de benefícios por meio de aplicativos;
  • Uso de softwares e sistemas dedicados à rotina e às demandas do RH.

Com isso, gestores e demais colaboradores passaram a ter mais tempo em suas rotinas para ter novos focos estratégicos dentro das empresas. Contudo, isso não foi da noite para o dia. O setor passou por uma evolução. 

A evolução do RH

O setor de RH tem evoluído muito nas últimas décadas. Ele deixou de ser um setor estritamente operacional para se tornar estratégico, e agora tem se tornado também um RH digital. Essa evolução é acompanhada de novos aprendizados, responsabilidades e desafios. Confira abaixo:

  • RH 1.0: o primeiro modelo de RH, chamado de 1.0, cuidava da burocracia entre empregado e empregador, com o objetivo de manter a relação de acordo com a legislação trabalhista vigente;
  • RH 2.0: o RH 1.0 não foi o suficiente, portanto, surgiu o RH 2.0. Esse enxergava as pessoas como parte crucial da estratégia, essenciais ao sucesso e crescimento;
  • RH 3.0: o RH 3.0 é mais conectado. Isso não significa que questões burocráticas ou estratégicas tenham deixado de existir. Pelo contrário, foram aprimoradas com o uso de tecnologia. Assim, o RH redesenhou seus antigos processos para aproveitar ferramentas digitais;
  • RH 4.0: o RH 4.0 vai além de apenas fazer a migração para tecnologias de ponta, mas consiste em fazer um uso inteligente delas. O RH digital passa a sincronizar a tecnologia com a estratégia da organização e da gestão de pessoas ao utilizar plataformas integradas. Esses sistemas fornecem dados e estatísticas em tempo real e oferecem mensuração de dados – dos básicos aos complexos – para a tomada de decisão.

Por consequência, é fácil chegar à seguinte conclusão: o RH imerso na transformação digital, chamado atualmente de RH 4.0, é um setor bem encaixado na indústria 4.0 – a era da conectividade. Além disso, ele é capaz de unir a tecnologia, a estratégia e a gestão comportamental, proporcionando grandes avanços para as empresas.

Qual a importância do RH digital para a organização?

Hoje, o  RH digital deixou de ser apenas um diferencial competitivo para se tornar indispensável nas organizações. Segundo pesquisa feita em 2020 pela Capterra, 80% das pequenas empresas americanas já utilizam softwares de RH. Isso mostra como a transformação digital já é uma realidade a qual as empresas precisam se adaptar. 

Por isso, se a sua empresa ainda não começou o processo de automatização e transformação digital do RH, está perdendo um tempo precioso. 

Nos próximos tópicos, vamos abordar alguns dos principais fatores que tornam a automação do RH tão importante! 

1. Melhora a rotina de departamento pessoal

As rotinas de departamento pessoal são bem intensas desde a admissão de um colaborador. É preciso distribuir holerites, gerenciar o ponto eletrônico, administrar a folha de pagamento e outras atividades.

Com um RH digital, tudo isso é  feito com precisão e em menos tempo, melhorando as rotinas de trabalho. Por exemplo, você pode levantar dados e relatórios de assiduidade no software de gestão de RH, sem perder tempo criando planilhas.

2. Otimiza a comunicação interna empresarial

Por muito tempo, os gestores mantiveram o foco na comunicação externa com os clientes da empresa. Hoje, sabe-se que a comunicação com os colaboradores é igualmente importante.

O novo modelo de RH contribui para a implementação de canais digitais de comunicação, por exemplo, murais de recado online. Isso garante que a mensagem desejada vá do emissor até o receptor de maneira mais eficiente.

Outro ganho importante é a implementação de processos internos, principalmente, na adaptação de novos colaboradores. 

Com a otimização da comunicação interna, o onboarding digital passa a ser uma das ferramentas mais poderosas do RH para que todos estejam alinhados com os propósitos da empresa a partir da entrada na organização. 

Esse processo, quando bem alinhado, também ajuda a diminuir a taxa de turnover da empresa. O que permite que o ambiente de trabalho se torne um lugar mais saudável, produtivo e engajado. 

3. Simplifica o monitoramento de resultados

Conhecer os atuais resultados é essencial para a gestão do capital humano. Qual o número de faltas, atrasos e turnover do último mês? Sem essas informações, é difícil entender a real situação dos seus colaboradores e criar planos bem-sucedidos.

As ferramentas usadas pelo RH digital contam com um maior grau de automação. Isso quer dizer que elas podem monitorar os resultados e dispor dados e relatórios completos com pouca ou nenhuma interferência humana.

4. Desenvolve o recrutamento e seleção de talentos

O recrutamento e seleção (R&S) é uma das tarefas mais importantes da gestão de pessoas, assim como é uma das que mais evoluíram com o tempo. Nos dias atuais, quase tudo pode ser feito online.

A inserção de novas ferramentas digitais ao RH permite que o recrutamento seja feito por redes sociais e plataformas, a triagem de currículos automatizada por sistemas, a entrevista é online e assim por diante. Do início ao fim do recrutamento e seleção a tecnologia está envolvida.

5. Promove a transformação digital na empresa

O ambiente externo passa por uma das maiores transições dos últimos tempos: a quarta revolução industrial. Empresas que não conseguem se adequar ficam para trás, perdem competitividade e até deixam de existir.

Por isso, o RH digital tem grande relevância na evolução da organização. O departamento pode ser o ponto de partida para a transformação digital, permitindo o desenvolvimento de todos os outros setores e colaboradores.

Quais são as ferramentas do RH digital? 

Confira abaixo quais são as principais ferramentas do RH digital e como elas podem ser vantajosas para a empresa:

Admissão e desligamento online

O RH 4.0 é estratégico, por isso ele pensa na jornada completa do colaborador na empresa, desde seu primeiro contato até o último. 

Em tempos de RH digital, a contratação é feita de forma online e colaborativa, ou seja, o novo funcionário pode preencher dados, fazer upload de documentos, encaminhar informações que vão automaticamente para o diretório de colaboradores, entre outras funcionalidades que otimizam todo o processo. 

Da mesma maneira, no desligamento, as informações podem ser encaminhadas para contabilidade com um checklist. Assim, ninguém se perde nos prazos e na documentação. 

Distribuição de Holerites digitais

Os holerites podem ser distribuídos de forma rápida e totalmente online. Disponibilizar os recibos de pagamento digitalmente também permite que os colaboradores consultem sempre que for necessário. Isso tudo em poucos segundos, evitando o processo manual e repetitivo. 

 Comunicação interna prática

As tecnologias no RH permitem a criação de um mural de comunicação online, que facilita a comunicação com todos os colaboradores. É possível criar recados, falar sobre novas políticas da empresa e permitir que todos possam ler e interagir em tempo real. 

Além disso, pode-se otimizar o uso de ferramentas como intranets – sistemas internos de comunicação – e o próprio e-mail. Você pode, por exemplo, criar um planejamento de comunicação interna levando em conta envios de newsletters periódicas aos colaboradores.

Planeje como será feito o fluxo de comunicação do RH com os colaboradores por meio dessas ferramentas. E, não deixe de elencar quais são os conteúdos mais importantes para serem gerenciados ali. 

Você pode fazer envio de  lembretes, emitir comunicados, fazer a notificação sobre o período de solicitação de férias, enviar celebrações em aniversários ou datas comemorativas, entre outros. 

Armazenamento em nuvem

As plataformas de RH que funcionam com o armazenamento em nuvem podem trazer diversas vantagens para o setor. Afinal, ter todos os dados disponíveis online, permite que haja uma maior segurança das informações, pois o acesso é controlado.

Além disso, não há riscos de perder esses dados se um papel rasgar ou um computador quebrar. Com a nuvem, os dados estão em um servidor robusto, sem perigo de serem roubados de uma pasta física. 

Quais os melhores softwares para RH digital?

Não podemos falar em RH digital sem mencionar os softwares responsáveis por colocar a gestão de pessoas nesse caminho de transformação. 

Atualmente, os avanços tecnológicos e os produtos voltados para a otimização do RH estão cada vez mais ágeis e assertivos. Não é difícil encontrarmos pela internet aplicativos que tem como foco potencializar o departamento pessoal das empresas. 

São sistemas que vão desde o gerenciamento da folha de pagamento até atividades mais complexas, como ferramentas de cálculos e processamento de admissões. 

As tecnologias de inteligência artificial e software voltados para o setor de recrutamento e seleção já deram as caras no Brasil e são consideradas essenciais por qualquer RH que pensa em reter talentos. 

De acordo com uma pesquisa recente, feita pela consultoria de recrutamento especializado Robert Half, 48% das empresas irão adotar o modelo híbrido de trabalho em 2022. Isso mostra como a transformação digital é  essencial  para as empresas que querem sobreviver e trabalhar com profissionais qualificados.

Contudo, é preciso ter muita atenção em relação à segurança das informações. 

O departamento pessoal utiliza muitas informações pessoais, algumas inclusive consideradas sensíveis pela LGPD. Por isso, antes de aderir a qualquer software, tenha políticas claras e definidas de segurança de dados. 

Outro ponto importante, para o qual o profissional de RH deve se atentar, é se aquele software ou aplicativo realmente irá otimizar a sua rotina. Às vezes, pode acontecer do sistema mais atrapalhar do que facilitar o dia a dia do RH digital. 

Por isso, pesquise e analise bem quais são as possibilidades tecnológicas disponíveis no mercado. Faça um diagnóstico dos principais gargalos na gestão de pessoas e procure aquele software que irá, de fato, resolver seu problema.

Para te ajudar nesse processo, separamos algumas dicas para cada área do departamento pessoal. Vamos lá? 

Recrutamento e seleção

Como mencionamos, o recrutamento e seleção é uma das atividades que mais se atualizaram no RH digital. Além de ser o coração da gestão de pessoas, a necessidade de criar processos mais ágeis e eficientes fez com que cada vez mais empresas buscassem ferramentas para seu aprimoramento.

As transformações no mercado de trabalho nos últimos anos também tiveram bastante influência nisso. Com a migração de inúmeras empresas para o home office, foi preciso pensar em novas alternativas de recrutamento dos candidatos. 

Isso acabou abrindo um mundo de possibilidades para o profissional de RH. Se antes a busca por novos profissionais ficava restrita às barreiras geográficas, hoje isso não acontece mais. 

Contudo, essa evolução também trouxe desafios maiores. Com tantas possibilidades de contratação, o departamento pessoal precisou aperfeiçoar seu sistema de seleção. E é aí que entra a tecnologia. 

Com processos que, muitas vezes, usam de inteligência artificial, os softwares de recrutamento e seleção têm sido fundamentais para a gestão de pessoas. Pré-requisitos definidos, etapas de triagem e testes de cultura são apenas alguns benefícios que esses sistemas podem proporcionar para o profissional de RH. 

Na atualidade há diversos sistemas disponíveis no mercado com essa finalidade. O ideal é que você faça uma pesquisa aprofundada e escolha aquele sistema que melhor se encaixa com as suas necessidades.  Alguns exemplos são a Compleo e a Abler. 

Comunicação

Sem dúvidas, a comunicação é um dos pontos mais cruciais para uma boa gestão de pessoas. Sem diálogo, sem um fluxo de informações organizado, sem processos internos definidos e compartilhados com todos, o trabalho remoto torna-se inviável. 

A mesma premissa vale para o presencial. Ainda que você esteja frente a frente com o seu colega de trabalho, a falta de processos internos e troca de informações são alguns dos motivos que acabam levando a baixa produtividade, erros e falhas de operação. 

Por isso, independente do seu modelo de trabalho, ter uma comunicação bem estruturada é fundamental para qualquer empresa. E o departamento pessoal pode ser pioneiro nesse processo. 

Ao entender que a comunicação interna não pode ficar em segundo plano, o profissional de RH pode criar estratégias eficazes para inserir esse princípio na cultura organizacional

Você pode começar com uma ação simples, como se comunicar melhor sobre período de férias, feriados e recessos, atualizações cadastrais, entrega de documentos. Esses são apenas alguns conteúdos informativos que ajudam a solidificar uma comunicação interna mais fluida. 

Então, para começar a colocar a mão na massa, você precisa fazer um diagnóstico de tudo que é referente a comunicação interna. O que o colaborador precisa saber? Quais são os avisos importantes?

Quando você tiver esse raio-x pronto, é hora de se apoiar na tecnologia para fazer com que o fluxo de comunicação seja, de fato, eficiente. Existem softwares que vão te ajudar com automatização de processos, organização de informações conforme prioridade, gestão de datas e muito mais. 

Alguns aplicativos que despontam na preferência das empresas são o Slack e as ferramentas do próprio Google.

Clima organizacional

O clima organizacional está muito relacionado à comunicação. Mas, ele também se conecta com o quanto os colaboradores abraçaram os valores e missão da empresa. 

Então, o primeiro passo para você saber qual tecnologia usar nesse quesito, é medir qual o nível do clima organizacional da sua empresa. 

E aí, deixamos o questionamento: você já fez alguma pesquisa de clima entre os seus colaboradores? 

As pesquisas internas são essenciais para saber em que nível você está. É através dela que o departamento pessoal saberá quais os principais incômodos dos colaboradores. Assim como identificar o que não está funcionando e o porquê. 

Uma boa pesquisa de clima organizacional vai te dar a direção certa para entender quais os principais gargalos de comunicação, interação e integração dos colaboradores. 

Ela também vai mostrar as possibilidades que a empresa tem para ajustar o seu clima organizacional ou deixá-lo mais acessível aos funcionários.

Após esse diagnóstico inicial, você estará preparado para introduzir um software para a gestão de clima organizacional.  Isso porque você saberá exatamente onde precisa atuar e de que maneira aquele sistema irá te ajudar a resolver os gargalos identificados. 

Hoje, já existem algumas ferramentas focadas em clima organizacional. Inclusive, boa parte delas integra metodologias como os OKR’s, avaliações de desempenho e planos de desenvolvimento individual. 

É importante ressaltar que a escolha de um software para o RH digital depende muito de dois processos: identificar os principais gargalos na gestão de pessoas e entender como aquela tecnologia pode resolvê-los. 

Processos internos

Como vimos até aqui, a tecnologia veio para ajudar o departamento de pessoas a otimizar o tempo, melhorar sua gestão e, principalmente, entrar de vez no RH digital. Por isso, é preciso avaliar muito bem qual software será utilizado e o seu propósito.

Admissões, gestão de férias e gerenciamento de horas extras são alguns dos exemplos de atividades que, muitas vezes, são feitas manualmente, mas que podem ser automatizadas. 

Já existem diversos sistemas, planilhas e materiais, até mesmo gratuitos, que oferecem soluções avulsas para cada processo interno. De fato, utilizar esses recursos é um início para a digitalização total do RH. 

No entanto, organizar as demandas internas de maneira segmentada não é a forma mais eficiente de aproveitar as tecnologias disponíveis. Para que você realmente otimize a sua gestão de pessoas, é preciso buscar um software que possibilite gerenciar todas essas atividades. 

Diante disso, é fundamental ter todas as informações de maneira integrada e em um só lugar. Vamos a um exemplo prático.

Pense que você realizou uma nova contratação. Quando você possui um sistema integrado, poderá fazer toda a admissão por ali. Os dados do novo colaborador serão devidamente processados e organizados dentro daquele software. 

Essas informações serão essenciais na hora de você fazer a folha de pagamento e o holerite do funcionário. Por isso, concentrá-los em uma só base de dados ajuda a otimizar e a facilitar os procedimentos internos. 

Atividades burocráticas

As atividades burocráticas do RH levam tempo e, por vezes, são entraves para a otimização de processos. Mas é preciso compreender que elas são essenciais para o bom funcionamento da gestão de pessoas. 

Estamos falando de procedimentos importantes, que precisam de atenção minuciosa na execução. Muitas vezes, o burocrático é associado a ações que atrapalham a produtividade. Na verdade, essas funções podem ser facilitadas, reduzindo a quantidade de processos e etapas. 

Isso é muito relevante para o bom funcionamento da empresa. Isso porque essas atividades do DP garantem que a folha de pagamento, por exemplo, seja emitida da maneira correta.

As atividades burocráticas fazem com que a empresa não cometa erros no recolhimento de tributos obrigatórios, evitando risco de processos e multas.Também são essenciais na hora da concessão de benefícios ao colaborador. 

Para organizar isso tudo você pode contar com a tecnologia. Hoje, já existem softwares focados em atividades burocráticas, como gestão de contratos online.

Outra atividade importante e que também pode ser adaptada para o digital é a gestão de ponto. Além de softwares e aplicativos específicos para isso, você também pode criar o seu próprio sistema, de acordo com a dinâmica da empresa. 

Não é preciso fugir da burocracia para se ter uma gestão de pessoas eficiente e otimizada. Analise as suas reais necessidades dentro dessas atividades e pesquise quais as melhores ferramentas para introduzir na sua rotina. 

A tecnologia é útil de inúmeras maneiras, mas ela só irá trazer resultados se você souber como usá-la de maneira eficiente e assertiva. 

Aqui, trouxemos algumas dicas de como você pode digitalizar cada setor do seu departamento pessoal, usando as facilidades do RH digital. Aproveite para observar o que não está funcionando como deveria e inicie agora mesmo a digitalização da sua gestão de pessoas. 

Como migrar para o RH digital?

Agora chegou o momento de você saber como fazer a transformação completa do seu departamento pessoal para o ambiente digital. Veja abaixo 4 passos para te auxiliar na implementação do RH digital na sua empresa:

Identifique as necessidades da organização

O primeiro passo é identificar quais são as necessidades e estratégias da organização. Assim, é possível alinhá-las com o RH e analisar então quais são as dificuldades do setor. Após isso, é preciso mapear todas as rotinas dos profissionais para buscar um software que possui funcionalidades que irão atender todas essas necessidades. 

Envolva toda a equipe

Ao implementar novas tecnologias na empresa, é fundamental que toda a equipe esteja envolvida no processo para obter sucesso. Lembre-se que nem todos irão aderir de primeira às inovações. Portanto, a empresa deve capacitar todo o time através de um treinamento para que os profissionais saibam utilizar o software de RH escolhido. 

Estabeleça uma cultura de inovação

O RH digital vai além de integrar novos softwares, sendo preciso construir uma cultura organizacional focada na inovação. O setor de gestão de pessoas deve evoluir continuamente e acompanhar o que há de moderno no mercado.

A cultura é o conjunto das crenças, hábitos e valores que existem na empresa e nos seus respectivos setores. Não é possível ter uma cultura de conformismo, em que todos estão satisfeitos com o status quo. É preciso querer melhorar continuamente e abraçar o que há de novo.

O motivo é simples: o que é moderno hoje não será amanhã. As tecnologias têm um ciclo de vida cada vez mais curto, e o RH digital deve estar apto para acompanhar essas mudanças. Assim, é possível ter crescimento.

Escolha um software de RH

Um bom software de gestão de pessoas é a espinha dorsal para a transformação digital. Ele permite que antigos processos de RH sejam substituídos e aumenta a agilidade e o acerto em tudo o que é feito.

Escolher o melhor software, no entanto, não é tarefa fácil. Por causa disso, avalie o custo-benefício de cada fornecedor. Conheça seus casos de sucesso e inicie um teste grátis, objetivando avaliar a qualidade do software.

Mesmo com tanta tecnologia, como posso humanizar o RH?

Pode parecer contraditório o fato de que a introdução da tecnologia possa tornar o RH humanizado. Porém, é preciso compreender que quanto mais tempo o profissional de RH tiver para focar nas pessoas e não nos processos, mais essa relação entre colaborador e empresa será estreitada.  

Além disso, as tecnologias estão aí para potencializar habilidades e otimizar o tempo de produção das pessoas. Assim, é possível começar a ter um trabalho mais estratégico e menos mecânico. 

Para o RH digital as tecnologias são, ao mesmo tempo, uma grande vantagem e um verdadeiro desafio. 

Vantagem porque auxiliam na execução de atividades e na redução de erros. E desafio porque impulsionam o profissional de RH a olhar mais para o colaborador e seu desempenho. Ao fazer isso, é possível identificar problemas que antes não se percebia. 

Questões como falta de comunicação, falhas no fluxo de dados, não adaptação à cultura da empresa passam a ser centrais. O RH 4.0 chegou para colocar as pessoas no centro, e não a tecnologia. 

É dessa maneira que a humanização do RH é possível, mesmo com toda transformação digital. Ao priorizar o colaborador, o departamento pessoal potencializa todo o capital humano da empresa, aliando tecnologia e alto desempenho. 

Treinamentos, reuniões horizontais e PDIs

Com a popularização do trabalho híbrido e remoto, foi preciso que as empresas se adaptassem para criar novas dinâmicas de interação entre os colaboradores. É nesse contexto que os treinamentos também acabaram se transformando. 

Antes, esse processo era realizado de uma maneira engessada e até mesmo burocrática. Hoje existem técnicas e ferramentas que possibilitam que o colaborador tenha  uma integração mais efetiva quando entra na empresa. 

Podemos citar como exemplo:

  • Treinamentos à distância – iniciais e de aperfeiçoamento;
  • Reuniões horizontais, ou One an Ones, junto às lideranças, para que o colaborador seja integrado à cultura da empresas, consiga dar e receber feedbacks e fale de dificuldades e vitórias; 
  • PDI (Avaliação de Desempenho Individual), que é um tipo de ação focada no desenvolvimento e crescimento do colaborador na empresa. 

No RH digital, esses são processos que vem ganhando cada vez mais notoriedade. Primeiro, porque há um contato maior das lideranças com o novo colaborador. Assim, é possível fazer o alinhamento de expectativas e construir um elo de confiança. 

Além disso, essa cultura de integração, com processos mais modernos, possibilita que o colaborador se sinta mais acolhido e seguro para iniciar a sua jornada. Isso acaba reduzindo a taxa de turnover da empresa e garantindo uma maior retenção de talentos. 

Hoje, com todos os recursos digitais à disposição é possível estar mais próximo do colaborador e ajudá-lo a se adaptar à nova função. 

Para os colaboradores que já fazem parte da empresa é essencial manter a cultura de feedback, com as reuniões horizontais. Além disso, você pode incentivar toda a empresa a manter treinamentos continuados, com foco no aprofundamento de habilidades. 

Isso, além de qualificar ainda mais os times, mostra a preocupação em relação ao desenvolvimento e crescimento do colaborador dentro da empresa. 

Comunicação simples e acessível

O trabalho à distância traz com ele um grande desafio: o da comunicação. Quando se está presencialmente no escritório, as interações possuem menos ruídos. E isso ajuda na hora de se conectar com um time e com toda a empresa. 

Mas no home office, a perda do contato físico faz com que a comunicação sofra com diversos tipos de interferências. Só a tela do computador já possui elementos que podem te distrair em uma videoconferência, por exemplo. 

Por isso, é fundamental que você mantenha uma linguagem simples, direta e objetiva na hora de se comunicar com os colaboradores. Não complique instruções, delegue de maneira clara, alinhe as expectativas. 

Nesse ponto, a cultura de feedback torna-se um alicerce importante para alimentar o vínculo direto com o colaborador. 

Como vimos até aqui, o RH digital representa a substituição dos processos tradicionais. Além disso, ele traz a integração de novas tecnologias e a formulação de uma cultura com ênfase nas novidades do mercado. 

Os benefícios são vários. Destacamos aqui, a melhoria na comunicação, no recrutamento e seleção, nas rotinas de departamento pessoal e no monitoramento dos resultados.

Agora você já sabe como levar a sua empresa para essa nova era! Que tal começar agora a transformação digital do seu departamento de pessoal? 

Faça o download gratuito do Kit RH Digital e revolucione a sua gestão de pessoas! 

New call-to-action

Marcelo Furtado

Marcelo Furtado é administrador de empresas com pós-graduação em engenharia financeira pela Poli-USP. Iniciou sua carreira na Pepsico e posteriormente trabalhou 8 anos com gestão de ativos em hedge funds. É cofundador da Convenia, primeiro software na nuvem de gestão de departamento pessoal voltado para pequenas e médias empresas no Brasil. Marcelo também atua como professor de Marketing Digital na ESPM-SP e mentor na ACE e Google Campus.

Contribua com este post